FORMAÇÃO DOS TRABALHADORES PARA O CAPITAL:

UMA ANÁLISE DE PROJETOS PEDAGÓGICOS DE CURSOS TÉCNICOS SUBSEQUENTES DO IFSC, CAMPUS FLORIANÓPOLIS.

  • Mariléia Maria da Silva Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Thaís Guedes Instituto Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Projeto Pedagógico; Ensino Técnico Subsequente; Formação profissional.

Resumo

Este artigo tem como objeto discutir a formação dos trabalhadores no Ensino Técnico Subsequente mediante análise dos projetos pedagógicos de cinco cursos do Instituto Federal de Santa Catarina/Campus Florianópolis. Observou-se a presença da Pedagogia das Competências como eixo na composição curricular dos cursos. Destaca-se, também, a articulação com a iniciativa privada para o desenho dos projetos dos cursos, a presença preponderante de disciplinas de cunho técnico e o discurso do empreendedorismo nos projetos que, num contexto institucional de crescimento de ofertas formativas de curta duração, alinham-se às discussões sobre as novas dinâmicas capital-trabalho, articuladas à educação com a revitalização da Teoria do Capital Humano. A análise dos projetos deu sinais de que os grupos proponentes têm buscado alternativas didático-pedagógicas no enfrentamento de questões ligadas à formação de trabalhadores, no entanto, o debate da formação política à luz da perspectiva crítica de transformação social e superação do capital não se efetiva.

Biografia do Autor

Thaís Guedes, Instituto Federal de Santa Catarina

Mestre em Educação. Pedagoga no Instituto Federal de Santa Catarina/Campus Florianópolis (IFSC)

Referências

ANTUNES, Caio. Marxismo, Educação e Escola. Belém/PA. 2016. Mesa redonda realizada no VII Encontro Nacional de Educação Marxista. Belém – Pará, em 03 de maio de 2016.


BRASIL. CNE/CEB. Parecer nº16, de 05 de outubro de 1999. Trata das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico. Brasília, 1999.

_______. Lei nº11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e dá outras providências. Brasília, 2008.

_______. CNE/CEB. Parecer nº 11, de 09 de maio de 2012. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. Brasília, 2012.

COAN, Marival. Educação para o empreendedorismo: implicações epistemológicas, políticas e práticas. 2011. 540f. Tese (Doutorado em Educação) _ Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2011.

COELHO, Juçara E. A desvinculação dos ensinos médio e técnico na Escola Técnica Federal de Santa Catarina – Unidade Florianópolis, a partir do Decreto 2208/97 (1997-2004). 2012.160f. Dissertação (Mestrado em Educação) Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, 2012.

DUARTE, Newton. As pedagogias do "aprender a aprender" e algumas ilusões da assim chamada sociedade do conhecimento. Rev. Bras. de Educ., Campinas, SP, n.18, p.35-40, set./dez. 2001.

EVANGELISTA, Olinda. Apontamentos para o trabalho com Documentos de Política Educacional. In: LIMA, R. M. de L; RODRIGUES, D. S. A pesquisa em Trabalho, Educação e Políticas Educacionais. Campinas, SP: Alínea, 2012. P. 51-71.

FONTES, Virgínia. FONTES, V. O Brasil e o capital-imperialismo: Teoria e história. 2. Ed. Rio de Janeiro: FIOCRUZ/UFRJ Editora, 2010.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Marise; RAMOS, M. A Gênese do Decreto 5154/2004: um debate no contexto controverso da democracia restrita. In ________. (Orgs). Ensino Médio Integrado: concepções, contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

_________; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. UNESCO. Berlim. 2009. Educação Profissional e Desenvolvimento. In. UNESCO. Internacionl Handbook of Education for Changing World of Work. Berlim, Germany, UNIVOC, 2009. p. 1 307-1319. Coletânea organizada pelo Centro Internacional de Educação Técnica e Profissional, com o patrocínio da UNESCO. Disponível em: . Acesso em 23 set. 2015.

