Práticas reflexivas do professor reflexivo

experiências metodológicas entre duas docentes do ensino superior

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v1i2.3527

Palavras-chave:

Ensino Superior, Metodologias Ativas, Prática Docente, Prática reflexiva, Professor Reflexivo

Resumo

Neste artigo objetivamos refletir sobre os modelos de práticas de ensino, que facilitaram o processo de aprendizagem, no que se refere a experiência didática e a reflexão deste processo, envolvendo práticas reflexivas e de profissional reflexivo de duas docentes do ensino superior, A metodologia deste estudo é de cunho qualitativo com caráter descritivo. Estas dinâmicas demonstraram que tais práticas desenvolvidas através de metodologias ativas (como a gamificação) e com intermédio da ludicidade e troca de saberes entre os discentes, demonstram um maior interesse na aprendizagem por parte dos alunos. Conclui-se que através das práticas pedagógicas das duas docentes há uma reformulação e uma reflexão sobre a própria prática pelo verso das discussões com um leque de metodologias distintas, que passaram inclusive por discussões coletivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristine Brandenburg, Universidade Federal do Ceará

Doutora pelo Programa de Pós Graduação em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará, Bolsista CNPq (2019). Mestra pelo Programa de Pós Graduação em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará, Bolsista CNPq (2015). Pós Graduação em Saúde Pública pala Universidade Estadual do Ceará (2017). Graduanda em Pedagogia pela Estácio - CE. Possui graduação em Fisioterapia pela Universidade de Santa Cruz do Sul (2008). Vice-Líder do grupo de pesquisa Práticas Educativas Memórias e Oralidades (PEMO). Editora da Revista Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Revpemo. Atuando principalmente nos seguintes temas: educação, história da educação, biografia, história de mulheres, imigração, história oral, práticas educativas digitais, fisioterapia, ulceras por pressão, incontinência urinária, imagem corporal e saúde pública. Organizou e lançou o primeiro livro brasileiro sobre úlceras por pressão, intitulado "Úlceras por pressão: uma abordagem multidisciplinar"(2012). 

Arliene Stephanie Menezes Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará-IFCE, sendo atualmente titular da coordenadoria de acessibilidade e diversidade étnico-racial na Pró-reitoria de Extensão-PROEXT. Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Educação, na área de concentração Formação de professores, pela Universidade Estadual do Ceará-UECE. Mestra em Educação Física, na área de concentração Movimento Humano, Cultura e Educação, na linha de estudos sócio filosóficos sobre o corpo e o movimento humano, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte-UFRN. Graduada em Educação Física/Licenciatura plena pela UECE, e Tecnóloga em Gestão Desportiva e de Lazer pelo IFCE. É especialista em Arte-educação e Cultura Popular pela Faculdade de Tecnologia Darcy Ribeiro-FTDR e especialista em Gestão Educacional e Práticas pedagógicas pela Universidade Cândido Mendes-UCAMRJ. Foi professora efetiva da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza. Membro associada do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte-CBCE, sendo integrante do comitê científico no gtt corpo e cultura. Foi pesquisadora nos grupos: Educação Física, esporte e lazer do IFCE-Canindé e do grupo de pesquisa Estesia: corpo, fenomenologia e movimento-UFRN. Líder do grupo de pesquisa Corponexões: corpo, cultura e sociedade no IFCE, integrante do grupo de pesquisa Práticas Educativas, Memórias e Oralidades-PEMO/UECE, e integrante do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas-NEABI do IFCE campus Paracuru. Desenvolve pesquisas e projetos sobre Educação Física escolar, relações étnico-raciais e interculturais, significações sobre bases sócio-antropológicas, epistemológicas e filosóficas sobre o corpo.

