Conectando-se pelo coração: experiências narradas sobre leitura e escrita em tempos de pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v8.e10382

Palavras-chave:

Narrativas da experiência, Co-formação e autotransformação, Leitura e escrita na pré-escola, Pandemia

Resumo

Este artigo tem por objetivo tecer considerações sobre práticas de leitura e escrita com base no que narram dez professoras da Educação Infantil sobre suas experiências com as crianças em tempos de pandemia. O trabalho adota a perspectiva epistemológica de pesquisa (auto)biográfica em educação, no diálogo com autores que contribuem para problematizar essas narrativas da experiência vivida nos processos de coformação e auto(trans)formação docente. Articulam-se aqui competência técnica e compromisso político, considerados incontornáveis para acompanhar crianças de 4 a 5 anos de idade no processo de apropriação da leitura e da escrita como condição fundante para o exercício da cidadania. Finaliza-se com a defesa de que a reflexão conjunta entre professoras e formadoras sobre experiências, dúvidas, fazeres e deveres inerentes às práticas pedagógicas tem muito a contribuir para a produção do conhecimento científico na pesquisa educacional com base em um saber encarnado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Loech, Universidade Cidade de São Paulo

Doutoranda pela Universidade Cidade de São Paulo, UNICID (03/2021). Mestre em Educação Profissional pela UNITAU (2020). Supervisora de Ensino na Prefeitura Municipal de Taubaté-SP. Participante dos Grupos de Pesquisa - Implementação de Políticas Educacionais e Desigualdades frente a Contextos de Pandemia pelo Covid-19. Fapesp – Processo 2021/08719-0.

Maria da Conceição Passeggi, Universidade Cidade de São Paulo

Doutora em Linguística e Mestre em Letras Modernas pela Université Paul Valéry (Montpellier-França). Pesquisadora Pq1-D Ed-CNPq. Professora da Universidade Cidade de São Paulo (UNICID). Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPDEd-UFRN). 

Referências

ARENDT, H. Between past and future – six exercises in political thought. New York: The Viking, 1961.

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1992.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC): educação é a base. Brasília, DF: MEC, 2017.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 26 jun. 2014.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 20, de 11 de novembro de 2009. Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 9 dez. 2009.

BRUNER, J. Cultura da educação. Lisboa: 70, 1997.

BRUNER, J. Para uma teoria da educação. Lisboa: Relógio D’Água, 1991.

DANTAS, H. A afetividade e a construção do sujeito na psicogenética de Wallon. In: LA TAILLE, Y. Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus, 1992. p. 85-98.

DILTHEY, W. Introdução às ciências humanas: tentativas de uma fundamentação para o estudo da sociedade e da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

DOMINICÉ, P. L’histoire de vie comme processus de formation. Paris: L’Harmattan, 2000.

FCC. Educação escolar em tempos de pandemia na visão de professoras/es da Educação Básica. São Paulo: FCC, 2020.

FERRAROTTI, F. História e histórias de vida: o método biográfico nas Ciências Sociais. Tradução de Carlos Eduardo Galvão e Maria da Conceição Passeggi. Natal: UFRN, 2014.

FERRAROTI, F. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, A.; FINGER, M. (org.). O método (auto)biográfico e a formação. Natal: UFRN; São Paulo: Paulus, 2010. p. 31-59.

FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se complementam. 51 ed. São Paulo: Cortez, 2010.

FREIRE, P. Educação e mudanças. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2019.

FREIRE, P. Política e educação: ensaios. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

GOBBATO, C.; BARBOSA, M. C. S. A artesania, o diálogo e a cooperação: uma perspectiva para a didática na educação infantil. Poiésis, Tubarão, v. 13, n. 24, p. 350-365, 2019.

JOSSO, M-C. Experiência de vida e formação. São Paulo: Paulus; Natal: U¬FRN, 2007.

LARROSA, J. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

LARROSA, J.; SKLIAR, C. Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. (coord.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995. p. 15-34.

NÓVOA, A.; FINGER, M. O método (auto)biográfico e a formação. Natal: UFRN; São Paulo: Paulus, 2009.

PASSEGGI, M. C. A experiência em formação. Revista Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 147-156, 2011.

PASSEGGI, M. C. Educação e experiência: narrativas em múltiplos contextos. Natal: UFRN, 2021.

PASSEGGI, M. C. Narrativas da experiência de pesquisa-formação: do sujeito epistêmico ao sujeito biográfico. Revista Roteiro, Joaçaba, v. 41, n. 1, 67-86, 2016. DOI: https://doi.org/10.18593/r.v41i1.9267

PASSEGGI, M. C. Narrativas da infância: a criança como agente social. Projeto de pesquisa: Proc. N. 311269/2013, CNPq–Pq, 2014-2017.

SEED. Avaliação de sondagem ensino fundamental. 2021. Disponível em: https://educataubate.com.br/course/view.php?id=5756. Acesso em: 11 mar. 2021.

SOARES, M. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2016.

TAMARO, S. Vá aonde seu coração mandar. Rio de Janeiro: Rocco, 2015.

UNESCO. Como a pandemia fez impactos na educação infantil. Brasília, DF: Unicef, 2021.

VYGOTSKY, L. S. Formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

Publicado

2023-07-06

Como Citar

LOECH, G.; PASSEGGI, M. da C. Conectando-se pelo coração: experiências narradas sobre leitura e escrita em tempos de pandemia. Educ. Form., [S. l.], v. 8, p. e10382, 2023. DOI: 10.25053/redufor.v8.e10382. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/10382. Acesso em: 14 jun. 2024.