Estratégias de enfrentamento do racismo na escola: Uma revisão integrativa

Palavras-chave: Racismo, Educação, Escola

Resumo

O objetivo deste artigo foi efetuar uma revisão integrativa de literatura sobre as estratégias de enfrentamento do racismo na escola. Foi realizada uma busca nas bases de dados SciELO (Scientific Electronic Library Online), PePSIC (Periódicos Acadêmicos em Psicologia) e Periódicos CAPES, utilizando os descritores “racismo”, “preconceito racial”, “escola”, “educação”, “combate” e “enfrentamento”. O banco final foi constituído por 20 documentos e os temas mais frequentes nos artigos foram: Lei 10.639/03 e formação docente. Foi constatada pouca produção acerca de temas relacionados a questões raciais e educação infantil. Com relação ao enfrentamento, a maioria dos artigos enfatizavam a importância da formação docente e a Lei 10.639/03 como estratégias para o combate do racismo na escola. Foi verificado que os estudos sobre essa temática precisam se expandir, pois as discussões são importantes para aprofundar o tema e o compartilhamento dos recursos utilizados podem contribuir para o enfrentamento do racismo na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Melo da Silva Carvalho, Universidade Federal de Sergipe

Mestranda em psicologia no PPGPSI/ UFS. Psicóloga da Universidade Federal de Sergipe (UFS), atua como psicóloga educacional no Colégio de Aplicação (UFS).

Dalila Xavier de França, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em Psicologia Social pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, Portugal. Professora titular da Universidade Federal de Sergipe.

Referências

ABREU, M.; MATTOS H. Em torno das “Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro--Brasileira e Africana”: uma conversa com historiadores. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 21, p. 5-20, 2008.

AGUIAR, M. M.; PIOTTO, D.C.; CORREA, B. C. Relações étnico-raciais e formação docente: situações de discriminação racial na educação infantil. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 9, n. 2, p. 373-388, 2015.

ALLPORT, G.W. La naturaleza del prejuicio. 4. ed. Buenos Aires: Eudeba Universitaria, 1971.

AROCHA, J. et al. Elegguáy respeto por los afrocolombianos: una experiencia con docentes de Bogotá en torno a la Cátedra de Estudios Afrocolombianos. Revista de Estudios Sociales,Bogotá, n. 27, p. 94-105, 2007.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: 70, 2011.

BRASIL. Lei n. 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei n.9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 10 jan. 2003.

CARVALHO, I. B.; CASTRO,A. C. Currículo, racismo e o ensino de Língua Portuguesa: as relações étnico-raciais na educação e na sociedade. Educação e Sociedade, Campinas, v. 38, n. 138, p. 133-151, 2017.

CAVALLEIRO, E.S. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação infantil. 1998. 240f. Dissertação (Mestrado em Educação) –Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

CUNHA, G. O. Memória da Insurreição do Queimado (1845-1850) Serra-ES: a precursora da Lei n.10.639/2003. Revista Simbiótica, Vitória,v. 2, n. 2, p. 1-14, 2015.

FERREIRA, R. F.; CAMARGO A.C. As relações cotidianas e a construção da identidade negra. Psicologia: Ciência e Profissão, Maranhão,v. 31, n. 2, p. 374-389, 2011.

FRANCISCO JÚNIOR, W. E. Educação anti-racista: reflexões e contribuições possíveis do ensino de Ciências e de alguns pensadores. Ciência & Educação,Bauru,v. 14, n. 3, p. 397-416, 2008.

GOMES, I. A. N.; BOEING, K. C.; ALEXANDRE, I. J. Exclusão e desigualdade no mundo globalizado. Revista Eventos Pedagógicos, Sinop, v. 3, n. 2, p. 377-385, 2012.GOMES, N. L. Educação e relações raciais: refletindo sobre algumas estratégias de atuação. In: MUNANGA, K. (Org.). Superando o racismo na escola. 2. ed. Brasília, DF: MEC, 2005. p. 143-154.

IBGE –Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.IBGE –Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio:síntese de indicadores. Rio de Janeiro: IBGE, 2016.