Lia Machado Fiuza Fialho, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UECE (orientadora de pós-doutorado, doutorado, mestrado e iniciação científica) e do Mestrado Profissional em Planejamento e Políticas Públicas (MPPP/UECE). Bolsista Produtividade em Pesquisa (PQ 2). Pós-doutoranda em História da Educação pela Universidade de Salamanca-Espanha (USAL); Pós-doutora em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB); doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (UFC); mestra em Saúde Coletiva pela Universidade de Fortaleza (Unifor); Especialista em Inclusão da Criança Especial no Sistema Regular de Ensino pela UFC; em Psicologia da Educação e em Psicopedagogia Institucional e Clínica, ambas as formações pela Faculdade Latino-Americana de Educação (Flated), Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Professora adjunta do Centro de Educação da UECE. Editora-chefe da Revista Educação & Formação do PPGE/UECE e da Coleção Práticas Educativas da Editora da UECE (EdUECE). Vice diretora da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC, 2020-2022). Membro de comitê editorial da Revista Brasileira de Educação (RBE/ANPED) e de diversos periódicos qualificados e coleções de livros. Avaliadora externa do PIBIC/UNILAB e UFCA e interna da UECE. Líder do grupo de pesquisa Práticas Educativas Memórias e Oralidades (PEMO). Coordenadora do projeto de pesquisa Educadoras no Ceará do Século XX: Formação Docente, Práticas e Representações, financiado CNPq. Membro do grupo de pesquisa A educação de mulheres ao longo dos séculos XIX e XX e pesquisadora no projeto A educação de mulheres ao longo dos séculos XIX e XX, também financiado pelo CNPQ. Coordenadora da Pós-Graduação da Faculdade Latino Americana de Educação (FLATED, 2011-2013). Tutora do PET/Pedagogia/UECE (2018-2019). Coordenadora de área do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid/Pedagogia/UECE, 2014-2020). Assessora de direção do Centro de Educação (UECE, 2014-2017). Organizadora de eventos científicos nacionais e locais (ENDIPE, FEPAE NNE, SNGPC, SEPEMO, ENHIME, ABEC Meeting, etc.). Membro da Sociedade Brasileira de História da Educação (SBHE), da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED) e da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação de Mulheres, Biografia, História Oral, Mulheres de Periferia, Memória, Práticas Educativas, Formação de Professoras e Juventudes (em conflito com a lei).

Referências

ALARCÃO, I. (org.). Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto Portugal: Porto Editora LDA, 1996.

ARAÚJO, R. M.; ESTEVES, M. M. A formação docente, inicial e contínua, para o trabalho com adultos em Portugal: o olhar dos professores. Educação & Formação, Fortaleza, v. 2, n. 1, p. 18-35, 2017. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/121 Acesso em: 30 jun. 2017.

BARRETO, A. L. de O. A análise da compreensão do conceito de função mediado por ambientes computacionais. 2009. 363f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Universidade Federal do Ceará – UFC, Fortaleza, 2009.

CARDOSO, A. C. Pro-tecnologia: uma abordagem de formação inicial de professores para o uso das tecnologias digitais. Educação & Formação, v. 1, n. 3, p. 50-70, 2016. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/113 Acesso em: 20 jan. 2018.

CHAKUR, C. R. de S. L. Fundamentos da prática docente: por uma pedagogia ativa. Paidéia, FFCLRP- USP, Rib. Preto. p. 37-52, fev./ago. 1995. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/paideia/n8-9/04.pdf Acesso em: 20 dez. 2018.

DIESEL, A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema. v.14, n. 1, p. 268-288, 2017. Disponível em: <https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4117719/mod_resource/content/1/Os%20princ%C3%ADpios%20das%20metodologias%20ativas%20de%20ensino%20abordagem%20te%C3%B3rica.pdf>. Acesso em: 15 dez. de 2018.

FANTIN, M. Educação, aprendizagem e tecnologia na pesquisa-formação. Educação & Formação, Fortaleza, v. 2, n. 3, p. 87-100, 2017. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/161 Acesso em: 5 fev. 2019.

FARIAS, I. M. S. de; SALES, J. de O. C. B.; BRAGA, M. M. S. de C.; FRANÇA, M. do S. L. M.. Didática e docência: aprendendo a profissão. 4 ed. Brasília: Liber Livro, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 50 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GASPARIN, J. L. Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. 5 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2015.

