Inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais: desafios e perspectivas.

Autores

Palavras-chave:

Inclusão, Diversidade, Necessidades Educacionais Especiais

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar os desafios da inclusão para os educandos com necessidades especiais. O estudo consolidou-se por meio de revisões bibliográficas, investigativas a partir de depoimentos de Professores que relataram dificuldades por não estarem preparados para lidar com estes alunos, acarretando com isso inúmeras reclamações de pais, no que diz respeito ao descaso dos professores e funcionários em relação as crianças com deficiências. Verificou-se que a coordenação, mesmo afirmando ter material disponível, no entanto, não apresentava preparo adequado para os seus profissionais devido à ausência de suporte da Secretaria de Educação. Como considerações finais, acrescentam que a implantação e a operacionalização dos programas de inclusão escolar ainda são recentes, apresentando mecanismos que oferecem oportunidades para que os alunos possam frequentar atividades de acompanhamento pedagógico, recreativas, esportivas e culturais nas escolas regulares de ensino sempre com o auxílio de um cuidador. A validade da Educação Especial se justifica na certeza da importância de uma educação para todos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marilene Rosa da Silva, Fundação Universitária Iberoamericana

Graduada em Pedagogia (URCA). Especialista em Psicopedagogia Clínica Institucional, (UNIP). Especialista no ensino de História (Faculdade Metropolitana). Mestranda pela UNINI/ MÉXICO.

Maria Eliana Lopes de Souza, Fundação Universitária Iberoamericana

Graduada em Pedagogia (UFPR). Especialista em Pedagogia na empresa e organizações, Educação Especial e Inclusiva, Psicopedagogia, Neuropsicopedagogia e Altas Habilidades/Superdotação. Mestranda na UNINI/MÉXICO.

Vinicius Souza de Almeida, Fundação Universitária Iberoamericana

Graduação em Educação Física e Pedagogia (UNINOVE). Especialista em Docência em ensino superior (FACONNECT). Mestre pela UNINI/PORTO/RICO.

Referências

BARBOSA, A. K. G. .; BEZERRA, T. M. C. Educação Inclusiva: reflexões sobre a escola e a formação docente. Ensino em Perspectivas, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 1–11, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/5871. Acesso em: 5 ago. 2021.

BRASIL. Constituição Federal 1988. Brasília: Senado, 1988.

BRASIL. ECA. Estatuto da criança e do Adolescente. Lei nº 8069/90 de 13 de julho de 1990. Disponível em http:www.planalto.gov.br/ccivil _ 03/Leis/L8069.htm. Acessado em 03 set. de 2021.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação nº 9394 de 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989. (Apoio ás pessoas portadoras de deficiência).

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica/Secretaria de Educação Especial – MEC:SEESP, 2001.

BUENO, José Geraldo Silveira. Educação especial brasileira-Integração/segregação do aluno diferente. São Paulo. Educ. 1993.

CANAVERO. Espaço de Inclusão. Rede Saci: mhtCanavaro1984. Disponível em: http://www.tvebrasil.com/SALTO/boletins2002/ede/ede0. Acesso em 02/09/2021.

CARVALHO, Rosita Edier. A nova LDB e a Educação Especial. 2º Ed. Rio de Janeiro: WVA, 1998.

CUNHA, M. S. Ensino da Língua portuguesa na perspectiva da inclusão do aluno cego no nível fundamental.173 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Programa Pós-graduação em Educação. Universidade Federal de Sergipe, 2015.

DECRETO Nº 3.956, DE 8 DE OUTUBRO DE 2001. Promulga a Convenção Interamericana para Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiências. Guatemala, 2001.

DOLORES, Jacques Edier. A nova LDB e a educação especial. 3 ed. Rio de Janeiro, WVA, 1999.

EIZIRIK, M. Educação e Construção de Mundos: por onde passa a inclusão na escola regular? Projeto: Revista de Educação: inclusão. Porto Alegre. v. 5, n. 7, 2003.

FREITAS, M. C. de; FREITAS, B. M.; CAVALCANTE, G. F. A importância da escola para crianças em contexto familiar monoparental. Ensino em Perspectivas, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 1–13, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/4536. Acesso em: 5 ago. 2021.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: história da violência nas prisões, Petrópolis: Vozes, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra. 1996.

MANTOAN, Maria Teresa Egler et al. (org.). A integração de pessoas com deficiência. São Paulo: Memmon,1997.

MANTOAN, Maria Teresa Egler. Ser ou Estar, eis a questão: explicando o déficit intelectual. Rio de Janeiro: WVA,1997.

SANTOS, Monica P. Educação especial, inclusão e globalização: algumas reflexões. Rio de Janeiro: INES. 1997.

TAVARES, André Ramos. Curso de Direito Constitucional. 11. ed. rev. e atual. – São Paulo : Saraiva, 2013

UNESCO. Declaração de Salamanca e Linha de Ação sobre Necessidades Educativas Especiais. Brasília: CORDE, 1994.

Publicado

2021-10-04

Como Citar

Silva, M. R. da ., Souza, M. E. L. de ., & Almeida, V. S. de . (2021). Inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais: desafios e perspectivas . Ensino Em Perspectivas, 2(4), 1–14. Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/6728

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)