SEQUÊNCIA FEDATHI E O PAPIRO DE RHIND

O CASO DO PROBLEMA 79

  • Carlos Henrique Delmiro de Araújo Escola de Ensino Fundamental Coronel Adauto Bezerra
  • Daniel Brandão Menezes Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA
  • Hermínio Borges Neto Universidade Federal do Ceará - UFC
Palavras-chave: Potenciação, História da Matemática, Metodologia de Ensino

Resumo

Apesar de publicado em 1927, o Papiro de Rhind é um documento de aproximadamente 1620 a.C. e que possui problemas práticos na Matemática, isto é, trata-se de questões referentes ao contexto do Egito na Idade Antiga em que podem ser solucionados pela Matemática, pois eram pautavam sobre aritmética, trigonometria e geometria. Este presente artigo é uma intervenção pedagógica da inserção do Papiro na sala de aula da Educação Básica atrelado a uma proposta metodológica de ensino. Como este trabalho pauta-se sobre uma sessão didática realizada no munícipio de Canindé, nos anos finais do Ensino Fundamental, necessita-se abordar as habilidades previstas na Base Nacional Comum Curricular – BNCC, o que se relata neste texto ter sido uma preocupação do docente atrelar a atividade com documento histórico original e a BNCC. Tem-se como justificativa a dificuldade da utilização de textos históricos originais da Matemática em sala de aula. Como objetivo de pesquisa, propõe-se investigar o Papiro de Rhind na sala de aula por meio da metodologia de ensino Sequência Fedathi, que norteia os aspectos didáticos docentes em sala de aula. O trabalho apresenta detalhes de diálogos realizados entre professor-aluno e aluno-aluno, como também uma solução dada por um grupo de discentes, como foi realizada a sessão didática para o ensino de Potência. Tem-se nas considerações finais a dinâmica que a SF proporcionou em sala de aula, pois os alunos foram sujeitos ativos na construção de uma solução para o problema proposto, como também exemplificaram no momento em que o professor sintetizou o conteúdo abordado. Por fim, mostrou-se ser possível a utilização de textos históricos originais em sala de aula da Educação Básica.

Publicado
2020-04-11