Educação ambiental e o currículo escolar: algumas reflexões

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v3i3.7179

Palavras-chave:

Educação ambiental, Currículo, Natureza

Resumo

O despertar da cidadania é um dos mais libertários momentos da vida de crianças, jovens e adultos. É quando a noção de direitos e deveres transcende meros interesses individuais para traduzir uma nova visão de mundo, que reflete a responsabilidade de cada pessoa na construção de valores coletivos plenos, plurais e democráticos que assegurem o bem-estar humano e o respeito a todas as formas de vida em suas mais variadas manifestações. Na busca de soluções que alteram ou subvertem a ordem vigente, o tema propõe novos modelos de relacionamentos mais harmônicos com a natureza, novos paradigmas e novos valores éticos com uma visão holística, adota postura de integração e participação. Uma educação abrangente, crítica, problematizada. Para respaldar o estudo, a metodologia que utilizamos está amparada nos conceitos de Minayo (1999), quando diz que ao elaborar um projeto de pesquisa, o pesquisador estará lidando com, no mínimo, três dimensões: técnica, que são as regras científicas para a construção do projeto; ideológica, que está relacionada às escolhas do pesquisador, sempre tendo em vista o momento histórico; e, científica, haja vista que ultrapassa o senso comum a partir do método científico. Podemos caracterizar nossa pesquisa como sendo exploratória e bibliográfica, uma vez que buscamos fundamentação teórica com autores como Brasil (2018; 2001), Epagri (2014), Figueiredo (1999), Gil (2002), Minayo (1999), entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Átila Carneiro Lima, Escola Pequeno Mestre

Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE); Especialização (cursando) no Ensino de Geografia.

Ana Caroline de Vasconcelos de Araújo Arnaud, Instituto Acqua Ação e Cidadania

Enfermeira. Mestranda em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional – MDR, pela Universidade Anhanguera – Uniderp. Especialista em Saúde Mental pela Faculdade de Administração, Ciências, Educação e Letras – Facel, São Luís-MA. Graduada em Enfermagem pela Universidade Ceuma – Uniceuma, São Luís-MA.

Fernando Luís de Sousa Correia, Universidade da Madeira

Professor Auxiliar da Universidade da Madeira; Coordenador Científico do Departamento de Ciências da Educação da Universidade da Madeira; Diretor do Curso de Mestrado em Ciências da Educação – Supervisão Pedagógica da Universidade da Madeira; Coordenador das Práticas Pedagógicas do Departamento de Ciências da Educação da Universidade da Madeira.

Zuleide Fernandes de Queiroz, Universidade Federal do Cariri

Pedagoga, Doutora em Educação, Professora da Educação Superior e dos Programas de Mestrado: PRODER/UFCA, PMPEDU/UFCA, PROFHISTÓRIA/URCA. Universidade Regional do Cariri. Crato-Ceará-Brasil

Referências

ARAÚJO. F. de M. Educação ambiental e a prática da transversalidade na formação de professores: reflexos no ensino básico. Manaus: UEA, 2009.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Lei nº 9.795/1999. Disponível em: http://www.mma.gov.br/educacao-ambiental/politica-de-educacao-mbiental/historico-brasileiro. Acesso em: 25.09.2018.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: meio ambiente, saúde / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília. 2001.

EPAGRI. Educação Ambiental: compromisso com a vida. Caderno de Gestão Social e Ambienatl. Florianópolis, SC, 2014.

FIGUEIREDO, J. B. O tão ecocêntrico, em busca de uma praxis ecológica. Dissertação. Universidade Estadual do Ceará – UECE, 1999.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2002.

MARCONI, M. A; LAKATOS, E. M. Fundamentos da metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MINAYO, M. C. de S. [et al]. (Org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

NARCIZO. K. R. dos S. Uma análise sobre a importância de trabalhar educação ambiental nas escolas. Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., v. 22, janeiro a julho de 2009.

Publicado

2021-10-11

Como Citar

LIMA, F. Átila C.; ARNAUD, A. C. de V. de A.; CORREIA, F. L. de S.; QUEIROZ, Z. F. de. Educação ambiental e o currículo escolar: algumas reflexões. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 3, n. 3, p. e337179, 2021. DOI: 10.47149/pemo.v3i3.7179. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/7179. Acesso em: 18 out. 2021.