Alunos(as) com necessidades educacionais especiais na Educação Física Escolar: relatos de experiências de um professor-pesquisador

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v4.e48178

Palavras-chave:

Educação Física, Educação Inclusiva, Pessoa com Deficiência

Resumo

A Lei 13.146/2015 institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (PcD) e menciona a educação como direito e garantido sistemas educacionais inclusivos. Na perspectiva da Educação Inclusiva não é o(a) aluno(a) que tem que se adaptar, mas cabe a escola promover o acesso ao conhecimento/aprendizado. Assim, objetivamos narrar um relato da experiência educativa de um professor-pesquisador com alunos(as) com Necessidades Educacionais Especiais. O interesse no estudo surgiu frente à história de vida do primeiro autor como docente e diante dos desafios com a educação na perspectiva inclusiva. A abordagem qualitativa nos permitiu tecer narrativas geradas na educação básica e analisadas com duas professoras-pesquisadoras, com o intuito de desvelar os enredos pertinentes à inclusão na experiência com a Educação Física. Dessa forma, concluiu-se provisoriamente que o processo de inclusão nas aulas de Educação Física vai além das necessidades dos(as) alunos(as) partindo de uma vivência afetiva e experiencial dos(as) professores(as).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Symon Tiago Brandão de Souza, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Mestrando em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar (GEPEFE-UECE).

Arliene Stephanie Menezes Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Doutoranda em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Mestra em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Luciana Venâncio, Universidade Federal do Ceará

Pós-doutora em Educação pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Doutora em Educação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Docente do Instituto de Educação Física e Esportes da Universidade Federal do Ceará e do Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPGEF-UFRN). Coordenadora do Mestrado Profissional em Educação Física (ProEF/UFC). Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Relações com os Saberes (GEPEFERS/CNPq).

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J. O método nas ciências sociais. In: ALVESMAZZOTTI, J. A.; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1999. Parte II, p.107-188.

BRANDENBURG, C.; PEREIRA, A. S. M.; FIALHO, L. M. F. Práticas reflexivas do professor reflexivo: experiências metodológicas entre duas docentes do ensino superior. Revista Pemo, Fortaleza, v. 1, n. 2, p. 1-16, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3527. Acesso em: 5 jan. 2021. DOI: https://doi.org/10.47149/pemo.v1i2.3527

BRASIL. Lei 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em: 25 mar. 2021.

BRASIL. Lei Federal 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília, DF, 25

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Imprensa Oficial, 1988.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: SEESP/MEC, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Educação Física / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC / SEF, 1998.

CAMISÃO, I. F. F. Percepção dos professores do ensino básico acerca da inclusão educativa de alunos com necessidades educativas especiais. 159p. Mestrado em Psicologia (Dissertação). Braga, Portugal: Universidade do Minho, Instituto de Educação e Psicologia; 2004.

CAPARROZ, F. E.; BRACHT, V. O tempo e o lugar de uma didática da educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 28, n. 2, p. 21-37, jan., 2007. Disponível em: http://revista.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/view/53. Acesso em: 03 jul. 2017.

CONCEIÇÃO, Willian L. da. Histórias de vidas que se unem: a professora, o professor e os [elos com os] jovens infratores. 2017. 136f. Tese (Doutorado em Educação). Campinas - SP: Universidade Estadual de Campinas, 2017.

DARIDO, S. C. et al. A Educação Física, a formação do cidadão e os Parâmetros Curriculares Nacionais. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, 15(1): 17-32, jan/jun 2001. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rpef/article/view/139482/134810. Acesso em: 23 ago. 2018.

DUEK, V. P. Docência e inclusão: reflexões sobre a experiência de ser professor no contexto da escola inclusiva. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, RS), 2006.

FORTALEZA (PREFEITURA MUNICIPAL). Educação Especial. 2021. Disponível em: http://educacao.fortaleza.ce.gov.br/index.php/rede-de-ensino/educacao-especial. Acesso em: 25 mar. 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. 25ª ed., Paz e Terra, São Paulo, 1996.

LACERDA, Lúcia Loreto; MORAIS, Cristina Richter Costa. o ensino da língua de sinais para crianças ouvintes: uma proposta de biliguismo às avessas. Anais do XI Congresso Nacional de Educação. Curitiba, 2013.

LANUTI, J. E. O. E; MANTOAN, M. T. E. Como os estudantes considerados com deficiência atrapalham “os demais”? Revista ENSIN@ UFMS, Três Lagoas, v. 2, n. 6, pp. 57-67. 2021. DOI: https://doi.org/10.55028/revens.v2i6.14708

LAZZARETTI, B.; FREITAS, A. S. Família e escola: contribuindo para o processo de inclusão escolar de crianças com deficiências. Caderno Intersaberes, vol. 5, n. 6, p. 1-13, jan.dez., 2006.

