A saúde mental dos professores no cenário de pandemia, em Sobral-CE

Autores

Palavras-chave:

Ensino remoto, Saúde mental, Pandemia

Resumo

Este artigo surgiu a partir da disciplina estágio curricular Supervisionado em Gestão Educacional, com o projeto realizado em uma escola da Rede Pública do Município de Sobral – CE. Apresenta como objetivo compreender como está a saúde mental dos profissionais da referida Escola Pública, visto que, as atividades nesse período de pandemia estão sendo realizadas de forma remota. O caminho metodológico insere-se em uma abordagem qualitativa, bibliográfica em campo virtual, na qual foi utilizado um questionário por meio do Google Forms, com perguntas sobre a temática investigada. O referido trabalho indaga sobre a seguinte questão: como está a saúde mental dos profissionais que estão atuando no espaço escolar no período pandêmico, em Sobral, Ceará? Evidenciamos como possíveis resultados que os profissionais dessa instituição afirmaram que esse período está sendo desafiador, pois são muitas demandas, porém, a gestão tem uma preocupação em realizar momentos de formações direcionadas para essas temáticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Marques Meneses

Graduando do Curso de Pedagogia pela Universidade estadual Vale do Acaraú.

Antônia Silva Araújo, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)

Graduanda do Curso de Pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú.

Lídia Azevedo de Menezes Rodrigues, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)

Doutora e Mestra em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará. Professora adjunta I do curso de Pedagogia (UVA).

Referências

ABU-EL-HAJ, M. F.; FIALHO, L. M. F. Formação docente e práticas pedagógicas multiculturais críticas. Revista Educação em Questão, Natal, v. 57, n. 53, p. 1- 27, e-17109, jul./set. 2019. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/17109. Acesso em: 25 jun. 2021.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, SP: Atlas, 2002.

LIMA, M. S. L.; PIMENTA, S. G. Estágio e docência: diferentes concepções. Poíesis Pedagógica, n.3 v. 4, p. 5-24, 2006.

NAZARÉ, O. E.; AGUIAR, R. C. de; OLIVEIRA de A., M. T.; CORDEIRO, E. S.; QUEIROZ, L. T. Benefícios da Atividade Física para Saúde Mental. Saúde Coletiva, v. 8, N. 50, p 126-130, 2011. Editorial Bolina São Paulo, Brasil.

Organização Mundial da Saúde. Constituição da Organização Mundial da Saúde (OMS/WHO) – 1946. 2017 Disponível em: http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/OMS-Organiza%C3%A7%C3%A3o mundial-da-Sa%C3%BAde/constituicao-da-organizacao-mundial-da-saude omswho.html. Acesso em: 01 fev. 2021.

PEREIRA, H. P.; SANTOS, F. V.; MANENTI, M. A. Saúde Mental de Docentes em Tempos de Pandemia: os impactos das atividades remotas. Boletim de Conjuntura (BOCA), v. 3, n. 9, p. 26-32, 2020.

ZAIDAN, J. M.; GALVÃO, A. C. “COVID19 e os abutres do setor educacional: a superexploração da força de trabalho escancarada”. In: AUGUSTO, C. B.; SANTOS, R. D. (orgs.). Pandemias e Pandemônio no Brasil. São Paulo: Instituto Defesa da Classe Trabalhadora, 2020.

Publicado

2021-08-09

Como Citar

Meneses, J. M. ., Araújo, A. S. ., & Rodrigues, L. A. de M. . (2021). A saúde mental dos professores no cenário de pandemia, em Sobral-CE. Ensino Em Perspectivas, 2(4), 1–11. Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/5993