“Meu quintal é maior que o mundo”: reflexões sobre currículo na Educação Infantil

Autores

Palavras-chave:

Educação Infantil, Currículo, Planejamento, Interações

Resumo

O presente artigo aborda reflexões acerca da compreensão de currículo na Educação Infantil. Para este feito, relacionou-se as orientações publicadas pela Secretaria Municipal de Educação do município de Fortaleza e algumas propostas de interações planejadas por uma docente dessa rede durante o período de distanciamento social ocasionado pela pandemia do Covid-19. Foi possível encontrar nos documentos, a priorização do uso da brincadeira e da manutenção das relações entre instituições e famílias, fato que vai ao encontro das normatizações já existentes para a etapa. A proposta descrita traz elementos que buscam seguir essas orientações, assim como vão ao encontro dos avanços construídos em relação a concepções e desenvolvimento de práticas pedagógicas para esta etapa da educação.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Azevedo Furtado, Prefeitura Municipal de Fortaleza

Pedagoga. Psicopedagoga. Especialista em Docência da Educação Infantil. Mestra em Educação Brasileira. Formadora na Prefeitura Municipal de Fortaleza.

Francisca Paloma Almeida Vital

Pedagoga. Especialista em Docência na Educação Infantil. Técnica da Célula de Desenvolvimento Curricular – SME/PMF.

Referências

BARBOSA, Maria C. S. Pedagogia da infância. In: OLIVEIRA, D. A.; DUARTE, A. M. C.; VIEIRA, L. M. F. Dicionário: trabalho, profissão e condição docente. BH: UFMG, 2010.

BARBOSA, Maria C. S.; OLIVEIRA, Zilma R. Currículo e Educação Infantil. In: MEC/SEB. Currículo e linguagem na Educação Infantil. Coleção Leitura e escrita na educação infantil; v. 7. Brasília: MEC/SEB, 2016.

BONFIM, Patrícia V.; OSTETTO, Luciana E. Na gestualidade de professoras e bebês, o corpo fala de relações. Educação & Formação, Fortaleza, v. 5, n.14, maio/ago 2020. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/1647/2475. Acesso em: 05 ago. 2021.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Parecer 20/09. Resolução no 05/09 Brasília: MEC/SEB, 2009.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017.

CASTRO, Mayara Alves de; VASCONCELOS, José Gerardo; ALVES, Maria Marly Alves. “Estamos em casa!”: narrativas do cotidiano remoto da educação infantil em tempo de pandemia. Rev. Pemo, Fortaleza, v. 2, n. 1, p. 1-17, 2020. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3716. Acesso em: 05 ago. 2021.

COSTA, Maria Aparecida Alves da; SILVA, Francisco Mário Carneiro da; SOUZA, Davison da Silva. Parceria entre escola e família na formação integral da criança. Rev. Pemo, Fortaleza, v. 1, n. 1, p. 1-14, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3476. Acesso em: 05 ago. 2021.

CRUZ, Silvia H. V. (org.) A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008.

CRUZ, Silvia H. V. As diretrizes curriculares nacionais para a Educação Infantil: uma breve apresentação. In: TV Escola, Salto para o futuro. Novas Diretrizes para a Educação Infantil. Ano XXIII. Boletim 9, Junho de 2013.

CRUZ, Silvia H. V.; MARTINS, Cristiane A.; CRUZ, Rosimeire C. A. A Educação Infantil e demandas postas pela pandemia: intersetorialidade, identidade e condições para o retorno às atividades presenciais. Revista Zero-a-seis, v. 23, n. especial, jan/2021. Disponível em https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/issue/view/3163.

FORTALEZA. SME orienta a organização de interações/vivências no apoio as famílias da Educação Infantil no período de suspensão do atendimento presencial. FORTALEZA, 2020. Disponível em: https://www.fortaleza.ce.gov.br/noticias. Acesso em: 05 ago. 2021.

FORMAN, George. O uso das mídias digitais em Reggio Emilia. In: EDWARDS, C.; GANDINI, L.; FORMAN, G. As cem linguagens da criança: A experiência de Reggio Emilia em transformação. Porto Alegre: Penso, 2016.

QUINTEIRO, Jucirema. Infância e Educação no Brasil: um campo de estudos em construção. In: FARIA, A. L. G.; DEMARTINI, Z. B. F.; PRADO, P. D. (orgs.) Por uma cultura da infância: metodologias de pesquisa com crianças. Campinas, SP: Autores Associados, 2009.

ROCHA, Eloisa A. C. A pesquisa em Educação Infantil no Brasil: trajetória recente e perspectivas de consolidação de uma pedagogia. Tese de Doutorado. Universidade de Campinas, SP, 1998.

SANTOS, Lilian S. dos. O que a escuta das crianças revela sobre os currículos praticados na Educação Infantil? Ensino em Perspectivas, Fortaleza, v. 2, n. 2, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/5119. Acesso em: 05 ago. 2021.

TIRIBA, Lea. Educação Infantil como direito e alegria. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2018.

ZAVALLONI, Gianfranco. A pedagogia do caracol: Por uma escola lenta e não violenta. Americana, SP: Adonis, 2014.

Publicado

2021-08-06

Como Citar

Furtado, A. P. A. ., & Vital, F. P. A. (2021). “Meu quintal é maior que o mundo”: reflexões sobre currículo na Educação Infantil. Ensino Em Perspectivas, 2(3), 1–15. Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/6172