Conexões entre rua e universidade

I Curso de Formação de Professores em determinado grupo de capoeira.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v5i14mai/ago.1452

Palavras-chave:

bens culturais, eventos universitários, métodos para formação de professores

Resumo

Os estudos sobre saberes concernentes à capoeira foram distribuídos para análise, por Silva (2017), em 3 categorias: saberes relacionados à produção de espetáculos; à produção de eventos e à cursos de formação. A partir da análise de arquivos do Centro Cultural Capoeira Água de Beber- CECAB, situados entre o ano de 2002 e 2006, procuramos registrar as relações existentes entre capoeira e universidade, ou seja, como os saberes formais e informais se articulam no âmbito das ações empreendidas para constituição de cursos de formação do grupo. Como recurso metodológico, estipulamos o Estudo de Caso e pudemos constatar que a promoção do diálogo entre mestres de capoeira, pesquisadores de diferentes áreas científicas e professores universitários se inserem tanto na formação do capoeirista, que pretenda atuar como professor de capoeira ou não, como na formação de um público interessado no estudo sobre cultura e relações étnico-raciais brasileiras e do Ceará. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sammia Castro Silva, INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Doutora em Educação Brasileira (Universidade Federal do Ceará- 2017); Mestre em Educação Brasileira (Universidade Federal do Ceará -2013), Especialista em Arte, Educação e Cultura Popular (Faculdade de Tecnologia Darcy Ribeiro- 2012); Graduação em Educação Física (Universidade Estadual do Ceará- 2009); Experiência em grupo de estudos sobre cultura folclórica aplicada (Instituto Tecnológico Federal do Ceará: Mira Ira- 2010 a 2013) e no grupo de pesquisa em História e Memória da Educação- NHIME (Universidade Federal do Ceará 2012-2016); Participação atual no grupo de pesquisa Laboratório de Humanidades, Artes e Tecnologias do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia- IFCE Campus Canindé; Professora do curso de Licenciatura em Educação Física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará- IFCE Campus Canindé; Membro do Núcleo Docente Estruturante do Curso de Licenciatura em Educação Física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia- IFCE Campus Canindé, instituição em que coordena, atualmente, o programa de extensão NAPRACHIC. 

José Gerardo Vasconcelos, Universidade Federal do Ceará

Professor Titular de Filosofia da Educação da Faculdade de Educação, da Universidade Federal do Ceará. Possui Licenciatura em Filosofia pela Universidade Estadual do Ceará (1988), Bacharelado em Filosofia Política pela Universidade Estadual do Ceará (1989), Especialização em Filosofia Política pela Universidade Estadual do Ceará (1990), Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (1993), Doutorado em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (1997), Pós-Doutorado em Artes Cênicas, pela Escola de Teatro, da Universidade Federal da Bahia (2002), Pós-Doutorado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (2011 - 2012), Pós-Doutorado em História da Educação pelo Centro de Educação, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte ( 2015 - 2016 ).

Lourdes Rafaella Santos Florencio, Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Ceará

Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará / UFC. Licenciada em Pedagogia pela Faculdade Integrada do Brasil / FAIBRA. Licenciada em História pela Universidade Regional do Cariri / URCA, Especialista em Docência do Ensino Superior pela Faculdade Latino Americana de Educação, Especialista em Gestão Escolar e Coordenação Pedagógica pela Faculdade Integrada do Brasil. Mestra em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará / UFC. Professora do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE. 

Referências

ABREU, F. J. O barracão do mestre Waldemar. Salvador: Zarabatana, 2003.

ABU-EL-HAJ, M. F.; FIALHO, L. M. F. Formação docente e práticas pedagógicas multiculturais críticas. Revista Educação em Questão, Natal, v. 57, n. 53, p. 1-27, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/17109. Acesso em: 20 mar. 2020.

ALMEIDA, R. C. A. (Mestre Itapoan). A saga do mestre Bimba. Salvador: Ginga Associação Capoeira, 1994.

BEZERRA, J. A. Em tempos de muita chuva, a árvore cai ou revigora. Baobá Angoleiro, Fortaleza, 4 fev. 2019.

BRANDÃO, A. P. Saberes e fazeres: modos de interagir. Caderno de Atividades. Projeto A cor da cultura. Rio de Janeiro: Roberto Marinho, 2006.

BRASIL. Lei de 16 de dezembro de 1830. Manda executar o Codigo Criminal. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, DF, 17 dez. 1830.

BRASIL. Decreto nº 847, de 11 de outubro de 1890. Codigo Penal dos Estados Unidos do Brazil. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, DF, 12 out. 1890.

BRASIL. Decreto nº 3.551, de 4 de agosto de 2000. Institui o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial que constituem patrimônio cultural brasileiro, cria o Programa Nacional do Patrimônio Imaterial e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 7 ago. 2000.

