Motivos para a evasão das meninas em Projetos de Inclusão Social por meio do esporte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v7.e7189

Palavras-chave:

Gênero, Esportes, Inclusão Social, Evasão, Meninas

Resumo

Este estudo exploratório procurou verificar os motivos de ex-alunas em Projetos de Inclusão Social esportivos (PIS) para evasão das atividades. Responderam ao questionário semiestruturado 23 professores (M idade = 37,7 anos) e foram entrevistadas dez ex-alunas (M idade = 17,1 anos) em dois PIS situados no interior de favelas no Rio de Janeiro. As informações extraídas respeitaram os critérios de análise de narrativa, sendo triangulados com o referencial teórico da área. Foram identificados motivos para evasão de ordem social, pedagógico, psicológico e de gestão. A necessidade de trabalhar e estudar foram os principais motivos apontados para evasão. Os procedimentos didáticos nas aulas também foram citados com destaque, além da descontinuidade das políticas públicas de esporte e lazer para as camadas populares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jose Antonio Vianna, Universidade do Estado do Rio de Janeiro/ Universidade de Coimbra

Pós-Doutorado em Ciências do Desporto na Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física na Universidade de Coimbra, é professor no Programa de Pós-Graduação de Ensino na Educação Básica - CAp / Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Líder no Grupo de Pesquisa em Percepções do Cotidiano Escolar PPGEB / UERJ.

Ulhiana Maria de Medeiros Arruda, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Mestra em Ensino na Educação Básica no Programa de Pós-Graduação de Ensino na Educação Básica - CAP / Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Paulo Coelho Araújo, Universidade de Coimbra

Doutor em Ciências do Desporto na Universidade do Porto, é professor Associado de Nomeação Definitiva na Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física na Universidade de Coimbra.

Referências

ALTMANN, H. et al. Gênero e cultura corporal de movimento: práticas e percepções de meninas e meninos. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v.1, n. 26, p. 1-16, 2017.

ALTMANN, H.; AYOUB, E.; AMARAL, S. Gênero na prática docente em Educação Física: “meninas não gostam de suar, meninos são habilidosos ao jogar?”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 491-501, 2011.

ANISZEWSKI, E.et al. A (des)motivação nas aulas de Educação Física e a satisfação das necessidades de competência, autonomia e vínculos sociais. Journal of Physical Education, Maringá, v. 30, n. 1, e-3052, 2019.

BEAN, C. N.et al. Putting program evaluation into practice: Enhancing the Girls Just Wanna Have Fun program. Evaluation and Program Planning, [S.l.], v. 49, p. 31-40, 2015.

BENTO, G. G.et al. Prevalence and factors associated with physical activity in socially vulnerable children. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 25, n. 4, p.285-289, 2019.

BERTOLLO, S. H. J; SCHWENGBER, M. S. V. III Plano Nacional de Políticas para as Mulheres: percurso de uma pré-política de esporte e lazer. Movimento, Porto Alegre, v. 23, n. 2, p. 783-796, 2017.

BHAN, N.et al. Sport as a vehicle of change for livelihoods, social participation and marital health for the youth: findings from a prospective cohort in Bihar, India. EClinicalMedicine, [S.l.], v. 20, p. 100302, 2020.

BITTENCOURT, D.R.; BASSALO, L. M. B. O corpo é voz, mas na Educação Física não: compreensões sobre corpo na formação docente. Educação & Formação, Fortaleza, v.6, n.2, e4091, 2021.

BRASIL. A prática de esporte no Brasil.Brasília, DF: Ministério do Esporte, 2015.

BRAUNER, L. M.; VALENTINI, N. C.; SOUZA, M. S. Programa de iniciação esportiva influencia a competência percebida de crianças?. Psico-USF, São Paulo, v. 22, n. 3, p.527-539, 2017.

CELY, E.et al.O ensino diferenciado nas aulas de Educação Física. Revista Brasileira de Educação Física Escolar, v. 1, n. 3, p. 105-118, 2017.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1998.

CLARKE, F.; JONES, A.; SMITH, L. Building peace through sports projects: a scoping review. Sustainability, [S.l.], v. 13, n. 4, p. 21-29, 2021.

COLLINS, M.; HAUDENHUYSE, R. Social exclusion and austerity policies in England: the role of sports in a new area of social polarisation and inequality? Social Inclusion, [S.l.], v. 3, n. 3, p. 5-18, 2015.

CONSTANTINO, A.; SILVA, E. Diferenciação pedagógica em Educação Física – Como a entendem os professores. Gymnasium, [S.l.], v. 1, n.1, s.p., 2015.

CORTÊS NETO, E. D.et al.The resilience of adolescent participants in social projects for sport. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 25, n. 3, p. 901-908, 2020.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e mistos.2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DA COSTA, L. et al.Projetos de inclusão social I: história e conceitos. In: DACOSTA, L.(org.).Atlas do esporte no Brasil.Rio de Janeiro: Shape, 2005.p. 597-601.

