Metodologias ativas no ensino de geografia

a utilização de charges no processo de ensino e aprendizagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v3i2.4409

Palavras-chave:

Ensino de Geografia, Charges, Metodologia Ativa, Aprendizagem Lúdica

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo discutir acerca da utilização de charges no ensino de Geografia, considerando os limites e as potencialidades dessa atividade enquanto metodologia ativa no processo ensino-aprendizagem. Consideramos para a realização desse trabalho a experiência obtida por meio de uma aula expositiva dialogada em uma turma de 9° ano da Escola Municipal Projeto Nascente, na cidade de Fortaleza/CE. Para a consecução desta, considerou-se como ponto de partida a revisão de literatura que alberga a temática abordada. Procurou-se exercitar o pensamento e a interação dos estudantes do ensino básico a partir da apreensão e capacidade de assimilação dos conteúdos abordados, analisando por meio da atividade proposta, e discutida neste trabalho, a melhoria da qualidade do ensino, uma vez que através das atividades lúdicas os educandos podem dar significado ao que aprendem durante as aulas de Geografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabel Crislane Mota da Silva, Universidade Estadual do Ceará

Graduanda de Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará. Pesquisadora na área do Ensino Geografia e Geografia Ambiental, com ênfase em Educação Ambiental. Atua como bolsista BICT 2019-2020 e 2020-2021, com foco em conflitos e impactos socioambientais.

Maria Alana dos Santos Monteiro, Universidade Estadual do Ceará

Graduanda de Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará. Atua como bolsista de Iniciação Científica no Laboratório de Geologia e Educação em Solos e é pesquisadora na área do Ensino de Geografia e Geografia Cultural, com foco nas metodologias ativas.

João Amadeu dos Santos, Universidade Estadual do Ceará

Graduando de Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará. Atua como bolsista de Iniciação Científica no Laboratório de Geologia e Educação em Solos. Atua desenvolvendo pesquisas na área do Ensino de Geografia, com ênfase em metodologias ativas.

José de Albuquerque, Universidade Estadual do Ceará

Graduando em Geografia na modalidade Licenciatura pela Universidade Estadual do Ceará - UECE. Compõe o corpo gestor do Centro Acadêmico Autônomo de Geografia da Universidade Estadual do Ceará (CAAGEO). Pesquisador na área do Ensino de Geografia Física.

Referências

BRASIL. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Médio: Ciências Humanas e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2000. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/geografia.pdf. Acesso em: 12 jun. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC. 2017. Disponível em: file:///F:/5%C2%BA%20SEMESTRE/Met.%20e%20Pr%C3%A1tica%20II/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10 jun. 2020.

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. 11. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983a.

GEBRAN, Raimunda Abou. A Geografia no Ensino Fundamental – A trajetória histórica e proposições pedagógicas. Revista Científica da Universidade do Oeste Paulista – Unoeste. 2002.

KIMURA, S. Geografia no ensino básico: questões e propostas. 2ª. ed. São Paulo: Contexto, 2010.

KOLB, D. A. (1984). Experiential Learning: Experience as the Source of Learning and Development. Englewood Cliffs: Prentice-Hall. 1984.

LEMKE, Jay L. Investigar para el futuro de la educación científica: nuevas formas de aprender, nuevas formas de vivir. Enseñanza de las ciencias: revista de investigación y experiencias didácticas, [en línea], 2006, Vol. 24, n.º 1, pp. 5-12.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Edições Loyola, 1985.

MORAES, Jerusa Vilhena de; CASTELLAR, Sonia Maria Vanzella. Metodologias ativas para o ensino de Geografia: um estudo centrado em jogos. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol. 17, Nº 2, 422-436. 2018.

OLIVEIRA NETO, B. M.; PEREIRA, A. G.; PINHEIRO, A. A contribuição do Programa de Residência Pedagógica para o aperfeiçoamento profissional e a formação docente. Rev. Pemo, Fortaleza, v. 2, n. 2, p. 1-12, 2020. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3669 . Aceso em: 20 nov. 2020.

SABÓIA, Valquíria Soares Mota; BARBOSA, Rozilda Pereira. Base nacional comum curricular: competências, habilidades e o planejamento escolar. Rev. Pemo, Fortaleza, v. 2, n. 1, p. 1-13, 2020. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/3663. Aceso em: 20 nov. 2020

SAVIANI, Demerval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11ª ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

SILVA, Alcinéia de Souza; FARIAS, Ricardo Chaves; LEITE, Cristina Maria Costa. O trabalho de campo para além de uma atividade prática nas aulas de geografia: uma metodologia de viabilização da construção do conhecimento geográfico. Rev. Tamoios, RJ, ano 15, n. 1, pág. 31-45. 2019. Apud LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2013.

Publicado

2021-01-06

Como Citar

SILVA, I. C. M. da; MONTEIRO, M. A. dos S.; SANTOS, J. A. dos; ALBUQUERQUE, J. de. Metodologias ativas no ensino de geografia: a utilização de charges no processo de ensino e aprendizagem. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 3, n. 2, p. e324409, 2021. DOI: 10.47149/pemo.v3i2.4409. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/4409. Acesso em: 18 maio. 2022.