A educação ambiental na formação de professores de química da UFBA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/edufor.v2i4.1912

Palavras-chave:

Educação ambiental crítica, Formação de professores, Ensino de Química

Resumo

O trabalho foi realizado através dos princípios básicos de uma abordagem qualitativa de pesquisa utilizando entrevistas semiestruturadas, com o intuito de investigar como os estudantes concluintes do curso de licenciatura em Química da Universidade Federal da Bahia compreendem o papel da educação ambiental na sociedade. Foram realizadas entrevistas com os discentes concluintes do curso e, a partir dos resultados obtidos, foi possível a criação de categorias para as principais concepções dos licenciandos sobre o tema e avaliação das possíveis interferências dessas em uma prática da educação ambiental crítica. Diante das avaliações, é possível inferir que parte dos graduandos ainda não apresenta uma visão crítica acerca do papel da Educação Ambiental na sociedade, sendo necessária uma reflexão acerca da relevância da Educação Ambiental Transformadora na formação inicial de professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Z. M. M. B.; SILVA, M. H.G. F. Análise qualitativa de dados de entrevista: uma proposta. Texto Impresso, Ribeirão Preto, n. 2, p. 61-69, 1992.

ANUNCIAÇÃO, B. C. P. A pedagogia histórico-crítica na formação inicial de professores de Química na UFBA: limites e possibilidades no estágio curricular. 2014. 264 f. Tese (Doutorado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) – Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: 70, 2009.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 21 dez. 1996.

CORTES JUNIOR, L. P. A dimensão ambiental na formação inicial de professores de Química: um estudo de caso no curso da UFBA. 2013. 310 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências) – Programa de Pós-Graduação em Interunidades em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

COSTA, C. A.; LOUREIRO, C. F. B. Contribuições da pedagogia crítica para a pesquisa em educação ambiental: um debate entre Saviani, Freire e Dussel. Revista Brasileira de Educação Ambiental, Diadema, v. 10, n. 1, p. 180-200, 2015.

DUARTE, R. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar, Curitiba, n. 24, p. 213-225, 2004.

ENGELS, F. A dialética da natureza. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

KOSIK, K. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

LAYRARGUES, P. P. Muito além da natureza: educação ambiental e reprodução social. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. C. (Org.). Pensamento complexo, dialética e educação ambiental. São Paulo: Cortez, 2006. p. 72-101.

LÔBO, S. F. A licenciatura em Química da UFBA: epistemologia, currículo e prática docente. 2004. 268 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2004.

LOUREIRO, C. B. F. Complexidade e dialética: contribuições à práxis política e emancipatória em educação ambiental. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 93, p. 1473-1494, 2005.

LOUREIRO, C. B. F. Crítica ao fetichismo da individualidade e aos dualismos na educação ambiental. Educar em Revista, Curitiba, n. 27, p. 37-53, 2006.

LOUREIRO, C. B. F. Educação ambiental e movimentos sociais na construção da cidadania ecológica e planetária. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. C. (Org.). Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2008. p. 69-98.

LOUREIRO, C. B. F. Educação ambiental transformadora: identidades da educação ambiental brasileira. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2004.

LOUREIRO, C. B. F. Pensamento crítico, tradição marxista e a questão ambiental: ampliando os debates. In: LOUREIRO, C. F. B. (Org.). A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro: Quartet, 2007. p. 13-67.

LUKÁCS, G. Prolegômenos para uma ontologia do ser social. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Martin Claret, 2006.

NETTO, J. P.; BRAZ, M. Economia política. São Paulo: Cortez, 2009.

OSTERMANN, F. O debate sobre as licenciaturas no Brasil. Sociedade Brasileira de Física. Propostas de diretrizes para professores de educação básica. 2001. Disponível em: <http://www.sbfisica.org.br/>. Acesso em: 30 jun. 2015.

PENELUC, M. C.; SILVA, S. A. H. Educação ambiental aplicada à gestão de resíduos sólidos: análise física e das representações sociais. Revista Entreideias, Salvador, n. 14, p. 135-165, 2008.

PETROVIC, G. Práxis. In: BOTTOMORE, T. (Ed.). Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro: Zahar, 2001. p. 292-296.

PINHEIRO, B. C. S. Pedagogia histórico-crítica na formação de professores de Ciências. Curitiba: Appris, 2016.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 4. ed. São Paulo: Autores Associados, 1981.

SILVA, J. L. B. et al. A dimensão prática da formação da licenciatura em Química da Universidade Federal da Bahia. In: ECHEVERRÍA, A.; ZANON, L. Formação superior em Química no Brasil: práticas e fundamentos curriculares. Ijuí: Unijuí, 2010. p. 93-118.

TONET, I. Cidadania ou emancipação humana? Revista Eletrônica Espaço Acadêmico, Maringá, v. 44, p. 1-4, 2005a.

TONET, I. Educar para a cidadania ou para a liberdade? Perspectiva, Florianópolis, v. 23, n. 2, p. 469-484, 2005b.

TOZONI-REIS, M. F. C. Contribuições para uma pedagogia crítica na educação ambiental: reflexões teóricas. In: LOUREIRO, C. F. B. (Org.). A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro: Quartet, 2007. p. 177-221.

TOZONI-REIS, M. F. C. Educação ambiental: natureza, razão e história. Campinas: Autores Associados, 2004.

WARTHA, E.; GRAMACHO, R. Abordagem problematizadora na formação inicial de professores de Química no sul da Bahia. In: ECHEVERRÍA, A.; ZANON, L. (Org.). Formação superior em Química no Brasil: práticas e fundamentos curriculares. Ijuí: Unijuí, 2010. p. 119-144.

Downloads

Publicado

2017-01-02

Como Citar

PINHEIRO, B. C. S.; SANTOS, C. L.; PENELUC, M. da C. A educação ambiental na formação de professores de química da UFBA. Educ. Form., [S. l.], v. 2, n. 4, p. 181–203, 2017. DOI: 10.25053/edufor.v2i4.1912. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/129. Acesso em: 19 set. 2021.