O papel da escola como instrumento de combate ao preconceito linguístico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v3i2.4614

Palavras-chave:

Cultura, Sociolinguística, Social, Preconceito

Resumo

O objetivo deste trabalho foi desenvolver uma discussão acerca da sociolinguística, além de compreender a influência da escola no combate ao preconceito linguístico. A metodologia utilizada foi à revisão bibliográfica, onde foram analisadas obras que tratam desta temática. É dever da escola, como uma ferramenta de formação científica, humana e social conscientizar os alunos sobre a formação da linguagem, pois a maneira de falar, muitas vezes tem intrínseca relação com a cultura de cada região. Outrossim, o professor deve ter a consciência de mostrar aos alunos que embora se tenha uma linguagem culta, existem outras manifestações linguísticas que são formadas dentro da cultura e dos costumes de cada um. Entretanto, para que haja a redução da discriminação linguística, infere-se que o primeiro passo é a conscientização acerca das variedades de manifestações da língua, que deve ser respeitada para que possa acontecer a diminuição da segregação social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Luciléia Gonçalves da Silva, Universidade Regional do Cariri

Graduanda em Letras pela Universidade Regional do Cariri – URCA/CE. Realiza pesquisas nas áreas da sociolingüística, Escola e comunicação, aspectos socioculturais da educação e avaliação escolar.

Referências

ARRUDA, J. S. SIQUEIRA, L. M. R. de C. Metodologias Ativas, Ensino Híbrido e os Artefatos Digitais: sala de aula em tempos de pandemia, Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, 2020. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/4292

BAGNO, M. Preconceito lingüístico - o que é, como se faz. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

BAGNO, M. Preconceito lingüístico - o que é, como se faz. 40ª edição. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

BAGNO, M. Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística. Parábola: São Paulo, 2007.

BELO, P. A. de P.; OLIVEIRA, R. M de; SILVA, R. C da. Reflexos da relação professor-aluno para a aprendizagem no contexto formal de ensino. Rev. Pemo, Fortaleza, v. 3, n. 2, e323880, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3880

BEZERRA, N. P. X; VELOZO, A. P; RIBEIRO, E. Ressignificando a prática docente: experiências em tempos de pandemia. Rev. Pemo, Fortaleza, v. 3, n. 2, e323917, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3917

BRASIL. Ministério da educação e do desporto. Secretaria de educação fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Língua portuguesa: Ensino de primeira à quarta série. Brasília, DF: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da educação e do desporto. Secretaria de educação fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: Introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998a.

CÂMARA JR. J,M. Problemas de Linguística Descritiva. Vozes, Petrópolis, RJ. 1976

CARVALHO, S. C. de. Palestra sobre Atitudes Linguísticas do professor em sala de aula. In: Especial semana nacional de ciência e tecnologia, Engenho Massangana/Fundaj, Recife 21/10/2011. Disponível em: www.engenhomassangana.wordpress.com

COAN, M.; FREITAG, R. M. K. Sociolinguística Variacionista: pressupostos teórico-metodológico e propostas de ensino. Revista eletrônica de Linguística, v. 4, n. 2, p. 174-194. Disponível em: www.seer.ufu.br/index.php/dominiodelinguagem/article/.../6863

GADOTTI, M. Perspectivas atuais da educação. Perspectivas, v.14, n.2, São Paulo, 2000.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2007.

LIMA, G. A; PREIRA, A.H.M; SILVA, M.L.G da; SILVA, C.R.F da; NEVES, A.J.R; Interfaces da linguagem: Escola e cultura. Brazilian Journal. of Development, Curitiba, v. 6, n.12, p.102016-102024, dez. 2020.

PRETI, D. F. Sociolinguística: os Níveis da Fala, EDUSP, São Paulo, 2003.

SANTOS, S. C. M. dos. SOUSA, J. R. de, FONTES, A. L. de L. Protagonismo estudantil em feira de ciências na escola. Educação & Formação, Fortaleza, v. 5, n. 3, p. 1-22, 2020. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/2151

SILVA, K. F. M da. CORRÊA, C. P. Q. Atratividade docente entre os ingressantes no curso de pedagogia. Educação & Formação, Fortaleza, v.5, n.13, p. 59-78, jan./abr. 2020 DOI: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/1468

SOARES, M. Linguagem e Escola: uma perspectiva social. São Paulo: Editora Ática, 2000.

YIN. R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Publicado

2021-02-10

Como Citar

SILVA, M. L. G. da. O papel da escola como instrumento de combate ao preconceito linguístico. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 3, n. 2, p. e324614, 2021. DOI: 10.47149/pemo.v3i2.4614. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/4614. Acesso em: 18 maio. 2022.