Protagonismo juvenil na política do Novo Ensino Médio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v5.e510535

Palavras-chave:

Protagonismo juvenil, Novo Ensino Médio, Ciclo de políticas

Resumo

O artigo tem como objetivo identificar de que forma o protagonismo juvenil vem sendo referenciado nos textos oficiais da política do Novo Ensino Médio, como também, perceber a contribuição desse protagonismo para o ensino médio. A metodologia utilizada é de caráter qualitativo e, para construção dos dados, utilizamos a pesquisa bibliográfica e documental, além de um questionário estruturado. No referencial teórico empregamos Lopes (2013) para tratar o pós-estruturalismo e Lopes e Macedo (2011) para embasar o currículo. Com Ball (1992) e Mainardes (2006) apresentamos o ciclo de políticas. As considerações finais apontam que a referência ao protagonismo juvenil nos textos oficiais é voltada para o entendimento de jovem como sujeito de direitos, capaz de tomar decisões e atuar em esferas como a do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Sheila Medeiros da Silva, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Mestranda em Ensino no Programa de Pós-Graduação em Ensino (POSENSINO/UERN/UFERSA/IFRN). Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa Contexto e Educação - CONTEXTO (UERN/CNPq). Integrante da equipe editorial da Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar (RECEI). Bolsista de Apoio Técnico em Extensão no País (ATP-A/CNPq).

Jean Mac Cole Tavares Santos, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Pós-doutorado em educação (UERJ). Doutor em Educação (UFPB). Professor na Faculdade de Educação na UERN e no Programa de Pós-Graduação em Ensino - POSENSINO (associação ampla entre UERN/UFERSA/IFRN). Lider do Grupo de Pesquisa Contexto e Educação (UERN/CNPq).

Maria Kelia da Silva, Universidade Federal do Ceará

Doutoranda em educação no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFC. Mestra em Ensino pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino – POSENSINO - UERN/UFERSA/IFRN. Graduada em pedagogia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Bolsista FUNCAP.

Referências

BALL, S. J., Bowe, R. & Gold, A. (1992). Reforming education & changing school: case studies in policy sociology. London – New York: Routledge.

BALL, Stephen J.; MAGUIRE, Meg; BRAUN, Annette. Como as Escolas Fazem as Políticas. 23. ed. Ponta Grossa: Editora Uepg, 2016. 230p. Tradução de Janete Bridon.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB n. 5/2011. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 24 jan. 2011. Seção 1, p. 10.

BRASIL. Medida provisória nº 746, de 22 de setembro de 2016. Diário Oficial [da]República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 23 nov. 2016. Seção 1, p. 1.

BRASIL, Ministério da Educação (MEC). Novo Ensino Médio: perguntas e respostas. 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=40361. Acesso em: 02 out. 2022.

COSTA, A. C. G: da. Pedagogia da presença: da solidão ao encontro. 2. ed. Belo Horizonte: O Lutador, 2001.

COSTA, H. H. C.; LOPES, A. C. A contextualização do conhecimento no ensino médio: tentativas de controle do outro. Educação & Sociedade [online]. 2018, v. 39, n. 143, p. 301-320. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/ES0101-73302018184558>. Acesso em 29 de ago 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/es0101-73302018184558

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez, 2011. 253p.

LOPES, Alice Casimiro. Teorias pós-críticas, política e currículo. Educação, Sociedade e Cultura, v. 39, p. 7-23, 2013.

LOPES, Alice Casimiro. Normatividade e Intervenção Política: em defesa de um investimento radical. In: LOPES, Alice Casimiro; MENDONÇA, Daniel de. (Org). A teoria do discurso de Ernesto Laclau: ensaios críticos e entrevistas. São Paulo: Annablume, 2015.

MAINARDES, Jefferson. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociologia, Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan: 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302006000100003

RABELLO, M. E. (2004) O que é protagonismo juvenil? Disponível em: https://www.cedeca.org.br/PDF/protagonismo_juvenil_eleonora_rabello.pdf. Acesso em 12 de dez. de 2022.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. - 14. reimpr. - São Paulo Atlas, 2012.

SANTOS, Jean Mac Cole Tavares. et al. Reformas curriculares do ensino médio: ressignificação das políticas no contexto da escola. In: SANTOS, J. M. C. T. et al, (org). Educação Tutorial: conexões para o ensino, a pesquisa e a extensão. 1. ed. Curitiba: CRV, 2013. v. 1, p. 33-58. DOI: https://doi.org/10.24824/978858042722.6

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. 156p.

SILVA, Weslley Santos. Aspectos críticos do protagonismo juvenil em Antônio Carlos Gomes da Costa. 2015. 80 f. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em Pedagogia) —Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

SOUZA, Regina Magalhães de. O discurso do protagonismo juvenil. Tese (Doutorado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. doi:10.11606/T.8.2007.tde-25042007-115242. Acesso em: 15 de dez. 2022. DOI: https://doi.org/10.11606/T.8.2007.tde-25042007-115242

Publicado

2023-04-20

Como Citar

SILVA, F. S. M. da; SANTOS, J. M. C. T.; SILVA, M. K. da. Protagonismo juvenil na política do Novo Ensino Médio. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 5, p. e510535, 2023. DOI: 10.47149/pemo.v5.e510535. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/10535. Acesso em: 24 jul. 2024.