Produção de pesquisas na disciplina de Método Científico: uso de formulário eletrônico no ensino remoto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51281/impa.e022002

Palavras-chave:

Método Científico, Pesquisa, Ensino

Resumo

Esse estudo é um relato de experiências do uso de formulário eletrônico no ensino da disciplina de Metodologia Científica em 2020, com turmas de oitavos anos do ensino fundamental, tendo como público da pesquisa a comunidade escolar, durante o ensino remoto na pandemia de covid-19 em 2020. O objetivo foi realizar pesquisas fomentando a metodologia científica, o protagonismo e a cidadania através de temas de interesse dos próprios estudantes, motivando a inclusão digital e de tecnologias no processo educativo. Conclui-se que o ensino da disciplina de Metodologia Científica foi eficaz e satisfatório durante o momento remoto com o uso de formulários eletrônicos. Estima-se que o impacto na aprendizagem dos estudantes tenha ocorrido de forma significativa com a inclusão digital e de tecnologias no processo educativo, com a realização de pesquisas fomentando o pensamento crítico, o protagonismo e na sua cidadania, além de contribuir para a formação e prática docente.

Biografia do Autor

José Gleison Gomes Capistrano, Prefeitura Municipal de Fortaleza-CE

Doutorando pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará/Rede Nordeste de Ensino no curso de Doutorado em Ensino, Mestre em Nutrição e professor de Área específica (Ciências) da Prefeitura Municipal de Fortaleza/CE.

Solonildo Almeida da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Graduado em Geografia, Sistemas e Mídias Digitais, Pedagogia, especialização em Formação de Formadores, Metodologias do Ensino de Geografia, mestrado em Sociologia, doutorado em Educação e Professor do Instituto Federal do Ceará.

Sandro César Silveira Jucá, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Professor titular e pesquisador do IFCE e dos Mestrados ProfEPT (Educação Profissional e Tecnológica em rede nacional), PPGER (Mestrado Acadêmico em Energias Renováveis) e do Doutorado da Rede Nordeste de Ensino (RENOEN).

Patrícia Campelo do Amaral Façanha, Faculdade Cearense

Graduada em Nutrição pela Universidade Estadual do Ceará, especialista em Nutrição Clínica pela Universidade Estadual do Ceará, mestrado em Ciências Fisiológicas pela Universidade Estadual do Ceará e Professora da Faculdade Cearense.

Referências

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). 2020. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf . Acesso em 04 ago. 2021.

BRASIL. Os benefícios das novas tecnologias na educação. 2021. Disponível em: https://www.educamaisbrasil.com.br/educacao/noticias/os-beneficios-das-novas-tecnologias-na-educacao . Acesso em 04 jun. 2021.

CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto, 2. ed. - Porto Alegre: Artmed, 2007. ISBN 978-85-363-0892-0, 248 p. Disponível em https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/696271/mod_resource/content/1/Creswell.pdf Acesso em 9 set. 2021.

ESTEVE, José Manuel. La profesión docente ante los desafios de la sociedade del conocimiento. In: MEDRANO, Consuelo Velaz de; VAILLANT, Denise. Aprendizaje y desarrollo profesional docente. Madrid: Santillana, 2009. p. 17-27. Disponível em: http://www.redfforma.cl/documentos_sitio/86855_APRENDYDESARRPROFESIONAL-2.pdf. Acesso em 30 jul. 2021.

FORTALEZA. Prefeitura municipal de fortaleza (PMF). 2020: o surgimento da pandemia no país. Disponível em: https://www.fortaleza.ce.gov.br/noticias/2020-o-surgimento-da-pandemia-no-pais#:~:text=desde%20a%20confirma%c3%a7%c3%a3o%20do%20primeiro,o%20v%c3%adrus%20atingisse%20a%20capital . Acesso em 04 jul. 2021.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia da Pesquisa-Ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 483-502, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/DRq7QzKG6Mth8hrFjRm43vF/?lang=pt&format=pdf . Acesso em 02 ago. 2021.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar um projeto de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GOUVEIA, Mariley Simões Flória. Cursos de ciências para professores de 10 grau: elementos para uma política de formação continuada. Campinas, 1992. Tese (Doutorado em Educação – Metodologia de Ensino) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1992. Disponível em: file:///C:/Users/Patricia%20Campelo/Desktop/DOUTORADO/ARTIGOS/TESE%20Gouveia_MarileySimoesFloria_D.pdf Acesso em 15 jul. 2021.

