Brincadeiras e interações como eixos norteadores na Educação Infantil

Autores

Palavras-chave:

Brincadeira, Criança, Educação Infantil, Estágio Supervisionado

Resumo

A brincadeira se constitui como essencial no desenvolvimento infantil, é por meio dela que as crianças e interagem socializam. O presente trabalho tem a finalidade de refletir sobre a importância das brincadeiras e interações como norteadoras das práticas educativas na Educação Infantil. As observações foram realizadas durante o Estágio Supervisionado na EI em uma turma do infantil V de uma instituição pública do município de Nova Russas-CE. As atividades e ações pedagógicas observadas evidenciaram a importância que a ludicidade tinha para a professora regente da turma e como ela experienciou o brincar dentro da escola e reconheceu a eficácia deste no desenvolvimento infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosa Gabrielle Sousa Matos, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Graduada em pedagogia pela Universidade Estadual do Ceará. Cursando especialização em Psicopedagogia institucional e Ludopedagogia na Faculdade Única de Ipatinga.

Jeriane da Silva Rabelo, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Doutora, mestra e pedagoga, todas as formações pela Universidade Federal do Ceará (UFC).

Isabel de Carvalho Paiva, Secretaria Municipal de Educação de Nova Russas

Pedagoga pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Professora na Secretaria Municipal de Educação de Nova Russas – CE, atuando em turmas da Educação Infantil.

Referências

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC. 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase. Acesso em: 10 jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998, volumes: 1 e 2.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil. Brasília, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil / Secretaria de Educação Básica. – Brasília: MEC, SEB, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Básicos de Infraestrutura para instituições de educação infantil. Brasília, DF, 2006.

BORBA, Ângela Meyer. O brincar como um modo de ser e estar no mundo. In: Ensino Fundamental de Nove Anos: orientação para a inclusão da criança de seis anos de idade. 2 Ed. Ministério da Educação, Brasília, DF. 2007. 136 p.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

HORN, Maria da Graça Souza. Sabores, cores, sons, aromas: a organização dos espaços na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2007.

MALAGUZZI, Loris. História, ideias e filosofia básica. In: EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George. As cem linguagens da criança: abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. Tradução Deyse Batista. Porto Alegre: Artmed, 1999b. p. 59-104.

MALUF, Angela Cristina Munhoz. Atividades lúdicas para a educação infantil: conceitos, orientações e práticas. 2 Ed. Petrópolis, RJ: vozes, 2009.

MARCONI, Maria de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa. 3. Ed. São Paulo: Atlas, 1999.

PRODANOV, Cleber Cristiano. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico/Cleber Cristiano Prodanov, Ernani Cesar de Freitas. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

SILVA, C. H. do N.; CARVALHO, M. O. P. de.; PARENTE, J. R. F. O brincar e as brincadeiras populares em espaços não escolares. Ensino em Perspectivas, v. 2, n. 3, p. 1–7, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/6279. Acesso em: 06 ago. 2021.

SANTOS, L. S. dos. O que a escuta das crianças revela sobre os currículos praticados na Educação Infantil?. Ensino em Perspectivas v. 2, n. 2, p. 1–12, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/5119. Acesso em: 07 ago. 2021.

VELASCO, Cacilda Gonçalves. Brincar: o despertar psicomotor. Rio de Janeiro: Sprint Editora, 1996.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

Publicado

2021-08-09

Como Citar

Matos, R. G. S. ., Rabelo, J. da S. ., & Paiva, I. de C. . (2021). Brincadeiras e interações como eixos norteadores na Educação Infantil. Ensino Em Perspectivas, 2(4), 1–11. Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/6639