O estágio de docência no processo de construção da identidade profissional de pós-graduandos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v7i1.4853

Palavras-chave:

Estágio, Docência, Formação de professores, Ensino Superior, Identidade Profissional

Resumo

O estudo visou compreender as potencialidades do estágio de docência no processo de construção da identidade profissional de mestrandos e doutorandos em educação, através de pesquisa bibliográfica e de campo, com abordagem qualitativa. Os principais aportes teóricos utilizados foram Melo (2018), Pimenta e Anastasiou (2008), Cavalcante (2014), sobre formação de professores de Ensino Superior e Pimenta e Lima (2017), Nóvoa (2009; 2017), Costa (2014), estabelecendo relações entre estágio, docência e construção da identidade profissional. Como estratégia de aproximação com a realidade, oito pós-graduandos stricto sensu em Educação responderam questionários via google forms. Conclui-se que o estágio permite o conhecimento das especificidades que marcam os processos de ensino-aprendizagem no Ensino Superior, constituindo-se em espaço propício de formação didático-pedagógica para pós-graduandos, desde que desenvolvido numa perspectiva crítica-reflexiva e colaborativa entre os sujeitos envolvidos no processo de ensinar e aprender a profissão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria da Cruz Santos Guimarães, Universidade Estadual do Ceará

Mestranda em Educação pelo Programa de Pós-graduação da Universidade Estadual do Ceará - UECE. Membro do grupo de estudo Docência no Ensino Superior e na Educação Básica (GDESB/UECE)

Elisangela André da Silva Costa, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

Doutora em Educação pela UFC; Pós-Doutora em Educação pela USP. É professora adjunta da UNILAB; Professora colaboradora no Programa de Pós-Graduação da UECE. Membro dos Grupos de Pesquisas sobre Formação do Educador (GEPEFE/USP) e Docência no Ensino Superior e na Educação Básica (GDESB/UECE).

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: 70, 2011.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 21 dez. 1996.

BRASIL. Portaria nº 76, de 14 de abril de 2010. Regulamento da Demanda Social. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 19 abr. 2010.

CAVALCANTE, M. M. D. Pedagogia universitária: um campo de conhecimento em construção. Fortaleza: UECE, 2014.

COSTA, E. A. S. Diálogo pedagógico entre escola e universidade a partir da formação inicial de professores: o caminho e o caminhar da Unilab. 2018. 126 f. Relatório (Pós- -Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

COSTA, E. A. S. Formação do professor para a educação superior: contribuições do estágio de docência. Fortaleza: UECE, 2014.

LIMA, I. S. M. S.; ANDRADE, A. I.; COSTA, N. M. V. N. A prática pedagógica na formação inicial de professores em Cabo Verde: perspectivas dos supervisores. Educação & Formação, Fortaleza, v. 5, n. 1, p. 3-26, 2020. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/1448. Acesso em: 4 abr. 2021.

MELO, G. F. Pedagogia universitária: aprender a profissão, profissionalizar a docência. Curitiba: CRV, 2018.

NÓVOA, A. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 166, p. 1106-1133, 2017.

NÓVOA, A. Os professores e as histórias de sua vida. In: NÓVOA, A. (org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto, 1992. p. 11-30.

OLIVEIRA, S. M. S.; ARAÚJO, F. M. L.; SILVA, C. D. M. A prática como lócus de produção de saberes: vozes de professores sobre formação inicial e práticas escolares cotidianas. Educação & Formação, Fortaleza, v. 6, n. 1, e2885, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/2885. Acesso em: 4 abr. 2021.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, S. G. (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2005. p. 15-34.

PIMENTA, S. G.; ANASTASIOU, L. G. C. Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez, 2008.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2017.

PPGE UECE. Conheça o PPGE. Disponível em: http://www.uece.br/ppge/institucional/conheca-o-ppge/. Acesso em: 10 jul. 2019.

THERRIEN, J.; AZEVEDO, M. R. C.; LACERDA, C. R. A racionalidade pedagógica nos processos de mediação à produção de sentidos e de aprendizagem aos saberes. Educação & Formação, Fortaleza, v. 2, n. 3, p. 186-199, 2017. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/166. Acesso em: 4 abr. 2021.

UECE. Resolução nº 821/2011, de 19 de dezembro de 2011. Estabelece normas para o estágio de docência dos cursos de Programas de Pós-Graduação stricto sensu da Universidade Estadual Do Ceará – UECE. Fortaleza: UECE, 2011. Disponível em: http://www.uece.br/ppge/normas-e-formularios/formularios/. Acesso em: 10 jul. 2019.

Publicado

2022-01-01

Como Citar

GUIMARÃES, M. da C. S. .; COSTA, E. A. da S. O estágio de docência no processo de construção da identidade profissional de pós-graduandos. Educ. Form., [S. l.], v. 7, p. e4853, 2022. DOI: 10.25053/redufor.v7i1.4853. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/4853. Acesso em: 18 maio. 2022.