A vida numa encruzilhada: jovens do ensino médio entre o desejo e a necessidade de projetar o futuro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v8.e10059

Palavras-chave:

Sociologia da juventude, Relação educação/trabalho, Função social da educação

Resumo

Este artigo elege como cenário de análise a implementação de um projeto de reorganização curricular no ensino médio na rede pública estadual de Minas Gerais que exige dos jovens para quem é endereçada essa política uma reconfiguração dos planos e um novo cálculo para prospectar o futuro, ancorado entre o desejo e a necessidade. Na análise, evidencia-se o quanto o ensino médio voltado aos grupos menos favorecidos tem sido instrumentalizado, a partir de uma semântica ancorada na ideia de “modernização” e “eficiência” da escola, aplicação de lógicas econômicas à pedagogia, o que sugere a transferência da razão do mercado para a escola. A metodologia empreendida combinou as abordagens “qualiquanti”, presentes tanto nos questionários aplicados quanto na realização de grupos focais com os jovens. Para analisar esta realidade factual, utilizou-se um referencial teórico que tem se debruçado sobre os tensionamentos do jovem e o mundo do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Licinia Maria Correa, Universidade Federal de Minas Gerais

Professora associada na Universidade Federal de Minas Gerais, Pró-reitora de Assuntos Estudantis e pesquisadora do Observatório da Juventude (OJ).

Maria Amália de Almeida Cunha, Universidade Federal de Minas Gerais

Professora titular na Universidade Federal de Minas Gerais e pesquisadora do OSFE- Observatório Sociológico Família-Escola e do LapenSI - Laboratório de Experiências em Formação e Narrativas de Si.

Referências

ARAÚJO, L. A. Experiências e vivências escolares de docentes do ensino médio: um estudo de caso. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação e Docência) – Programa de Pós-Graduação em Educação e Docência, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.

BOURDIEU, P.; CHAMPAGNE, P. Os excluídos do interior. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (org.). Pierre Bourdieu: escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1998. p. 217-227.

BRASIL. Censo da educação básica 2020: resumo técnico. Brasília, DF: INEP, 2021.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 17 fev. 2017. DOI: https://doi.org/10.22420/rde.v11i20.773

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CEB nº 2, de 30 de janeiro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, 31 jan. 2012.

CORREA, L. M. et al. Escola como locus da formação continuada e o Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio: efeitos na vida dos professores. Revista em Aberto, Brasília, DF, n. 98, v. 30, p. 87-104, 2017. Disponível em: http://rbep.inep.gov.br/ojs3/index.php/emaberto/article/view/3186. Acesso em: 18 maio 2022. DOI: https://doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.30i98.3198

CORREA, L. M.; CUNHA, M. A. A. A política educativa e seus efeitos nos tempos e espaços escolares: a reinvenção do ensino médio interpretada pelos jovens. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 34, p. 1-30, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698182749

CORROCHANO, M. C.; ABRAMO, H. W.; ABRAMO, L. W. O trabalho juvenil na agenda pública brasileira: avanços, tensões, limites. Revista Latinoamericana de Estudios del Trabajo, [S.l.], v. 22, n. 36, p. 135-169, 2017.

CRENSHAW, K. Documento para o Encontro de Especialistas em Aspectos da Discriminação Racial Relativos ao Gênero. Estudos Feministas, Florianópolis, n. 10, p. 171-188, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2002000100011

DUARTE, A. M. C. et al. A contrarreforma do Ensino Médio e as perdas de direitos sociais no Brasil. Roteiro, Joaçaba, v. 45, p. 1-26, 2020. DOI: https://doi.org/10.18593/r.v45i0.22528. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/22528. Acesso em: 19 maio 2023. DOI: https://doi.org/10.18593/r.v45i0.22528

GUIMARÃES, N. Trabalho: uma categoria chave no imaginário juvenil?. In: ABRAMO, H. W.; BRANCO, P. P. M. (org.). Retratos da juventude brasileira: análise de uma pesquisa nacional. São Paulo: Instituto Cidadania: Perseu Abramo, 2005. p. 175-214.

KUENZER, A. Z. Trabalho e escola: a flexibilização do ensino médio no contexto do regime de acumulação flexível. Educação & Sociedade, Campinas, v. 38, n. 139, p. 331-354, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/es0101-73302017177723

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. São Paulo: Boitempo, 2019.

LECCARDI, C. Por um novo significado do futuro: mudança social, jovens e tempo. Tempo Social, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 35-57, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-20702005000200003

MINAS GERAIS. Reinventando o Ensino Médio. Belo Horizonte: Secretaria de Educação, 2012. Disponível em: https://www.educacao.mg.gov.br/images/stories/publicacoes/reinventando-o-ensino-medio.pdf. Acesso em: 9 jan. 2014.

PEREGRINO, M. Trajetórias desiguais: um estudo sobre os processos de escolarização pública de jovens pobres. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.

PERRENOUD, P. Ofício de aluno e sentido do trabalho escolar. Porto: Porto, 1994.

UNICEF. Reprovação, distorção idade-série e abandono escolar. Brasília, DF: Unicef, 2019.

Publicado

2023-06-15

Como Citar

CORREA, L. M.; CUNHA, M. A. de A. A vida numa encruzilhada: jovens do ensino médio entre o desejo e a necessidade de projetar o futuro . Educ. Form., [S. l.], v. 8, p. e10059, 2023. DOI: 10.25053/redufor.v8.e10059. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/10059. Acesso em: 13 jun. 2024.