Prática pedagógica de professoras alfabetizadoras iniciantes: processos de produção e contribuições para a formação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v6i2.3434

Palavras-chave:

Professor alfabetizador, Formação docente, Desenvolvimento profissional

Resumo

O texto analisa o processo de produção da prática pedagógica das professoras alfabetizadoras iniciantes a fim de contribuir para o seu processo formativo. O referencial teórico está fundamentado na compreensão da teoria como expressão da prática (MARTINS, 1996). A pesquisa é qualitativa e a análise fundamentou-se em Bardin (2011). Os dados foram obtidos por meio de questionários aplicados em 40 escolas de uma Rede Municipal de Ensino e entrevistas semiestruturadas com 17 professoras. Os resultados indicam que a prática pedagógica das professoras se constitui por desafios, por determinantes externos e internos e estratégias produzidas a partir dos problemas originados na prática. O processo formativo dessas professoras requer ampliação dos espaços coletivos de trabalho e compreensão da especificidade da alfabetização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Regina Manosso Cartaxo, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Professora do Departamento de Pedagogia de do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisa Didática e Formação Docente - GEPEDIDO. Integrante da RIPEFOR.

 

Josemary Scos, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Mestre em Educação -UEPG. Professora da Rede Municipal de Ensino de Ponta Grossa. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa Didática e Formação Docente- GEPEDIDO e do RIPEFOR.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 2. ed. São Paulo: 70, 2011.

BRANDT, A.; HOBOLD, M. A prática como componente curricular na disciplina pesquisa e processos educativos do curso de pedagogia: um diferencial na relação entre pesquisa, teoria e prática. Educação & Formação, Fortaleza, v. 4, n. 2, p. 142-160, 2019. DOI: https://doi.org/10.25053/redufor.v4i11.319. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/319. Acesso em: 20 jun. 2020.

CARTAXO, S. R. M.; FONTANA, M. I.; SMAIOTTO, G. C. As facetas da alfabetização nos cursos de Pedagogia: desafios para a formação do professor. Currículo sem fronteras, [S.l.], v. 20, n. 3, p. 1126-1147, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.35786/1645-1384.v20.n3.25. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol20iss3articles/cartaxo-smaniotto-fontana.html. Acesso em: 20 jun. 2020.

CARTAXO, S. R. M.; ROMANOWSKI, J. P.; MARTINS, P. L. Tensões e prioridades no processo de formação continuada do alfabetizador: da concepção à prática de formação. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 11, n. 3, p. 861-880, 2016. DOI: https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.11i3.0020. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5577324. Acesso em: 20 jun. 2020.

FONSECA, M. G. R. As tecnologias de informação e comunicação na formação inicial de professores do 1º ciclo do ensino básico – fatores constrangedores invocados pelos formadores para o uso das tecnologias. Educação & Formação, Fortaleza, v. 4, n. 2, p. 3-23, 2019. DOI: https://doi.org/10.25053/redufor.v4i11.254. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/254. Acesso em: 20 jun. 2020.

FRADE, I. C. A. S. Um paradigma científico e evidências a ele relacionadas resolveriam os problemas da alfabetização brasileira?. Revista Brasileira de Alfabetização, Belo Horizonte, v. 1, n. 10, p. 15-25, 2019. Disponível em: http://abalf.org.br/revistaeletronica/index.php/rabalf/article/view/339. Acesso em: 10 maio 2020.

FREIRE, P. Conscientização. São Paulo: Cortez, 1983.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Política e educação: ensaios. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

HOÇA, L.; ROMANOWSKI, J. P.; CARTAXO, S. R. M. Professores alfabetizadores: estudo sobre elementos do desenvolvimento profissional. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 16, n. 50, p. 937-965, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.7213/1981-416x.16.050.ds07. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/2896. Acesso em: 10 jun. 2020.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (coord.). Vidas de professores. Porto: Porto, 1995. p. 31-78.

MARTINS, P. L. O. A relação conteúdo-forma: expressão das contradições da prática pedagógica na escola capitalista. In: VEIGA, I. P. A. (org.). Didática: o ensino e suas relações. Campinas: Papirus, 1996. p. 77-103.

MIRA, M. M. et al. Processos de inserção profissional de professores iniciantes na Rede Municipal de Ensino de Curitiba. In: CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE PROFESSORADO PRINCIPIANTE E INSERÇÃO PROFISSIONAL À DOCÊNCIA, 4., 2014, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: UTFPR, 2014. [CD-ROM].

MIRA, M. M.; ROMANOWSKI, J. P. Processos de inserção profissional docente nas políticas de formação: o que documentos legais revelam. Acta Scientiarum: Education, Maringá, v. 38, n. 3, p. 283-292, 2016. DOI: https://doi.org/10.4025/actascieduc.v38i3.27641. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciEduc/article/view/27641. Acesso em: 10 jun. 2020.

MORTATTI, M. R. L. A “Política nacional de alfabetização” (Brasil, 2019): uma “guinada” (ideo)metodológica para trás e pela direita. Revista Brasileira de Alfabetização, Belo Horizonte, v. 1, n. 10, p. 15-25, 2019. DOI: https://doi.org/10.47249/rba.2019.v1.348. Disponível em: https://revistaabalf.com.br/index.html/index.php/rabalf/article/view/348. Acesso em: 10 jun. 2020.

MORTATTI, M. R. L. História dos métodos de alfabetização no Brasil. 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/alf_mortattihisttextalfbbr.pdf. Acesso em: 20 nov. 2017.

PÉREZ GÓMEZ, A. O pensamento prático reflexivo do professor como profissional reflexivo. In: NÓVOA, A. (org.). Os professores e a sua formação. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p. 93-114.

ROMANOWSKI, J. P. Conhecimentos pedagógicos nos cursos de licenciatura e a base comum de formação de professores. In: ROMANOWSKI, J. P. et al. (org.). Práticas de formação de professores da Educação básica à Educação Superior. Curitiba: PUCPR, 2016. p. 47-69.

SANTOS, O. J. Pedagogia dos conflitos sociais. Campinas: Papirus, 1992.

SOARES, M. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2016.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 25, p. 5-17, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n25/n25a01.pdf. Acesso em: 20 out. 2020.

SOARES, M. B. Formação permanente de professores: um estudo inspirado em Paulo Freire com docentes dos anos iniciais do ensino fundamental. Educação & Formação, Fortaleza, v. 5, n. 1, p. 151-171, 2019. DOI: https://doi.org/10.25053/redufor.v5i13.1271. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/1271. Acesso em: 10 jun. 2020.

VAILLANT, D.; MARCELO, C. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: UTFPR, 2012.

VEIGA, I. P. A. Organização didática da aula: um projeto colaborativo de ação imediatista. In: VEIGA, I. P. A. (org.). Aula: gênese, dimensões, princípios e práticas. 2. ed. Campinas: Papirus, 2011. p. 267-298.

VEIGA, I. P. A. Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. São Paulo: Papirus, 2008.

Publicado

2021-02-24

Como Citar

CARTAXO, S. R. M.; SCOS, J. Prática pedagógica de professoras alfabetizadoras iniciantes: processos de produção e contribuições para a formação. Educação & Formação, [S. l.], v. 6, n. 2, p. e3434, 2021. DOI: 10.25053/redufor.v6i2.3434. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/3434. Acesso em: 12 maio. 2021.