Estágio supervisionado remoto e docência: (auto)percepção de professores em formação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51281/impa.e022007

Palavras-chave:

Biologia., Formação de professores., Estágio.

Resumo

Durante o ano de 2020, os estágios supervisionados precisaram ser remodelados diante da interrupção das atividades educacionais presenciais devido à pandemia da COVID-19. Diante desse cenário, esta investigação intenciona compreender a (auto)percepção de professores em formação sobre o desenvolvimento dos estágios supervisionados, de modo remoto, na educação básica. A pesquisa, descritiva e de abordagem qualitativa, foi realizada com 57 licenciandos(as) de Biologia. Os dados foram coletados por meio de um formulário online e, posteriormente, analisados seguindo-se orientações da análise de conteúdo de Gibbs (2009). Pode-se perceber que para 86,21% dos participantes, o estágio ocorreu dentro do esperado ou superou as expectativas iniciais. Para mais, a aquisição de novos conhecimentos foi o aspecto de maior incidência nas expectativas superadas. Opostamente, empenho e envolvimento nas atividades desenvolvidas tiveram menor expectativa. Assim, apesar dos reveses encontrados durante o caminho, o desenvolvimento do estágio supervisionado, de modo remoto, trouxe novas aprendizagem e ressignificou sua prática docente.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jones Baroni Ferreira de Menezes, Faculdade de Educação de Crateús/Universidade Estadual do Ceará (FAEC/UECE)

Docente da Faculdade de Educação de Crateús (FAEC/UECE). Doutor em Educação (PPGE/UECE). Mestre em Ciências Fisiológicas (UECE). Especialista em Educação a distância (UAB/UECE). Licenciado e Bacharel em Ciências Biológicas (UECE).

Maria Márcia Melo de Castro Martins, Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Iguatu/Universidade Estadual do Ceará

Professora do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas (UECE/FECLI); Doutora e Mestre em Educação (PPGE/UECE); Mestre em Ensino de Ciências e Matemática (PPGENCIMA/UFC); Licenciada e Bacharel em Ciências Biológicas (UFC). Membro do Grupo de Pesquisa em Docência no Ensino Superior e na Educação Básica - GDESB.

Referências

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. PARECER CNE/CP 28/2001. Diário Oficial da União de 18/1/2002, Seção 1, p. 31.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 maio 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria n.º 343, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus - COVID-19. 2020.

BRASIL. Resolução CNE/CP 2/2019. Diário Oficial da União, Brasília, 15 de abrilde 2020, Seção 1, p. 46-49, 2020.

CEARÁ. Projeto pedagógico curso de Ciências Biológicas - modalidade licenciatura– FAEC/UECE. 2012.

CEARÁ. Conselho Estadual de Educação. Resolução Nº 484/2020. Altera o artigo 2º e o Parágrafo único do artigo 7º da Resolução CEE nº 481, de 20 de março de 2020, que dispõe sobre o regime especial de atividades escolares não presenciais (remotas) no Sistema de Ensino do Estado do Ceará, para fins de reorganização e cumprimento do calendário letivo do ano de 2020, como medida de prevenção e combate ao contágio do coronavírus (COVID-19), e dá outras providências. 2020. Disponível em: https://www.cee.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/49/2019/05/RESOLU%C3%87%C3%83O-n%C2%BA-484.2020.pdf

CEARÁ. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Estadual do Ceará. RESOLUÇÃO nº 4544/2020. Regulamenta, em caráter excepcional, a oferta especial de disciplinas e de outros componentes curriculares da graduação, por meio remoto, no semestre 2020.1, em função da suspensão das aulas e atividades acadêmicas presenciais, decorrente da pandemia da covid-19, e dá outras providências. 2020a. Disponível em: http://www.uece.br/wp-content/uploads/2020/09/RES.-4544-CEPE.pdf

FERRAZ, R.D.; FERREIRA, L.G. Estágio supervisionado no contexto do ensino remoto emergencial: entre a expectativa e a ressignificação. Revista de estudos em educação e diversidade-REED, v. 2, n. 4, p. 1-28, 2021.

GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre, Artmed; 2009.

LIMA, M. S. L. Estágio e aprendizagem da profissão docente. Brasília: Liber Livro, 2012.

MENEZES, J. B. F.; SILVA, H. D. A. Relevância e contribuições do estágio supervisionado para o exercício da profissão docente na percepção dos licenciandos em Ciências Biológicas. Iniciação & Formação Docente, v. 5, n. 2, p. 36 a 49-36 a 49, 2018.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MOURA, F. N. S.; RODRIGUES, C. M. C.; DE MENEZES, J. B. F. Tecnologias digitais educacional: tessituras da prática docente. Ensino em Foco, v. 2, n. 5, p. 72-86, 2019.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2008.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2014.

SILVA, A. C. O.; SOUSA, S. A.; MENEZES, J. B. F. O ensino remoto na percepção discente: desafios e benefícios. Dialogia, n. 36, p. 298-315, 2020.

SOBERAY, S. M.; FREITAS, L. G. Ensino remoto emergencial e o estágio supervisionado em educação em tempos de pandemia da covid-19. Revista De Estudos Em Educação E Diversidade-REED, v. 2, n. 4, p. 1-27, 2021.

SOUZA, E. M. F.; FERREIRA, L. G. Ensino remoto emergencial e o estágio supervisionado nos cursos de licenciatura no cenário da Pandemia COVID 19. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 13, n. 32, p. 85, 2020.

SOUZA, F.Q; PAIXÃO, G.C.; MENEZES, J.B.F. Desafios e anseios do ser professor: uma perspectiva de professores em formação. Ensino em Foco, v. 3, n. 6, p. 32-46, 2020.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

Publicado

2022-05-09

Como Citar

MENEZES, J. B. F. de; MARTINS, M. M. M. de C. Estágio supervisionado remoto e docência: (auto)percepção de professores em formação. Revista de Instrumentos, Modelos e Políticas em Avaliação Educacional, [S. l.], v. 3, n. 1, p. e022007, 2022. DOI: 10.51281/impa.e022007. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/impa/article/view/8131. Acesso em: 23 jul. 2024.