O plano de trabalho de professores de educação física ex-participantes do PIBID/FEF/UFMT

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v6i1.2081

Palavras-chave:

Planejamento, Educação Física, PIBID

Resumo

Programas como o PIBID – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - tem buscado aperfeiçoar a formação de professores em nível superior e melhorar a qualidade da Educação Básica pública brasileira. Considerando as vivências proporcionadas pelo referido projeto em relação ao planejamento nas aulas de Educação Física, objetivamos identificar as possíveis contribuições do subprojeto PIBID/FEF/UFMT para a prática pedagógica de professores egressos do programa. Foi desenvolvida uma pesquisa qualitativa com quatro professores de Educação Física da rede municipal de ensino de Cuiabá-MT. O método utilizado foi o estudo de caso. O instrumento foi a entrevista semi-estruturada. Os dados revelam que as experiências proporcionadas pelo subprojeto ajudaram no sentido de saber como e quais referenciais podem servir de base para elaboração do Plano de Trabalho docente, os possíveis conteúdos a serem selecionados, a importância da ação e reflexão sobre a prática pedagógica, bem como a organização e intencionalidade docente.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elaine Cristina Silva, Universidade do Estado do Mato Grosso

Mestra. Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Faculdade de Ciências da Saúde. Participa do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Práticas Pedagógicas (GEEFE).

Evando Carlos Moreira, Universidade Federal de Mato Grosso

Pós-doutor. Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Departamento de Teoria e Fundamentação. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Práticas Pedagógicas (GEEFE).

Referências

ALMEIDA, F. Q. Educação Física Escolar e práticas pedagógicas inovadoras: uma revisão. Corpoconsciência, Cuiabá, v. 21, n. 3, p. 7-16, 2017.

BARBOSA, C. L. A. Educação Física e Didática: um diálogo possível e necessário. Petrópolis: Vozes, 2010.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto, 1994.

BRASIL. Decreto nº 7.219, de 24 de junho de 2010. Dispõe sobre o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 25 jun. 2010.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 21 dez. 1996.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília, DF: MEC/SEF, 1997.

DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. Educação Física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

FORMOSINHO, J. (coord.). Formação de professores: aprendizagem profissional e acção docente. Porto: Porto, 2009.

GANDIN, D.; GANDIN, L. A. Temas para um projeto político-pedagógico. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

GATTI, B. A. et al. Um estudo avaliativo do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid). São Paulo: FCC/SEP, 2014.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (org.). Vida de professores. 2. ed. Porto: Porto, 2007. p. 31-78.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e incerteza. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

KAWASHIMA, L. B. Sentidos e significados da Educação Física para os alunos do IFMT – campus São Vicente: a pesquisa-ação como forma de construção coletiva de conhecimento. 2018. 723 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós- -Graduação em Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2018.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

LUCKESI, C. C. Filosofia da educação. São Paulo: Cortez, 1994.

MARTINEZ, M. J.; LAHONE, C. O. Planejamento escolar. São Paulo: Saraiva, 1977.

MATO GROSSO. Orientações curriculares: área de Linguagens: Educação Básica. Cuiabá: Seduc, 2010.

MENEGOLLA, M.; SANT’ANNA, I. M. Por que planejar? Como planejar. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1995.

MOREIRA, E. C.; PEREIRA, R. S. A Educação Física na construção do projeto político- -pedagógico da escola. In: MOREIRA, E. C. (org.). Educação Física escolar: desafios e propostas. 2. ed. Jundiaí: Fontoura, 2009. p. 21-42.

NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

OFFSIDE. Direção: Jafar Panahi. Intérpretes: Shayesteh Irani, Sima Mobarak-Shahi, Ayda Sadeqi e outros. Roteiro: Jafar Panahi, Shadmehr Rastin. Música:Koorosh Bozorgpour. Produzido por: Sony pictures classics. Irã. 2006, 1 DVD (86 min.).

PERASSOLLI, M. A.; ALVES, F. D. As contribuições do Pibid para a formação inicial na docência em Educação Física. In: ALVES, F. D.; RAMOS, G. N. S.; SOUZA JÚNIOR, O. M. (org.). Formação inicial de professores de Educação Física: experiências do Pibid/UFSCar. Curitiba: CRV, 2015. p. 17-30.

RAMOS, G. N. S. et al. O Pibid como espaço de formação compartilhada: aprendendo na e com a convivência. In: ALVES, F. D.; RAMOS, G. N. S.; SOUZA JÚNIOR, O. M. (org.). Formação inicial de professores de Educação Física: experiências do Pibid/UFSCar. Curitiba: CRV, 2015. p. 88-102.

SOARES, C. L. et al. Metodologia do ensino de Educação Física. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2006.

UFMT – Universidade Federal de Mato Grosso. Detalhamento do subprojeto Pibid/FEF/UFMT. Cuiabá: UFMT, 2012.

UFMT – Universidade Federal de Mato Grosso. Detalhamento do subprojeto Pibid/FEF/UFMT. Cuiabá: UFMT, 2013.

VASCONCELLOS, C. S. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico: elementos metodológicos para elaboração e realização. 7. ed. São Paulo: Libertad, 2000.

Publicado

2021-01-01

Como Citar

SILVA, E. C.; MOREIRA, E. C. O plano de trabalho de professores de educação física ex-participantes do PIBID/FEF/UFMT. Educ. Form., [S. l.], v. 6, n. 1, p. e2081, 2021. DOI: 10.25053/redufor.v6i1.2081. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/2081. Acesso em: 18 maio. 2022.