Reações familiares diante da criança em situação de deficiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v4i12.912

Palavras-chave:

Família. Deficiência. História de Vida.

Resumo

Este estudo teve por finalidade apreender a complexidade vivida pela família da criança em situação de deficiência a partir do seu próprio ponto de vista. Foram realizadas entrevistas na linha não-diretiva e de ajuda, com seis mães de crianças em situação de deficiência, que descreveram suas histórias de vida. A partir dos relatos, construiu-se a discussão sobre diferentes tópicos e neste texto trataremos especificamente das reações familiares diante do nascimento de uma criança em situação de deficiência na família. Negar, rejeitar, buscar um culpado para a situação, refugiar-se no seu sofrimento são algumas reações perfeitamente possíveis nos pais de crianças em situação de deficiência. Todavia, a busca do equilíbrio e o encaminhamento das questões afetas ao ser desviante tendem a surgir com o tempo e o filho em situação de deficiência é quase sempre incorporado à dinâmica familiar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Pacheco Marques, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professora da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Referências

BENJAMIN, A. A entrevista de ajuda. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1985.

LEFÈVRE, B. H. Mongolismo: orientação para famílias. 2. ed. São Paulo: Almed, 1985.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MANNONI, M. A criança retardada e a mãe. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

MOURA, M. D. Nascimento do concepto mal-formado: aspectos psicológicos. Belo Horizonte: Hospital Mater Dei, s.d. (Mimeo).

MARQUES, L. P. Em busca da compreensão da problemática da família do excepcional. 1992. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1992.

QUEIROZ, M. I. P. Relatos orais: do “indizível” ao “dizível”. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 39, n. 3, p. 272-286, 1987.

SILVA, S. F. Experiências e necessidades de mães após o diagnóstico de deficiência mental do filho. Dissertação de Mestrado. São Carlos: UFSCar, 1988.

TELFORD, C.; SAWREY, J. M. O indivíduo excepcional. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

THIOLLENT, M. Crítica metodológica, investigação social e enquete operária. São Paulo: Polis, 1982.

Publicado

2019-09-02

Como Citar

MARQUES, L. P. Reações familiares diante da criança em situação de deficiência. Educ. Form., [S. l.], v. 4, n. 12, p. 67–81, 2019. DOI: 10.25053/redufor.v4i12.912. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/912. Acesso em: 19 set. 2021.