CONTINUIDADES E TRANSFORMAÇÕES DA FORMAÇÃO DE DOCENTES DA ARGENTINA: POLÍTICAS E REFORMAS DESDE OS ANOS 80

Palavras-chave: Formação de professores, Políticas e reformas

Resumo

Entender as continuidades e transformações na Formação de Professores na Argentina durante o período 1985-2015 requer reconhecer simultaneamente duas dinâmicas chave de longa data: Primeiro, os debates ideológicos, políticos e pedagógicos sobre quem poderia e deveria ser um professor e de que instituição deveria estar encarregado de educar / produzir bons professores na Argentina. Segundo, ensinar como qualquer outra ocupação é tensionado por múltiplos conflitos de trabalho com dimensões econômicas, políticas, culturais e sociais que se cruzam. Neste capítulo, argumentaremos que, em termos gerais, essas duas dinâmicas se aglutinam e se cristalizam em torno da definição do status profissional dos professores e, consequentemente, nas instituições designadas para educá-los, os Programas de Formação de Professores.

Biografia do Autor

Gustavo Enrique Fischman, Arizona State University

Doutor em Emphasis in anthropology, gender studies, and edu pela University of California, Los Angeles, Estados Unidos, Present Coordinator do FLACSO.

Paula Razquin, Universidad de San Andrés

Doutora em educação (International Comparative Education) pela Universidad de Stanford, Estados Unidos (2003). É Profesora-Investigadora (Tiempo Completo) na Escola de Educação da Universidade de San Andrés.

Publicado
2019-08-05
Como Citar
Fischman, G., & Razquin, P. (2019). CONTINUIDADES E TRANSFORMAÇÕES DA FORMAÇÃO DE DOCENTES DA ARGENTINA: POLÍTICAS E REFORMAS DESDE OS ANOS 80. Educação & Formação, 4(12 set/dez). https://doi.org/10.25053/redufor.v4i12.1420