Narrativas autobiográficas de professoras da educação básica

a constituição da identidade docente como processo permanente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v1i2.3512

Palavras-chave:

Autobiografia, Formação docente, Identidade docente

Resumo

Este estudo inscreve-se numa perspectiva formativa, proveniente de dois encontros desenvolvidos com professoras que atuam na educação básica. Tendo emergido desse contexto plural, esse estudo teve o objetivo de compreender o processo de constituição da identidade profissional docente através de narrativas autobiográficas de professores da educação básica. Para tal fim, foi desenvolvida uma pesquisa denominada pesquisa narrativa, com abordagem qualitativa. Como principal achado da pesquisa, destaca-se o fato de as professoras relatarem certa incipiência de seus saberes, gerando insegurança diante das demandas do cotidiano escolar. Com o desenvolver das etapas da pesquisa, as professoras perceberam que, na verdade, a formação inicial não dá conta de tudo e que novas perspectivas de formações futuras devem ser consideradas. Conclui-se, assim, que as experiências vivenciadas durante todo o processo formativo dos professores contribuem para que seus saberes, sua identidade e suas práticas sejam permanentemente ressignificadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francinalda Machado Stascxak, Universidade Estadual do Ceará

Mestranda em Educação pelo Programa de Pós-graduação - UECE. Especialista em Formação de Formadores e os Processos de Coordenação Pedagógica na Educação Básica e no Ensino Superior - UECE (2018). Especialista em Gestão Escolar e Coordenação Pedagógica - Uni7 (2015). Licenciada em Português e Inglês pela Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA (2004). Professora de Língua Portuguesa e de Língua Inglesa da Educação Básica. Membro do Grupo de estudos Práticas e Pesquisas Memória e Oralidade - (PEMO) - UECE.

Juliana Silva Santana, Universidade Federal do Ceará

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação – UFC, Mestra em Educação (UFC), especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional e em Educação Inclusiva (UECE), graduada em Pedagogia (Plus) e Geografia (UECE). Membro colaboradora do grupo de pesquisa Pró-inclusão – Educação Especial e Inclusiva, práticas pedagógicas e formação de professores (FACED – UFC).

Referências

ABRAHÃO, M. H. M. B. Memória, narrativas e pesquisa autobiográfica. History of Education Journal, v. 7, n. 14, p. 79-95, 2003.

BEGO, A. Políticas públicas e formação de professores sob a perspectiva da racionalidade comunicativa: da ingerência tecnocrata à construção da autonomia profissional. Educação & Formação, Fortaleza, v. 1, n. 2, p. 3-24, 2016. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/98 Acesso em: 05 dez. 2018.

CLANDININ, D. J.; CONNELLY, F. M. Pesquisa Narrativa: experiências e histórias na Pesquisa qualitativa; tradução: Grupo de pesquisa narrativa e educação de professores ILEEL/UFU. 2. ed. rev. Uberlândia: EDUFU, 2015.

GATTI, B. A. A formação inicial de professores para a educação básica: as licenciaturas. Revista USP. São Paulo. n. 100. p. 33-46. Dez./Jan./Fev. 2013-2014.

GATTI, B. A.; TARTUCE, G.L.B.P.; NUNES, M.M.R.; ALMEIDA, P.C.A. A atratividade da carreira docente. Fundação Carlos Chagas. 2016. Disponível em: < http://www.fvc.org.br/estudos-e-pesquisas/avulsas/estudos1-4-atratividade-carreira.shtml. >Acesso em jul. 2017.

GENÚ, M. A abordagem da ação crítica e a epistemologia da práxis pedagógica. Educação & Formação, Fortaleza, v. 3, n. 3, p. 55-70, 2018. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/856. Acesso em: 30 dez. 2018.

IMBERNÓN, Francisco. Formação permanente do professorado: novas tendências. Tradução de Sandra T. Valenzuela. São Paulo: Cortez, 2009.

JARDILINO, J. R.; SAMPAIO, A. M. Desenvolvimento profissional docente: Reflexões sobre política pública de formação de professores. Educação & Formação, Fortaleza, v. 4, n. 1, p. 180-194, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/848. Acesso em: 03 fev. 2019.

MORORÓ, L. A influência da formação continuada na prática docente. Educação & Formação, Fortaleza, v. 2, n. 1, p. 36-51, 2017. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/122. Acesso em: 03 fev. 2019.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: ______. (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

SILVA, R. C.; MACHADO, C. J. S. Memória e narrativas autobiográficas: subsídios metodológicos para pesquisas em História da educação. In: FIALHO, L. M. F.; CASTRO, E. S.; CASTRO, J. L. C. (Auto)Biografias e formação docente. Fortaleza: EdUECE, 2015.

SOUSA, E.; MARQUES, E. O processo de constituir-se professor na relação objetividade-subjetividade: significações acerca da mediação social na escolha pela docência. Educação & Formação, Fortaleza, v. 4, n. 2, p. 82-96, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/841. Acesso em: 30 mar. 2019.

Publicado

2019-05-01

Como Citar

STASCXAK, F. M.; SANTANA, J. S. Narrativas autobiográficas de professoras da educação básica: a constituição da identidade docente como processo permanente. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 1–13, 2019. DOI: 10.47149/pemo.v1i2.3512. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3512. Acesso em: 24 jun. 2024.