GENÚ, M. A abordagem da ação crítica e a epistemologia da práxis pedagógica. Educação & Formação, Fortaleza, v. 3, n. 3, p. 55-70, 2018. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/856 Acesso em: 30 dez. 2018

JUNGES, F. C.; KETZER, C.; OLIVEIRA, V. M. Formação continuada de professores: Saberes ressignificados e práticas docentes transformadas. Educação & Formação, Fortaleza, v. 3, n. 3, p. 88-101, 2018. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/858 Acesso em: 19 dez. 2018.

LAMAR, A. R.; ROACH, E. F. La filosofia de la tecnología en la formación de ingenieros: algunas ideas sobre la experiencia de Cuba. Educação & Formação, v. 4, n. 3, p. 3-20, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/1425 Acesso em: 03 mar. 2019

MATTAR, J. Games em educação: como os nativos digitais aprendem. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

MINAYO, M. C. de S. O Desafio do Conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. 13 ed. São Paulo: Hucitec, 2013.

MORORÓ, L. A influência da formação continuada na prática docente. Educação & Formação, Fortaleza, v. 2, n. 1, p. 36-51, 2017. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/122 Acesso em: 20 jan. 2019.

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento – um processo sócio-histórico. 5 ed. São Paulo: Scipione, 2010.

OLIVEIRA, C. M. de; MARQUES, V. F.; SCHRECK, R. S. C. Aplicação de metodologia ativa no processo de ensino-aprendizagem: relato de experiência. Rev.Eletrônica Pesquiseduca, v. 09, n. 19, p. 674-684, 2017. Disponível em: http://periodicos.unisantos.br/index.php/pesquiseduca/article/view/633 Acesso em: 13 dez. de 2018.

SCHÖN, D. A. Formar professores como profissionais reflexivos. IN: NÓVOA, A. Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

SILVA, J. B. da; SALES, G. L. Gamificação aplicada no ensino de Física: um estudo de caso no ensino de óptica geométrica. Acta Scientiae, v. 19, n. 5, p.782-798, 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/acta/article/view/3174 Acesso em: 15 dez. 2018.

SILVEIRA, C. S.; NÓBREGA-THERRIEN, S. M.; AZEVEDO, M. R. de C. A pesquisa na formação do professor: estratégia de melhoria do seu campo teórico e prático. In: FARIAS, I. M. S. de; NÓBREGA-THERRIEN, S. M.; MORAES, L. C. S. de (Orgs.). Formação e desenvolvimento profissional em educação. São Luis, EDUFMA, p. 25-67, 2017.

VICKERY, A. Aprendizagem ativa. Porto Alegre: Penso, 2016.

TARDIF, M. Saberes Docentes e formação profissional. 17 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2018.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 18 ed. São Paulo: Cortez Editora, 2018.

TRIGUERO, I. M. Gamificación y tecnologías como recursos y estrategias innovadores para la enseñanza y aprendizaje de la historia. Educação & Formação, Fortaleza, v. 3, n. 2, p. 3-16, 2018. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/267 Acesso em: 02 dez. 2018.

VASCONCELLOS, K. R.; BERNARDO, E. Profissionalização docente: reflexões e perspectivas no Brasil. Educação & Formação, Fortaleza, v. 1, n. 2, p. 208-222, 2016. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/109 Acesso em: 30 jun. 2018.

ZEICHNER, K. M.; DINIZ-PEREIRA, J. E. Pesquisa-ação e a formação docente voltada para a justiça social: um estudo de caso dos estados unidos. In: DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio.; ZEICHNER, K. M (Orgs.). A pesquisa na formação e no trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, p. 67-93, 2008.

Publicado

2019-05-01

Como Citar

BRANDENBURG, C.; PEREIRA, A. S. M.; FIALHO, L. M. F. Práticas reflexivas do professor reflexivo: experiências metodológicas entre duas docentes do ensino superior. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 1–16, 2019. DOI: 10.47149/pemo.v1i2.3527. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3527. Acesso em: 18 set. 2021.