KERELUIK, K. et al. What Knowledge Is of Most Worth: Teacher Knowledge for 21st Century Learning. Journal of Digital Learning in Teacher Education, Philadelphia, v. 29, n. 4, p. 127-140, 2013. Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1010753.pdf Acesso em 10 ago. 2021.

LUZ, Emeli Borges Pereira. Desenvolvimento do pensamento reflexivo em atividades online e a formação inicial de professores de línguas. Entrelínguas, Araraquara, v. 2, n. 2, p.261-281, jul./dez. 2016. Disponível em: file:///C:/Users/Patricia%20Campelo/Desktop/DOUTORADO/ARTIGOS/artigo-07-emeli.pdf Acesso em 10 ago.2021.

LYOTARD, Jean-François. A condição pós-moderna. Trad. Ricardo Corrêa Barbosa. 8. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2004.

MARCONI, Maria de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2005.

MONTEIRO, Renata Lúcia de Souza Gaúna; Santos, Dayane Silva. A utilização da ferramenta Google forms como instrumento de avaliação do ensino na Escola Superior de Guerra. Revista Carioca de Ciência, Tecnologia e Educação (online). Rio de Janeiro: v.4, n.2, 2019. E-ISSN 2596-058X. Disponível em https://recite.unicarioca.edu.br/rccte/index.php/rccte/article/view/72.

MORIN, Edgar. Desafios das transdisciplinaridade e da complexidade. In: AUDI, Jorge Luis Nicolas; MOROSINI, Marília Costa. (Org.). Inovação e interdisciplinaridade na universidade. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2007. p. 22-28. Disponível em: https://ebooks.pucrs.br/edipucrs/acessolivre/livros/inovacaoeinterdisciplinaridade.pdf Acesso em 15 ago. 2021.

NUNES, Claudio Pinto; OLIVEIRA, Dalila Andrade. Trabalho, carreira, desenvolvimento docente e mudança na prática educativa. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 43, n.1, p. 65-80, jan./mar. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/kR6TNNYxWqH63t6SF8tGqZq/abstract/?lang=pt . Acesso em 04 jul. 2021.

SILVA, Juremir Machado da. Inter, multi ou transdisciplinaridade, uma questão de comunicação. In: AUDI, Jorge Luis Nicolas; MOROSINI, Marília Costa (Org.). Inovação e interdisciplinaridade na universidade. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2007. p. 32-34. Disponível em: https://ebooks.pucrs.br/edipucrs/acessolivre/livros/inovacaoeinterdisciplinaridade.pdf Acesso em 04 jul 2021

SILVA ROCHA, Paulo César da; SILVEIRA JUCÁ, Sandro César; da SILVA, Solonildo Almeida. A evolução das Tecnologias da Informação e Comunicação na perspectiva de Touraine, Bell e Castells. Research, Society and Development, Universidade Federal de Itajubá, Itajubá, v. 8, n. 5, 2019. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v8i5.928. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/928 . Acesso em 02 ago. 2021.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1985.

VASCONCELOS, Eduardo. Desinstitucionalização e Interdisciplinaridade em Saúde Mental. Rio de Janeiro: Escola de Serviço Social da UERJ, 1996.

Publicado

2022-01-08

Como Citar

CAPISTRANO, J. G. G.; SILVA, S. A. da; JUCÁ, S. C. S.; FAÇANHA, P. C. do A. Produção de pesquisas na disciplina de Método Científico: uso de formulário eletrônico no ensino remoto. Revista de Instrumentos, Modelos e Políticas em Avaliação Educacional, [S. l.], v. 3, n. 1, p. e022002, 2022. DOI: 10.51281/impa.e022002. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/impa/article/view/6847. Acesso em: 16 maio. 2022.