Educomunicação Socioambiental como estratégia pedagógica no Ensino Infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25053/redufor.v5i14mai/ago.1449

Palavras-chave:

Educomunicação Socioambiental, Audiovisual, Educação Infantil

Resumo

O artigo apresenta uma discussão acerca do conceito de Educomunicação Socioambiental no âmbito do ensino escolar infantil. Interface que surge da relação entre a Educomunicação e a Educação Ambiental, tal conceito será exposto a partir de uma sistematização bibliográfica, quando se torna possível encontrar as intersecções contemporâneas que surgem da utilização da tecnologia do audiovisual enquanto mediação no processo de ensino-aprendizagem. Tal análise será feita levando em consideração o documentário 1,2,3 Brincando – Reinventando Espaços Escolares produzido pela rede pública da cidade de Joinville/SC, e que traz um material audiovisual elaborado pelos estudantes. Ao realizar uma decupagem fílmica quanti-qualitativa emerge a potência pedagógica da Educomunicação Socioambiental, que acaba por trazer à cena uma linguagem e um conteúdo que projetam outra forma de pensar a escola. Por fim, cabe uma reflexão sobre como, a partir das especificidades, podem se elaborar políticas educacionais que contemplem a ferramenta do audiovisual no ensino infantil. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jose Vicente de Freitas, Universidade Federal do Rio Grande

Professor da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) junto ao Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental, consultor ad hoc da Unesco no Brasil e coordenador do Programa de Educação Ambiental junto a Superintendência do Porto do Rio Grande (ProEa-PRG)

Felipe Nobrega Ferreira, Universidade Federal do Rio Grande

Graduado em História Licenciatura pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Mestre em História (UFRGS) e doutorando em Educação Ambiental na Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Integrante do Grupo de Pesquisa Ribombo (PPGEA/FURG), trabalhando com práticas pedagógicas em contexto formal e informal, bem como desenvolve pesquisa voltada aos estudos de fenômenos ambientais costeiros.

Referências

BRASIL. Programa de Educomunicação socioambiental: comunicação popular e educação. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2008.

FIORI, E. M. Prefácio. In: FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. Prefácio.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação?. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. São Paulo, Paz e Terra, 1996.

LEÃO, D.; PRESSLER, N. Youtuber mirim e o consumo infantil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 40., 2017, Curitiba. Anais... Curitiba: Intercom, 2017. p. 1-14.

MUNHOZ, R. A. H. Mar à vista da Educomunicação Socioambiental: apropriações socioambientais da zona costeira no Circuito Tela Verde (Edição de estreia). 2019. 167 f. Dissertação (Mestrado em Educação Ambiental) – Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2019.

ONU – Organização das Nações Unidas. 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS’s). Disponível em: https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/. Acesso em: 12 jul. 2019.

PENAFRIA, M. Análise de filmes - conceitos e metodologia(s). In: CONGRESSO SOPCOM, 6., 2009. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/bocc-penafria-analise.pdf. Acesso em: 10 jul. 2019.

REIGOTA, M. O que é educação ambiental?. São Paulo: Brasiliense, 1994.

RELPH, E. Reflexões sobre a emergência: aspectos e essência do lugar. In: MARANDOLA JÚNIOR, E.; HOLZER, W.; DE OLIVEIRA, L. (Org.). Qual o espaço do lugar: geografia, epistemologia, fenomenologia. São Paulo: Perspectiva, 2014. p. 17-32.

SOARES, I. O. Alfabetização e Educomunicação: o papel dos meios de comunicação e informação na educação de jovens e adultos ao longo da vida. 2003. Disponível em: https://www.usp.br/nce/aeducomunicacao/saibamais/textos/. Acesso em: 27 jun. 2019.

SOARES, I. O. Educomunicação: o conceito, o profissional, a aplicação: contribuições para a reforma do ensino médio. São Paulo: Paulinas, 2011.

SOARES, I. O. Educomunicação e Educação Midiática: vertentes históricas de aproximação entre Comunicação e Educação. Revista Comunicação & Educação, São Paulo, v. 19, n. 2, p. 15-26, 2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/72037. Acesso em: 20 mar. 2020.

TEIXEIRA, A. Cultura e tecnologias. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1971.

TRAJBER, R. Educomunicação para coletivos educadores. In: FERRARO JÚNIOR, L. A. (Org.). Encontros e caminhos: formação de educadoras(es) ambientais e coletivos educadores. Brasília, DF: MMA, 2005. p. 149-158.

TRATADO de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global. Rio de Janeiro, v. 9, 1992. Disponível em: http://www.mma.gov.br/educacao-ambiental/politica-de-educacao-ambiental/documentos-referenciais/item/8068-tratado-de-educa%c3%a7%c3%a3o-ambiental-para-sociedades-sustent%c3%a1veis-e-responsabili dade-global.html. Acesso em: 9 jun. 2019.

TRIGUEIRO, A. Mundo sustentável: abrindo espaço na mídia para um planeta em transformação. São Paulo: Globo, 2005.

TRIVIÑOS, N. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

Publicado

2020-01-20

Como Citar

DE FREITAS, J. V.; FERREIRA, F. N. Educomunicação Socioambiental como estratégia pedagógica no Ensino Infantil. Educ. Form., [S. l.], v. 5, n. 14, p. 54–72, 2020. DOI: 10.25053/redufor.v5i14mai/ago.1449. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/1449. Acesso em: 27 nov. 2021.