O planejamento didático na atuação de pedagogas do serviço de convivência e fortalecimento de vínculos em João Pessoa-PB

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v5i14mai/ago.1571

Palavras-chave:

Planejamento didático, Educação Social, Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

Resumo

Este artigo apresenta uma dimensão analítica de uma pesquisa acerca dos significados e estratégias que constituem processos de planejamento didático em Educação Social. artigo focaliza a reflexão sobre o planejamento didático na atuação de pedagogos(as) que atuam no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), na cidade de João Pessoa-PB. Trata-se de uma abordagem qualitativa de inspiração no enfoque do Interacionismo Simbólico. Para a coleta dos dados, aplicou-se questionários estruturados junto a 15 pedagogas. Para a análise dos dados, recorreu-se à Análise de Conteúdo em Bardin (2011). Pôde-se perceber que o planejamento faz parte do cotidiano das profissionais pesquisadas, com ênfase no marco operacional de sua concepção e em interesses destacados pelos(as) educandos. A dimensão política relativa ao sentido social da ação que planejam se apresenta de modo pouco evidente, o que pode levar a perda de potência transformadora das práticas de Educação Social no SCFV.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Silva Dias, Universidade Federal da Paraiba

Mestranda em Educação pela Universidade Federal da Paraiba (UFPB). Estudante do Grupo de Estudos e
Pesquisas em Pedagogia, Trabalho Educativo e Sociedade. 

José Leonardo Rolim de Lima Severo, Universidade Federal da Paraiba

 Doutor em Educação pela Universidade Federal da Paraiba (UFPB). Líder do Grupo de Estudos e
Pesquisas em Pedagogia, Trabalho Educativo e Sociedade. Professor adjunto da UFPB, onda atua
no Programa de Pós-Graduação em Educação

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 70. ed. Lisboa: LDA, 2011.

BRASIL. Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993. Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 8 dez. 1993.

BRASIL. Norma Operacional Básica – NOB RH. Brasília, DF: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, 2009a.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 16 maio 2006.

BRASIL. Resolução nº 109, de 11 de novembro de 2009. Aprova a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 25 nov. 2009b.

BRASIL. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas em seres humanos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 13 dez. 2012.

BLUMER, H. A natureza do interacionismo simbólico. In: MORTENSEN, C. (Org.). Teoria da comunicação: textos básicos. São Paulo: Mosaico, 1980. p. 119-138.

CASTELEIRO, S. Pedagogia social: aspectos essenciais e definitórios. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação Social e Comunitária) – Programa de Pós-Graduação em Educação Social e Comunitária, Universidade da Beira Interior, Covilhã, 2008.

DIAS, L. S.; SEVERO, J. L. R. L. Mapeamento de teses e dissertações sobre Pedagogia Social e Educação Social no contexto brasileiro. In: EPEN, 24., 2018, João Pessoa. Anais... João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba, 2018.

DÍAZ, C. G.; SANTOS, L. S. La formulación de los objetivos instructivos en el contexto del currículo docente. Educación Médica Superior, La Habana, v. 28, n. 3, p. 467-481, 2014. Disponível em: http://www.ems.sld.cu/index.php/ems/article/view/279. Acesso em: 20 mar. 2020.

GANDIN, D. A posição do planejamento participativo entre as ferramentas de intervenção na realidade. Instituto Latino-Americano de Planejamento Participativo, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 81-95, 2001. Disponível em: https://biblat.unam.mx/hevila/curriculosemfronteiras/2001/vol1/no1/4.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020.

GANDIN, D. A prática do planejamento participativo. Petrópolis: Vozes, 1994.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

LÜCK, H. Planejamento em orientação educacional. 23. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

LUCKESI, C. C. Planejamento e avaliação na escola: articulação e necessária determinação ideológica. Ideias, São Paulo, n. 15, p. 115-125, 1992. Disponível em: http://professor.ufop.br/reginaaraujo/classes/edu-517-gest%C3%A3o-e-planejamento-escolar/materials/texto-06-planejamento-e. Acesso em: 20 mar. 2020.

MACHADO, É. R. O desenvolvimento da Pedagogia Social sob a perspectiva comparada: o estágio atual no Brasil e Espanha. 2014. 304 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

MEAD, G. H. O jogo livre (folguedo), o jogo regulamentado e o “outro-generalizado”. In: BIRNBAUM, P.; CHAZEM, F. (Org.). Teoria sociológica. São Paulo: Hucitec: USP, 1977. p. 36-40.

PADILHA, R. P. Planejamento dialógico: como construir o projeto político-pedagógico da escola. São Paulo: Cortez, 2001.

PÉREZ-GÓMEZ, A. I. A função e formação do professor/a no ensino para a compreensão: diferentes perspectivas. In: SACRISTÁN, J. G.; PÉREZ-GÓMEZ, A. I. (Org.). Compreender e transformar o ensino. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007. p. 353-379.

PÉREZ SERRANO, G. Elaboração de projectos sociais: casos práticos. 12. ed. Porto: Porto, 2014.

PIMENTA, S. G. Panorama atual da didática no quadro das ciências da educação: educação, pedagogia e didática. In: PIMENTA, S. G. (Coord.). Pedagogia, ciência da educação?. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1998. p. 39-70.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodología de la investigación. 3. ed. México: McGraw Hill, 2010.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007.

SEVERO, J. L. R. L. O horizonte da pedagogia social: uma perspectiva de aproximação conceitual. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. 4, p. 2122-2137, 2017.

SEVERO, J. L. R. L. Quando a didática frequenta outros espaços: indícios conceituais para abordagem de processos educativos não escolares. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba, 2018. p. 249-271.

VASCONCELLOS, C. S. Planejamento: plano de ensino-aprendizagem e projeto educativo. São Paulo: Libertad, 1995.

Publicado

2020-01-23

Como Citar

DIAS, L. S.; SEVERO, J. L. R. de L. O planejamento didático na atuação de pedagogas do serviço de convivência e fortalecimento de vínculos em João Pessoa-PB. Educ. Form., [S. l.], v. 5, n. 14, p. 133–149, 2020. DOI: 10.25053/redufor.v5i14mai/ago.1571. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/1571. Acesso em: 27 nov. 2021.