IASI, Mauro Luis. Política, Estado e ideologia na trama conjuntural. São Paulo: Instituto Caio Prado Jr., 2017.

IFSC. Anuário Estatístico. Florianópolis, 2015. Disponível em . Acesso em: 28 maio 2015.

_______. Projeto Pedagógico do Curso Técnico em Agrimensura. Florianópolis, 2014. Disponível em . Acesso em: 19 out de 2015.

______. Projeto Pedagógico do Curso Técnico em Eletrônica, Florianópolis, 2014b. 68f. Não publicado.

_______.Projeto Pedagógico do Curso em Eletrotécnica. Florianópolis, 2004. Disponível em: . Acesso em: 19 out de 2015.

_______. Projeto Pedagógico do Curso em Mecânica. Florianópolis, 2012. Disponível em: . Acesso em: 19 out de 2015.

_______. Projeto Pedagógico do Curso em Meteorologia. Florianópolis, 2013. Disponível em: . Acesso em: 19 out de 2015.

KUENZER, Acácia Z. Ensino Médio e Profissional: as políticas do Estado neoliberal. São Paulo: Cortez, 2000.

_______. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: SAVIANI, Demerval et al (Orgs). Capitalismo, Trabalho e Educação. 3ª edição. Campinas, SP: Autores Associados, Histeber, 2002, p.77-96.

LIMA FILHO, Domingos L. A “era tecnológica” entre a realidade e a fantasia: reflexões a partir dos conceitos de trabalho, educação e tecnologia em Marx. In: LUZ, N.S da et al (Orgs). Tecnologia e Trabalho: desafios na construção da interdisciplinares. Curitiba: SINTUTF-PR, 2011, p. 11-26.

________; GARCIA, Nilson. M. D. Politecnia ou educação tecnológica: desafios ao ensino médio e à educação profissional. In: LIMA FILHO, D. L.; GARCIA, N. M. D (Orgs). Trabalho, Educação e Tecnologia: alguns de seus enlaces. Curitiba: Ed. UTFPR, 2010, p. 21-55.

MOTTA, Vânia C. Ideologias do capital humano e do capital social: da integração à inserção e ao conformismo. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, vol.6, n.3, p 549-571, 2008.

NETTO, José P. Introdução do estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

NEVES, Lúcia Maria W.; PRONKO, Marcela Alejandra. O mercado do conhecimento e o conhecimento para o mercado: da formação para o trabalho complexo no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: EPSJV, 2008.

NOVAES, Henrique T. O Fetiche da tecnologia: a experiência das fábricas recuperadas. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

RAMOS, Marise Nogueira. A educação profissional pela pedagogia das competências e a superfície dos documentos oficiais. Educação e Sociedade. Campinas, v. 23, n. 80, p. 401-422, set/dez, 2002.


_______. Trabalho, educação e correntes pedagógicas no Brasil: um estudo a partir da formação dos trabalhadores técnicos da saúde. Rio de Janeiro: EPSJV, UFRJ, 2010.

_______. Referências formativas sobre práticas em educação profissional: a perspectiva histórico-crítica como contra-hegemonia às novas pedagogias. In: ARAÚJO, Ronaldo M. de Lima; RODRIGUES, Doriedson. (Orgs.). Filosofia da práxis e didática em educação profissional. Campinas, SP: Autores Associados, 2011. Coleção Educação Contemporânea.

RECH, Júlia G. O Caráter humanitário da formação dos sujeitos da educação especial no IFSC. 2012. 227f. Dissertação. (Mestrado em Educação) _ Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2012.

SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia. 42 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.. Coleção Polêmicas do Nosso Tempo.

________. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

TONET, Ivo. Método Científico: uma abordagem ontológica. São Paulo: Instituto Lukács, 2013.
Publicado
2018-12-31