LIMA, M. E. O.; VALA,J. As novas formas de expressão do preconceito e do racismo. Estudos de Psicologia, Natal,v. 9, n. 3, p. 401-411, 2004.

MACEDO, A. A gestão escolar democrática e a implementação da educação antirracista na escola. Revista Espaço Acadêmico,Maringá, v.16, n.187, p. 106-120, 2016.

MATOS, M. S.; BISPO, A. M. C.; LIMA, E. A. C. Educação antirracista e a Lei 10.639/03: uma proposta de implementação a partir do novembro negro do IFBA. Holos, Natal, v.2, p. 349-359, 2017.

MOURA, A. L. C.; AUTIELLO, S. L. M. A imprensa negra como possibilidade estratégica de trabalho para a formação leitora no espaço escolar. Entreletras, Araguaína, v. 8, n. 2, p. 282-300, 2017.

ORLANDO, A. F.; FERREIRA, A. J. A sensibilização sobre a diversidade étnico-racial na formação inicial e/ou continuada de professores de línguas. Acta Scientiarum, Maringá, v. 36, n. 2, p. 207-216, 2014.

PETTIGREW, T.F.;TROPP, L.R. How does intergroup contact reduce prejudice? Meta-analytic tests of three mediatours. Conferenceof the Society for the Psychological Study of Social Issues held in Long Beach, California, 2006.

PINTO, K. C. G. Baixada afro-brasileira: valorização das manifestações artísticas e culturais. Relacult, Jaguarão, v. 3, p. 109-120, 2017.

RIEDMANN, A.; STEFONI, C. Sobre el racismo, su negación y las consecuencias para una educaciónanti-racista enla enseñanza secundaria chilena.Polis,Santiago, v. 14, n.42, p. 191-216, 2015.

ROHDEN, F. Gênero, sexualidade e raça/etnia: desafios transversais na formação do professor. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 136, p. 157-174, 2009.

ROMAN, A.R.; FRIEDLANDER, M.R. Revisão integrativa de pesquisa aplicada à Enfermagem. Cogitar e Enfermagem, Curitiba, v. 3, n. 2, p.109-112, 1998.

ROSEMBERG, F.; BASILLI, C.; SILVA, P. V. B. Racismo em livros didáticos brasileiros e seu combate: uma revisão da literatura. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 1, p.125-146, 2003.

RUTLAND, A.;BROWN, R. Reducing prejudice in children: extended report. PhD Thesis of Lindsey –University of Kent, 2005.

SANTANA, M. S. Uma polêmica historiográfica e sua permanência espectral na história escolar.Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v.11, n.3, p.1481-1495, 2016.

SANTOS, C. F. Escola e preconceito: relações raciais na ótica dos professores. 2014. 135f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) –Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2014.

SANTOS, S. A. et al. Ações afirmativas: polêmicas e possibilidades sobre igualdade racial e o papel do Estado. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 16, n. 3, p. 913-929, 2008.

SÃO PAULO, E. Preliminary studies on affirmative action in a Brazilian university. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 11, n. 3, p. 27-45, 2010.

SILVA, T. R.; DIAS, A. A. O racismo sob a forma de violência silenciosa e as contribuições da Pedagogia Institucional no seu enfrentamento. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v.21, n.1, p.72-92, 2013.

TREVISAN, A. C. R.; DALSIN, A. O que as imagens dos livros didáticos de Matemática nos dizem sobre multiculturalismo? Educação, Matemática, Pesquisa, São Paulo, v.16, n.2, p. 459-478, 2014.

VALENTE, A. L. Ação afirmativa, relações raciais e educação básica. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 28, p. 62-77, 2005.

WELLER, W.; SILVEIRA, M. Ações afirmativas no sistema educacional: trajetórias de jovens negras da universidade de Brasília. Estudos Feministas, Florianópolis, v.16,n. 3, p. 931-947, 2008.

Publicado
2019-06-18
Como Citar
CARVALHO, D.; FRANÇA, D. Estratégias de enfrentamento do racismo na escola: Uma revisão integrativa. Educação & Formação, v. 4, n. 12 set/dez, p. 148-168, 18 jun. 2019.