LOPES, Silmara Aparecida. Considerações sobre a terminologia Alunos com Necessidades Educacionais Especiais. Revista Educação Especial, v. 27 | n. 50 | p. 737-750 | set./dez. Santa Maria, 2014. DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X13355

MAGALHÃES, R. B. P. (org). Reflexões sobre a diferença: uma introdução à educação especial. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2003.

MATTHIESEN, S. Q.; DARIDO, S. C.; LORENZZETO, L. A.; IORIO, L. S.; RANGEL, I. C. A.; RODRIGUES, L. H.; NETO, L. S. Linguagem, corpo e educação física. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v. 7, n. 2, 2008. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/remef/article/view/588/373. Acesso em: 28 ago. 2020.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar: que é? por quê? como fazer? 1. Reimpressão – São Paulo: Summus, 2015.

MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

OLIVEIRA, F. F. Dialogando sobre educação, educação física e inclusão escolar. Revista Digital – Buenos Aires – Ano 8 – n. 51, ago., 2002. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd51/educa.htm. Acesso em: 08 ago. 2018.

PEREIRA, Arliene Stephanie Menezes; VENÂNCIO, Luciana. African and Indigenous games and activities: a pilot study on their legitimacy and complexity in Brazilian physical education teaching, Sport, education and society, 2021, pp. 718-732 . https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/13573322.2021.1902298. Acesso em: 28 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.1080/13573322.2021.1902298

SANCHES NETO, L. A brincadeira e o jogo no contexto da educação física na escola. In: SCARPATO, M.; CAMPOS, M. Z. (Orgs.). Educação física: como planejar as aulas na educação básica. 2ª ed. São Paulo: Avercamp, 2017. p. 115-136.

TRINCA, J. R.; VIANNA, P. B. M. O lúdico como estratégia de inclusão. Revista Pós-graduação: Desafios Contemporâneos. v.1, n.1, jun., 2014. Disponível em: http://ojs.cesuca.edu.br/index.php/revposgraduacao/article/view/616. Acesso em: 20 ago. 2018.

VENÂNCIO, L. O que nós sabemos? Da relação com o saber na e com a educação física em um processo educacional-escolar. Tese (Doutorado). Unesp-Presidente Prudente-SP, 2014.

VENÂNCIO, L.; BETTI, M.; FREIRE, E. S.; NETO, L. S. Modos de abordar a aprendizagem na Educação Física Escolar: sujeitos-interlocutores na relação com o saber. Rev. Bras. Educ. Fís. Escolar – REBESCOLAR, Ano II, V3 – Mar. 2016. Disponível em: https://www.rebescolar.com/Conpefe/MODOS-DE-ABORDAR-A-APRENDIZAGEM-NA-EDUCA%C3%87%C3%83O-F%C3%8DSICA-ESCOLAR%3A-SUJEITOS-INTERLOCUTORES-NA-RELA%C3%87%C3%83O-COM-O-SABER. Acesso em: 24 mar. 2021.

VENÂNCIO, L. As relações com os saberes e narrativas: achados preliminares a partir da Educação Física. 2017. In: FERNANDES, O. C.; COSTA JR, M. K.;VENÂNCIO, L. XXXVI Encontro de Iniciação Cientifica. Encontros Universitários da UFC 2017. Disponível em: www.periodicos.ufc.br/eu/article/view/25853/51776. Acesso em: 08 set 2018.

VOIGT, Rafaela Dybas; PAULA, Adriana Inês de. Atividades inclusivas nas aulas de educação física: atitudes de Estudantes sobre Inclusão. InterMeio: revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, Campo Grande, MS, v.27, n.53, p.119-137, jan./jun. 2021. Disponível em: https://intermeio.ufms.br/index.php/intm/article/view/13604/9304. Acesso em: 28 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.55028/intermeio.v27i53.13604

WILSON, J. Doing justice to inclusion. European Journal of Special Needs Education, 15, 3, 297-304, 2000. Disponível em: http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/088562500750017907. Acesso em: 23 ago. 2017. DOI: https://doi.org/10.1080/088562500750017907

Publicado

2022-09-18

Como Citar

SOUZA, S. T. B. de; PEREIRA, A. S. M.; VENÂNCIO, L. Alunos(as) com necessidades educacionais especiais na Educação Física Escolar: relatos de experiências de um professor-pesquisador. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 4, p. e48178, 2022. DOI: 10.47149/pemo.v4.e48178. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/8178. Acesso em: 20 jul. 2024.