Representações sociais de professores do ensino superior das ciências exatas e da natureza quanto à definição de docência universitária

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/edufor.v2i4.1918

Palavras-chave:

Docência universitária, Professores das Ciências Exatas e da Natureza, Representações sociais

Resumo

O presente texto visa compreender como os professores universitários definem a docência universitária a partir das representações sociais construídas pelo grupo. Como base teórica, utilizou-se a Teoria das Representações Sociais a partir da perspectiva cultural de Jodelet (2005) e Moscovici (1978) no campo da Docência Universitária. A pesquisa foi de caráter qualitativo, realizada com 14 docentes do Centro de Ciências Exatas e da Natureza da Universidade Federal de Pernambuco, por meio da aplicação de um questionário semiprojetivo. Os resultados apontaram que a definição de docência universitária é construída a partir do envolvimento com atividades de pesquisa e da busca pela estabilidade na carreira. Nesse sentido, carece haver uma maior atenção para a oferta de uma formação continuada pedagógica que possa debater aspectos amplos da docência universitária, mas que também compreenda e considere as características próprias de cada curso, uma vez que esses possuem peculiaridades, lacunas e práticas específicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRIC, J. C. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A. S. P.; OLIVEIRA, D. C. (Org.). Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia: AB, 1998. p. 27-38.

ALMEIDA, M. I.; PIMENTA, S. G. A construção da pedagogia universitária no âmbito da Universidade de São Paulo. In: PIMENTA, S. G.; ALMEIDA, M. I. (Org.). Pedagogia universitária: caminhos para a formação de professores. São Paulo: Cortez, 2011. p. 19-43.

ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: Univille, 2004.

ARRUDA, A. Despertando do pesadelo: a interpretação. In: SOUSA, C. P. et al. (Org.). Angela Arruda e as representações sociais: estudos selecionados. Curitiba: Champagnat; São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2014. p. 117-146.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: 70, 1988.

BECKER, F. Epistemologia do professor de Matemática. Petrópolis: Vozes, 2012.

CUNHA, M. I. A educação superior e o campo da pedagogia universitária: legitimidades e desafios. In: ISAIA, S. M. A.; BOLZAN, D. P. V. (Org.). Pedagogia universitária e desenvolvimento profissional docente. Porto Alegre: PUC, 2009. p. 349-374.

DIAS SOBRINHO, J. Democratização, qualidade e crise da educação superior: faces da exclusão e limites da inclusão. Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1223-1245, 2010.

FERNANDES, S.; FLORES, M. A. A docência no contexto da avaliação do desempenho no ensino superior: reflexões no âmbito de um estudo em curso. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, Madrid, v. 5, n. 2, p. 82-98, 2012.

FERREIRA, A. B. H. Miniaurélio século XXI escolar: o minidicionário da Língua Portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

GOULART, G. A. R. O lugar da docência na universidade: uma análise das representações sobre o professor universitário. 2013. 156 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós- -Graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

JODELET, D. Loucuras e representações sociais. Petrópolis: Vozes, 2005.

MACHADO, L. B. Representações sociais, educação e formação docente: tendências e pesquisas na IV Jornada Internacional. Educação em Foco, Recife, p. 1-10, 2008.

MARQUES, W. Ensino, pesquisa e gestão acadêmica na universidade. Avaliação, Campinas, v. 16, n. 3, p. 685-701, 2011.

MINAYO, M. C. S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 26. ed. Petrópolis: Vozes, 2007. p. 9-29.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

MOURA, C. F. Reação à frustração: construção e validação da medida e proposta de um perfil de reação. 2008. 169 f. Tese (Doutorado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2008.

OLIVEIRA, V. F. Em que espelhos andamos nos projetando? Entre representações e saberes: o professor universitário. Revista Iberoamericana de Educación, Madrid, v. 43, n. 4, p. 1-10, 2007.

SANTOS, B. S. A universidade do século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. Educação, Sociedade e Cultura, Porto, n. 23, p. 137-202, 2005.

SANTOS, W. T. P. Licenciaturas: diferentes olhares na construção de trajetos de formação. 2003. 271 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

XIMENES, A. O. A identidade profissional docente do ensino superior. 2008. 230 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.

ZABALZA, A. M. O ensino universitário: seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Downloads

Publicado

2017-01-02

Como Citar

SILVA, N. G.; AGUIAR, M. da C. C. Representações sociais de professores do ensino superior das ciências exatas e da natureza quanto à definição de docência universitária. Educ. Form., [S. l.], v. 2, n. 4, p. 124–142, 2017. DOI: 10.25053/edufor.v2i4.1918. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/144. Acesso em: 19 set. 2021.