BRASIL. Dossiê: inventário para registro e salvaguarda da capoeira como patrimônio cultural do Brasil. Brasília, DF: Iphan, 2007.

BRASIL. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 10 jan. 2003.

CANJIQUINHA, M. Canjiquinha alegria da capoeira: eu sou a alegria da capoeira, na capoeira eu sou a alegria. Salvador: A Rasteira, 1989.

CAPOEIRA, N. Capoeira: os fundamentos da malícia. Rio de Janeiro: Record, 1998.

CHANDLER, B. J. The Role of Negroes in Ethnic Formation of Ceará: the need of a reappraisal. Fortaleza: Revista de Ciências Sociais, 1973. v. 4.

COUTINHO, D. O ABC da Capoeira Angola: os manuscritos do mestre Noronha. Brasília, DF: Centro de Informações e Documentos da Capoeira, 1993.

DECÂNIO FILHO, Â. A herança de mestre Bimba. Salvador: São Salomão, 1997a.

DECÂNIO FILHO, Â. A herança de Pastinha. Salvador: São Salomão, 1997b.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GENÚ, M. A abordagem da ação crítica e a epistemologia da práxis pedagógica. Educação & Formação, Fortaleza, v. 3, n. 9, p. 55-70, 2018. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/856. Acesso em: 20 mar. 2020.

LARA, A. M. Políticas de redução da desigualdade sociocultural. Educação & Formação, Fortaleza, v. 1, n. 3, p. 140-153, 2016. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/118. Acesso em: 20 mar. 2020.

MORAIS FILHO, A. M. Capoeiragem e capoeiras célebres. In: MORAIS FILHO, A. M. (Org.). Festas e tradições populares no Brasil. São Paulo: USP, 1979. p. 257-263.

PASTINHA, M. “Manuscritos e desenhos de Mestre Pastinha”. Com o Estatuto do CE de Capoeira Angola. Salvador: Decânio Filho, 1977.

PIRES, A. L. C. S. A capoeira no jogo das cores: criminalidade, cultura, e racismo na cidade do Rio de Janeiro (1890-1937). 1996. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

POLAK, Y. N. S.; SANTANA, J. R.; ARAÚJO, H. L. M. R. (Org.). Dialogando sobre metodologia científica. 2. ed. Fortaleza: UFC, 2014. p. 34-64.

QUEIROZ, R. B. (Mestre Ratto). Entrevista concedida a Sammia Castro Silva sobre cursos de qualificação na/da capoeira. Fortaleza-CE, 27 jan. 2015.

QUEIROZ, R. B. (Mestre Ratto). Entrevista concedida a Sammia Castro Silva sobre cursos de qualificação na/da capoeira após análise de documentos. Fortaleza-CE, 2 fev. 2016.

RATTS, A. J. P. Fronteiras invisíveis: territórios negros e indígenas no Ceará. 1996. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) – Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1996.

REGO, W. Capoeira Angola: ensaio socioetnográfico, Salvador: Itapuã, 1968.

REIS, L. V. S. O mundo de pernas para o ar: a capoeira no Brasil. 3. ed. Curitiba: CRV, 2010.

ROCHA, G.; TOSTA, S. P. Antropologia & educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

SANTOS, M. Capoeira e mandigas: Cobrinha Verde. Salvador: A Rasteira, 1991.

SILVA, S. C. Campo de saberes da capoeira cearense: um estudo sobre o Centro Cultural Capoeira Água de Beber (2002-2016). 2017. 170 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.

SILVA, S. C.; VASCONCELOS, J. G.; FIALHO, L. M. F. A Capoeira no Ceará. Fortaleza: UECE, 2014.

SOARES, C. E. L. A capoeira escrava no Rio de Janeiro: 1808-1850. 1998. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.

UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Convenção para a salvaguarda do patrimônio cultural imaterial. Paris: Unesco, 2003.

VASCONCELOS, J. G. Besouro cordão de ouro: o capoeira justiceiro. Fortaleza: UFC, 2009.

VASCONCELOS, J. G.; FIALHO, L.; LOPES, T. M. Educação e liberdade em Rousseau. Educação & Formação, Fortaleza, v. 3, n. 8, p. 210-223, 2018. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/278. Acesso em: 20 mar. 2020.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

Publicado

2020-01-23

Como Citar

SILVA, S. C.; VASCONCELOS, J. G.; FLORENCIO, L. R. S. Conexões entre rua e universidade: I Curso de Formação de Professores em determinado grupo de capoeira. Educ. Form., [S. l.], v. 5, n. 14, p. 176–194, 2020. DOI: 10.25053/redufor.v5i14mai/ago.1452. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/1452. Acesso em: 27 nov. 2021.