Formação docente e as relações dialéticas da brincadeira e do jogo nas teorias de Elkonin, Vigotski, Luria, Leontiev e Wallon

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v7.e7339

Palavras-chave:

Jogo, Dialética, Teoria Histórico-Cultural, Formação docente

Resumo

O artigo apresenta-se com o objetivo de analisar as relações dialéticas da brincadeira e do jogo no campo da educação, como atividades que promovem o desenvolvimento humano em uma perspectiva histórico-social-cultural e dialética, referenciando-se nas teorias de Elkonin (2009, 2017), Vigotski (1996, 2008, 2017), Leontiev (1983, 2010), Luria (1992, 2010) e Wallon (1975, 2007). Tem-se como problema: quais determinações teóricas os autores Elkonin, Vigotski, Leontiev, Luria e Wallon apresentam quanto à percepção e ao desenvolvimento da brincadeira e do jogo como atividade, desenvolvimento humano e recurso de ensino? Nessa perspectiva, destacam-se elementos fundamentais nas teorias dos autores mencionados determinando suas principais contribuições para sustentar as ações do trabalho docente. Apoia-se no método histórico-dialético para análise, evidenciado na obra de Marx (1968, 1982) e de Vicente (2007). Em seguida, desenvolvem-se algumas considerações, sinalizando uma aproximação teórica, por meio do materialismo histórico-dialético sobre os conhecimentos da brincadeira e do jogo, desenvolvendo categorias de totalidade, contradição, movimento e transformação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Silva Silvestre, Universidade Federal de Goiás

Doutorando do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática UFG. Mestre em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade Federal de Goiás. Professor da Secretaria Municipal de Educação (Goiânia), do Colégio LASSALE e do Ensino Superior (INSTITUTO WALLON)(UNIFAN). Integrante do GEMat, Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Atividade Matemática e também do GT 07 sobre a formação de professores que ensinam matemática da SBEM - Sociedade Brasileira de Educação Matemática.

Ivone Garcia Barbosa, Universidade Federal de Goiás

Doutora em Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. Professora Titular na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás.

Referências

BARBOSA, I. G. Pré-escola e formação de conceitos: uma versão sócio-históricodialética. 1997. Tese (Doutorado em Psicologia da Educação) – Programa de PósGraduação em Psicologia da Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

BARBOSA, I. G. Psicologia sócio-histórico-dialética e Pedagogia sócio-histórico-dialética: contribuições para repensar as teorias pedagógicas e suas concepções de consciência. 1991. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Goiânia, Goiânia, 1991.

BROUGERE, G. A criança e a cultura lúdica. In: KISCHIMOTO, T. (org.). O brincar e suas teorias. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002. p. 19-32.

ELKONIN, D. B. Psicologia do jogo. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

ELKONIN, D. B. Sobre o problema da periodização do desenvolvimento psíquico na infância. In: LONGAREZI, A. M.; PUENTES, R. V. (org.). Ensino desenvolvimental: antologia. Livro I. Uberlândia: UFU, 2017. p. 149-172.

FONSECA, A. D.; COLARES, A. A.; COSTA, S. A. Educação infantil: história, formação e desafios. Educação & Formação, Fortaleza, v. 4, n. 12, p. 82-103, 2019. DOI: 10.25053/redufor.v4i12.1270.

GADOTTI, M. A dialética: concepção e método. In: GADOTTI, M. Concepção dialética da educação. 7. ed. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1990. p. 15-38.

KISCHIMOTO, T. M. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 1996.

LEONTIEV, A. N. Actividad, consciencia, personalidad. Habana: Pueblo y Educación, 1983.

LEONTIEV, A. N. Os princípios psicológicos da brincadeira pré-escolar. In: VIGOTSKI, L. S. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 11. ed. São Paulo: Ícone, 2010. p. 119-142.

LURIA, A. R. A construção da mente. Traduzido de Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Ícone, 1992.

LURIA, A. R. O desenvolvimento da escrita na criança. In: VIGOTSKI, L. S. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 11. ed. São Paulo: Ícone, 2010. p. 143-192.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968. v. 1.

MARX, K. Para a crítica da economia política; Salário, preço e lucro; O rendimento e suas fontes: a economia vulgar. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

MUNIZ, C. A. Brincar e jogar: enlaces teóricos e metodológicos no campo da educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

NASCIMENTO, C. P.; ARAÚJO, E. S.; MIGUÉIS, M. R. O jogo como atividade: contribuições da teoria histórico-cultural. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 293-302, 2009.

SILVA, E. A. O jogo na perspectiva da teoria histórico-cultural na educação infantil de Cuba. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2010.

SILVESTRE, B. S. A formação do professor de Matemática: o jogo como recurso de ensino. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

VICENTE, I. G. S. La dialéctica como arma, método, concepción y arte. Euskal Herria: Rebelión, 2007.

VIGOTSKI, L. S. A brincadeira e seu papel no desenvolvimento psíquico da criança. Revista Virtual de Gestão de Iniciativas Sociais, Rio de Janeiro, n. 8, p. 23-36, 2008.

VIGOTSKI, L. S. O problema do ambiente na Pedologia. In: LONGAREZI, A. M.; PUENTES, R. V. (org.). Ensino desenvolvimental: antologia. Livro I. Uberlândia: UFU, 2017. p. 15-38.

VIGOTSKI, L. S. Obras escogidas IV: psicologia infantil. Madrid: Visor, 1996.

WALLON, H. A evolução psicológica da criança. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

WALLON, H. Psicologia e educação da infância. Lisboa: Estampa, 1975.

Publicado

2022-06-15

Como Citar

SILVESTRE, B. S.; BARBOSA, I. G. Formação docente e as relações dialéticas da brincadeira e do jogo nas teorias de Elkonin, Vigotski, Luria, Leontiev e Wallon. Educ. Form., [S. l.], v. 7, p. e7339, 2022. DOI: 10.25053/redufor.v7.e7339. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/7339. Acesso em: 29 jun. 2022.