GOELLNER, S. V. Gênero e esporte na historiografia brasileira: balanços epotencialidades. Revista Tempo,Niterói,v. 19, n. 34, p. 45-52, 2013.

HENRIQUE, J.; ANISZEWSKI, E.; SIMÕES, G. Motivation in School Physical Education: a path to the education of physically active individuals. Journal of Physical Fitness, Medicineand Treatment in Sports, [S.l.], v. 7, n. 5, p. 1-4, 2020.

HILLS, S.; WALKER, M.; BARRY, A. E. Sport as a vehicle for health promotion: A shared value example of corporate social responsibility. Sport Management Review, v. 22, n. 1, p. 126-141, 2019.

KRAVCHYCHYN, C.; OLIVEIRA, A. A. B. Projetos e programas sociais esportivos no brasil: uma revisão sistemática. Movimento, Porto Alegre, v. 21, n. 4, p. 1051-1065, 2015.

LOPES, L.S.; SILVA, F.J.; FERREIRA, A.V. (Pedagogia da) Convivência e práticas socioeducativas em uma ONG no Complexo do Salgueiro em São Gonçalo-RJ. Educação & Formação, Fortaleza, v.5, n.14, p.73-92, 2020.

MEDEIROS, U.M.A. A aderência de meninas a Projetos de Inclusão Social por meio do esporte na cidade do Rio de Janeiro. 2020. Dissertação (Mestrado em Ensino em Educação Básica)–Programa de Pós-Graduação em Ensino em Educação Básica,Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,2020.

MEDEIROS, U.M.A.; VIANNA, J.A. Motivos para o ingresso, a permanência e a evasão de meninas em Projetos de Inclusão Social por meio do esporte. Revista Cocar,Belém, v.15, n.32, p.1-18, 2021.

MINAYO, M. Pesquisa social: teoria, método e criatividade.28.ed. Petrópolis: Vozes, 2009. ONU MULHERES (Brasil). ONU Mulheres: uma vitória leva à outra.2016. Destaques. Disponível em: http://www.onumulheres.org.br/destaques/uma-vitoria-leva-a-outra/.Acesso em: 20out. 2020.

PIKE, E. C. J.; PAGE, A.; VINAS, V. Playing out:a movement for movement?.Frontiers in Sociology, [S.l.] v. 3, p. 32, 2018.

PRADO, V. M.; RIBEIRO, A.I.M. Educação física escolar, esportes e normalização: o dispositivo de gênero e a regulação de experiências corporais. Revista deEducação, Campinas, n. 19, v.3, p. 205-214, 2014.

SCOTT, J. Gênero:uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, 1990.

SCHAILLÉE, H.; THEEBOOM, M.; VAN CAUWENBERG, J. What makes a difference for disadvantaged girls? Investigating the interplay between Group Composition and Positive Youth Development in Sport. Social Inclusion, [S.l.], v. 3, n. 3, p. 51-66, 2015.

SILVA, I. P.; DIAS, A. F.; RIOS, P. P. S. Os estudos de gênero na Revista Tempos e Espaços em Educação: uma revisão sistematizada. Educação & Formação, Fortaleza, v.5, n.14, p.150-175, 2020.

UNDP. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Movimento é vida atividades físicas e esportivas para todas as pessoas.[S.l.: s.n.], 2017.

VIANNA, J. A.; LOVISOLO, H. R. A inclusão social através do esporte: a percepção dos educadores. RevistaBrasileira deEducaçãoFísica doEsporte, São Paulo, v.25, n.2, p.285-96, 2011.

VIANNA, J. A.; LOVISOLO, H. R. Desvalorização da aprendizagem técnica na Educação Física: evidências e críticas. Revista Motriz, Rio Claro, v. 15, n. 4, p. 883-889, 2009.

VIANNA, J. A.; LOVISOLO, H. R. Sports: the expectation of children and young practitioners in the favela. Journal of Physical Education and Sports Management, [S.l.], v. 5, n. 1, p. 22-29, 2018.

VIANNA, J. A.; SOUZA, S. M.; REIS, K. P. Bullyingnas aulas de Educação Física: a percepção dos alunos no Ensino Médio. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação,Rio de Janeiro, v.23, n.86, p 73-93, 2015.

VOTRE, S.J. et al. Gênero e atividade física. Rio de Janeiro: Mauad X: Faperj, 2011.

ZALUAR, A. Cidadãos não vão ao paraíso.São Paulo: Escuta, 1994.

Publicado

2022-04-28

Como Citar

VIANNA, J. A.; ARRUDA, U. M. de M.; ARAÚJO, P. C. Motivos para a evasão das meninas em Projetos de Inclusão Social por meio do esporte. Educ. Form., [S. l.], v. 7, p. e7189, 2022. DOI: 10.25053/redufor.v7.e7189. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/7189. Acesso em: 16 maio. 2022.