A SOLIDÃO EM ‘ZARATUSTRA’ COMO ELEMENTO INDICATIVO PARA A FORMAÇÃO HUMANA

Palavras-chave: Solidão, Formação humana, Além-homem

Resumo

O presente artigo tem como objetivo destacar a solidão como um elemento necessário para a formação humana e colhe nas obras Assim falava Zaratustra e O Anticristo os aspectos formativos da solidão tanto em seu sentido literal como em seu sentido figurado. Em termos metodológicos concentramo-nos numa ideia de interpretação para investigar o sentido e a possível variação no uso do termo solidão por Nietzsche. Tomando o pensador alemão como referencial teórico, diferenciamos o isolamento e o abandono da solidão, sendo que aqueles enfraquecem a vida humana e esta pode tonificá-la. Concluímos, portanto, que a solidão em Zaratustra contém elementos que podem conduzir o ser humano a uma busca do melhor ou do mais elevado de si, em outros termos, ao além-homem. Por fim, a coragem para a vida na solidão emerge como um aspecto necessário da formação humana.

 

Biografia do Autor

Valquiria Vasconcelos da Piedade Souza, PPGE - Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda em Filosofia da Educação pala Universidade Federal de Santa Catarina

Helder Félix Pereira de Souza, Instituto Federal Catarinense/Brusque

Doutorado em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor de Folosofia do Instituto Federal Catarinense de Brusque

Lúcia Schneider Hardt, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004). Atualmente é professora associada da Universidade Federal de Santa Catarina. 

Publicado
2019-03-21
Como Citar
Vasconcelos da Piedade Souza, V., Pereira de Souza, H., & Schneider Hardt, L. (2019). A SOLIDÃO EM ‘ZARATUSTRA’ COMO ELEMENTO INDICATIVO PARA A FORMAÇÃO HUMANA. Educação & Formação, 4(11 mai/ago), 41-59. https://doi.org/10.25053/redufor.v4i11.485