FORMAÇÃO FEDATHI GENERALIZÁVEL

METODOLOGIA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Palavras-chave: Formação de Professores, Metodologia de Formação, Sequência Fedathi

Resumo

Oriundo de reflexões dos avanços da metodologia de ensino Sequência Fedathi para outras áreas além da Matemática, surge a possibilidade de ampliar o Programa de Formação do Professor em Serviço (PROFEM), destinado inicialmente para professores dessa área de ensino, acreditando que sua proposta permite estudo, pesquisa, planejamento, ação e reflexão da mesma forma, para outras disciplinas. Daí, constitui-se, portanto, como Formação Fedathi Generalizável. Como aporte teórico o artigo apresenta Freire (1996), Schön (2000), Gauthier, Bissonnette e Richard (2014) que sustentam a importância do professor, da criticidade e reflexão do seu trabalho. O objetivo do artigo, portanto, é apresentar a estrutura e as características desse modelo de formação. A pesquisa é exploratória, já que procura identificar concepções anteriores já incorporadas nas formações com a Sequência Fedathi mas ainda não sistematizadas, apresentando como resultado um desenho parcial da Formação Fedathi Generalizável. Pode-se concluir que o PROFEM precisou ser ampliado para acompanhar o crescimento da Sequência Fedathi. Acredita-se, pelo evidenciado, que o modelo de formação é eficaz no que diz respeito a mudanças de prática dos docentes, já que o empoderamento permite suscitar a responsabilidade e vínculo entre os participantes, enquanto o uso da metodologia de Ensino Sequência Fedathi possibilita o amadurecimento do professor em sua prática, gerando a descoberta, uma nova forma do fazer didático em sala de aula, ocasionando um ensino mais reflexivo, suscitando no aluno o desejo de aprender, a investigação. Além do mais, a formação propicia a discussão de ideias e práticas para a concomitante tomada de decisões de mudanças de postura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BORGES NETO, H. (Org.). Sequência Fedathi: fundamentos. V. 3. Curitiba: CRV, 2018.

BORGES NETO, H. (Org.) Sequência Fedathi no ensino de matemática. Curitiba: CRV, 2017.

BORGES NETO, H. TÓPICOS ESPECIAIS EM EDUCAÇÃO II - Sequência Fedathi: uma proposta de ensino lógico-dedutiva-construtiva. 05/08 a 29/11 de 2019. Notas de Aula.

CAROLINO, S. G. Formação de Professores para o uso de Tecnologias Digitais: o modelo do CRP. 2007. 121f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007.

FELÍCIO, M.S.N.B; TEODOSIO, E. de. S; BORGES NETO, H. O caráter investigativo em uma sala de aula apoiada em Lakatos e a Sequência Fedathi. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, v. 5, n. 13, p. 38-45, 2018.

FONTENELE, F. C. F. Maturação. In BORGES NETO (Org.) Sequência Fedathi: fundamentos. Curitiba: CRV, 2018.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996

GAUTHIER, C; BISSONNETTE, S; RICHARD, M. Ensino explícito e desempenho dos alunos: a gestão dos aprendizados. Petrópolis: Editora Vozes, 2014.

LAKATOS, I. A lógica do descobrimento matemático: provas e refutações. Tradução de Nathanael C. Caixeiro, Rio de janeiro: Zahar Editores, 1978.

MENEZES, D. B. et. al. A aplicação de problemas sobre taxas relacionadas com a metodologia Sequência Fedathi. Encontro Nacional de Educação Matemática. Anais...São Paulo. 2016.

MENEZES, D. B. O Ensino do Cálculo Diferencial e Integral na perspectiva da Sequência Fedathi: Caracterização do comportamento de um bom professor. 2018. 128f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação FACED, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. 2018.

MOSQUERA, J. Ensino: Uma tarefa de Reflexão. Porto Alegre: Sulina. 1977.

OLIVEIRA, G. P; PEREIRA, A. C. C. O uso da Engenharia Didática e da Sequência Fedathi como ferramentas metodológicas na formação de professores de matemática. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, v. 6, n. 18, p.65-78, 2019.

PAIS; L.C. Educação escolar e as tecnologias da informática. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

PARRA, C. et al. (Org). Didática da Matemática: Reflexões Psicopedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas. 1996.

PINHEIRO, A. C. M. Concepção e desenvolvimento de uma formação continuada de professores de matemática baseado na sequência Fedathi. 2016.138f. Tese (Doutorado em Educação) - – Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação FACED, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

SANTALÓ, L. A. Matemática para não-matemáticos. In PARRA, C. et al. (Org). Didática da Matemática: Reflexões Psicopedagógicas. Porto Alegre: Artes Médicas. 1996.

SANTANA, A. C. de S. Uma proposta de ciclos formativos em Educomunicação baseados na práxis fedathiana: o case do Crid. 2019. 237f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2019.

SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SOUSA, F. E. E. et al. (Org.). Sequência Fedathi: uma proposta pedagógica para o ensino de Ciências e Matemática. Fortaleza, Edições UFC, 2013.

Publicado
2020-04-11
Como Citar
FELÍCIO, M.; MENEZES, D.; BORGES NETO, H. FORMAÇÃO FEDATHI GENERALIZÁVEL. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, v. 7, n. 19, p. 24 - 40, 11 abr. 2020.