A cultura afro-brasileira

apresentada nas aulas de História do Ensino Médio articulada à obra Diário de Bitita

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v3i2.4429

Palavras-chave:

Cultura afro-brasileira, Literatura, História

Resumo

O objetivo principal deste artigo, centra-se na socialização do relato de experiência em que buscamos transdisciplinar o Ensino de História da Cultura Africana e Afro-brasileira, nas aulas de História ministradas no Ensino Médio a partir da reflexão e do diálogo estabelecido entre o conteúdo em questão e a obra literária Diário de Bitita. Cujo foco principal, refere-se à articulação das Leis 10.639/03 e 11.645/08, estabelecidas por meio de políticas afirmativas conquistadas pelas constantes lutas empreendidas pelos Movimentos Negros em favor da descolonização dos Currículos e reconhecimento da relevância dos negros e de sua cultura na construção histórica do Brasil. Deste modo, mantivemos o diálogo entre a História, a Literatura e a Memória, buscando evidenciar fatos do cotidiano da autora Maria Carolina de Jesus, uma mulher, negra e pobre, que desenvolveu sua trajetória de vida conseguindo superar os infortúnios impostos aos negros pelos discursos e ações eurocêntricas da sociedade elitista do Brasil Colonial até os primórdios do século XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleusa Teixeira de Sousa, Universidade de Coimbra; Secretaria Estadual de Goiás.

Doutora em História pelo Programa de Pós-Graduação de História da Universidade Federal de Goiás. Professora de História da SEE-Go  É membro do Sapientia: Laboratório de estudos em Idade Média e Moderna na UFG; pesquisadora do Centro de História, Sociedade e Cultura - CHSC- FLUC. Pesquisadora visitante da Universidade de Coimbra, onde realizou estágio com bolsa Capes de doutorado sanduíche sob a orientação do Professor Doutor Saul Antônio Gomes. Seu foco de pesquisa nos últimos anos de suas produções se centra, sobretudo, nas temáticas relacionadas à: Ensino de História; Ensino de História da Cultura africana, afro-brasileira e indígena; Diversidades Culturais;  Direito Medieval; História da Educação, História Medieval; Portugal Medieval; Relações de Poder; Brasil Colônia; História Judaica e Literatura Judaica; História dos Cristãos Novos; Empreitada Marítima; Transição do Período Medieval para o Moderno; Inquisição em Portugal e no Brasil.

Gilberto Cézar de Noronha, Universidade Federal de Uberlândia

Professor do Instituto de História da Universidade Federal de Uberlândia – MG; Doutor em História pela Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

BERNARDES, Vânia Aparecida Martins e RODRIGUES FILHO, Guimes (orgs.). Educação para as relações étnico-raciais: outras perspectivas para o Brasil. 1 ed. Uberlândia: Gráfica Lopes, 2012.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. (20 de dezembro de 1996). Lei número 9394/96.

BRASIL. Lei nº 10.639/2003. (9 de janeiro de 2003). Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de História e Cultura afro-brasileira e africana. MEC/SEPIR, 2005.

BRASIL. Lei nº 11.645/2008. (10 de abril de 2008). Alerta a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei nº 10.639/2003.

CANDAU, Vera Maria. Educação em direitos humanos: uma proposta de trabalho, 1999. In. Oficinas aprendendo e ensinando Direitos Humanos. Disponível em: < http://www.dhnet.org.br/direitos/militantes/veracandau/candau_edh_proposta_trabalho.pdf>. Acesso: nov./2020.

CAREZER, Osvaldo Mariotto e RIBEIRO, Renilson Rosa. A formação de professores na fronteira: currículo e diversidade étnico-racial nos cursos de licenciatura em História (Mato Grosso, Brasil). In. MÜLLER, Tânia Mara Pedroso; et al. (orgs.). Relações étnico-raciais, formação de professores e currículo. São Paulo: Ed. Livraria da Física, 2015, p.101-138.

CARULA, Karoline; SILVA, Glaydson José da. As representações dos negros nos livros didáticos de História da Educação de Jovens e Adultos. EJA (PNLD, 2011). In. CORENZA, Janaína de Azevedo. Formação inicial de professores: conversas sobre relações raciais e educação. Curitiba: Appris, 2018.

COSTA, Candida Soares e OLIVEIRA, Ozerina Victor. Relações raciais, currículo e prática pedagógica na formação superior: olhar de dentro para fora. In. MÜLLER, Tânia Mara Pedroso, et al. (orgs.). Relações étnico-raciais, formação de professores e currículo. São Paulo: Editora Livraria Física, 2015, pp. 47-74.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. São Paulo: Editora Ática, 2014.

FREIRE, Gilberto. Casa-grande e senzala. Rio de Janeiro: Record, 2000.

LOPES, Tania Maria Rodrigues; TORRES, Maria Nahir B. Ferreira e MENEZES, Iany Bessa S. História da formação de professores no Ceará: da escola normal aos ambientes virtuais de aprendizagem. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, v. 2, n. 3, p. e233724, 1 ago. 2020. Disponível em: <https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3724/3256>. Acesso em: nov./2020.

MALDONADO-TORRES, N. Descolonización y el giro des-colonial. Tabula Rasa, n. 9, p. 61-72, 2008.

SANTOS, Wolney Nascimento; DANTAS JUNIOR, Hamilcar Silveira; ZOBOLI, Fábio. Cinema, educação e africanidades: a memória no documentário “Caixa d’água qui-lombo é esse?”. Educação & Formação, v. 5, n. 3, p. e2508. Disponível em: <https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/2508> Acesso em: 6 abr. 2020.

STAMATTO, Maria Inês Sucupira. Um olhar na história: a mulher na escola Brasil: 1549 – 1910. Disponível em: < http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe2/pdfs/Tema5/0539.pdf>. Acesso em: mai./2019.

XAVIER, Antônio Roberto; MUNIZ, Karla Renata Aguiar; VASCONCELOS, José Geraldo; PINTO, Francisco Ricardo Miranda. Memória: abordagem teórico-conceitual. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, v. 3, n. 1, p. e313798. Disponível em: <https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3798> Acesso em: 20 set. 2020.

Publicado

2021-01-03

Como Citar

SOUSA, C. T. de; NORONHA, G. C. de. A cultura afro-brasileira: apresentada nas aulas de História do Ensino Médio articulada à obra Diário de Bitita. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 3, n. 2, p. e324429, 2021. DOI: 10.47149/pemo.v3i2.4429. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/4429. Acesso em: 26 jan. 2022.