Avaliação da aprendizagem na percepção de docentes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51281/impa.e022012

Palavras-chave:

Avaliação formativa, Institutos Federais, Avaliação Pesquisa-ação

Resumo

A pesquisa-ação teve como objetivo conhecer como os docentes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) compreendem a avaliação da aprendizagem e, partindo das percepções identificadas, promover ações de intervenção pedagógica para estimular a reflexão sobre as práticas avaliativas. Participaram 118 docentes de 4 campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, que responderam perguntas sobre o processo avaliativo e suas dificuldades. As ações realizadas primaram pelo diálogo na busca pela melhoria da avaliação. Os questionários mostraram que há uma tendência à condução da avaliação como verificação e como mensuração, e que a prova objetiva é priorizada pelos respondentes. Identificou-se que 32% dos professores adotam uma abordagem formativa, mas 61% têm dificuldades no processo, em decorrência do perfil dos estudantes e da carência de formação pedagógica. Pela intervenção, observou-se que os participantes refletiram e esclareceram dúvidas, contribuindo para o entendimento do tema. Acredita-se que a metodologia utilizada deve ser aprimorada e levada como experiência para outras instituições.

Biografia do Autor

Norlia Nabuco Parente, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

É professora do Instituto Federal (IFCE) desde 2010. Doutora em Avaliação Educacional pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Mestra em Política e Gestão da Educação Superior (UFC), Especialização em Psicopedagogia, Licenciatura em Língua Portuguesa e em Pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú.

Nagila Rabelo de Lima, Universidade Federal do Ceará

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Ceará, Mestre em Educação (2018- UFC) e graduada em Pedagogia (2014 - UFC). Atuou como professora substituta da Universidade Estadual do Ceará (2019-2021).

Maria Isabel Filgueiras Lima Ciasca, Universidade Federal do Ceará

Professora Titular da Universidade Federal do Ceará.Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará (1988), mestrado em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (1997) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (2003).

Claudio de Albuquerque Marques, Universidade Federal do Ceará

Professor Associado do Departamento de Fundamento da Educação da Universidade Federal do Ceará. Bacharelado em Ciências da Computação pela UFC (1989), Especialização em Administração Universitária pelo Instituto de Gestão e Liderança Universitária (1997, Brasil/Canadá) e Ph.D. em Educação Superior pela Universidade do Arizona (2003, USA).

Referências

BRASIL. Lei no 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 30 dez. 2008. Seção 1, p.1.

CASTRO, Monica Rabello de; FERREIRA, Giselle; GONZALEZ, Wania. Metodologia da pesquisa em educação. Nova Iguaçu: Marsupial Editora, 2013.

COSTA, Dirlo Vilanova da. Reflexões acerca da constituição da educação profissional e tecnológica (EPT) no Brasil: uma abordagem sócio histórica. Revista Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 1, p. 801-813, 2019. Disponibilidade em:< http://www.brjd.com.br/index.php/BRJD/article/view/995>. Acesso em: 26 fev. 2020.

FONTES, Marisa Aghetoni; DUARTE, António Manuel. Aprendizagem de estudantes do ensino técnico brasileiro: motivos, investimento e satisfação. Revista Educação e Pesquisa, v. 45, e192610, p. 01 - 16, 2019. Disponível em:< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022019000100551>. Acesso em: 20 fev. 2020.

FRIGOTTO, Gaudêncio (org). Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia: relação com o ensino médio integrado e o projeto societário de desenvolvimento. Rio de Janeiro, 2018. Disponibilidade em: < https://www.academia.edu/37753809/Institutos_Federais_de_Educa%C3%A7%C3%A3o_Ci%C3%AAncia_e_Tecnologia_rela%C3%A7%C3%A3o_com_o_ensino_m%C3%A9dio_integrado_e_o_projeto_societ%C3%A1rio_de_desenvolvimento >. Acesso em: 16 nov 2019.

FURTADO, Juarez Pereira. Um método construtivista para a avaliação em saúde. Revista Ciência e Saúde Coletiva. v.6 no.1. Rio de Janeiro, 2001. Disponibilidade em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232001000100014>. Acesso em: 23 fev. 2019.

GUBA, Egon; LINCONL, Yvonna. Avaliação de quarta geração. Campinas: Editora Unicamp, 2011.

IFCE. Regulamento da Organização Didática – ROD/ Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. Fortaleza, 2015. 63p.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 2008. (Coleção Magistério. Série formação do professor).

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 22 ed. São Paulo: Cortez, 2018.

MATSUMOTO, Marília Cristyne Souto Galvão Barros et al. Indicadores de gestão do ensino técnico federal e sua correlação com eficiência acadêmica: uma análise da relação entre o desempenho discente e os investimentos ocorridos com a política pública de expansão dos institutos federais da região Nordeste entre 2012 e 2016. Revista de Gestão e Tecnologia NAVUS. Florianópolis, v. 9, n. 3, p. 07-19, 2019. Disponível em:< http://navus.sc.senac.br/index.php/navus/article/view/769>. Acesso em: 20 fev. 2020.

OLIVEIRA, Rosilene Souza de. Ser Professor na Educação Profissional e Tecnológica: fazeres e saberes docentes no IF SERTÃO-PE. 2016.182 f. Dissertação (Mestrado em Educação e Diversidade). Universidade do Estado da Bahia, Jacobina, 2016. Disponibilidade em:< http://www.saberaberto.uneb.br/jspui/handle/20.500.11896/358>. Acesso em: 25 fev. 2020.

OLIVEIRA, Rosilene Souza de; SALES, Márcea Andrade; SILVA, Ana Lúcia Gomes da. Professor por acaso? A docência nos institutos federais. Revista Profissão Docente Uberaba, v. 17, n. 37, p. 5-16, 2017. Disponibilidade em:< http://www.revistas.uniube.br/index.php/rpd/article/view/1115>. Acesso em: 25 fev. 2020.

PERRENOUD, Philippe. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens – entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

PLACIDO, Reginaldo Leandro; SCHONS, Manuir; SOUZA, Maria José Carvalho de. Utilização das estratégias de ensino-aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Revista Dynamis, v. 23, n. 1, p. 40-57, 2017. Disponibilidade em:< https://proxy.furb.br/ojs/index.php/dynamis/article/view/6754>. Acesso em: 25 fev. 2020.

POZO, Juan Ignácio; CRESPO, Miguel Angelo Gomez. A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

RIBEIRO, Luis Roberto de Camargo; ESCRIVÃO FILHO, Edmundo. Avaliação formativa no ensino superior: um estudo de caso. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, vol. 33, núm. 1, pp. 45-54, 2011. Disponibilidade em:< http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=307325356005>. Acesso em: 20 fev. 2019.

SANTIAGO, Raquel Vidigal. O trabalho docente no ensino básico, técnico e tecnológico: o caso do IF Sudeste MG - campus Rio Pomba. 2015. Dissertação em Educação, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2015. 163f. Disponibilidade em:<https://www.locus.ufv.br/handle/123456789/20172>. Acesso em: 25 fev. 2019.

SILVA, Tatiana Oliveira Couto et al. Reprovação escolar no ensino médio integrado à educação profissional: uma análise do instituto federal do Paraná (IFPR) Campus Ivaiporã. Revista Pesquisa e Debate em Educação, v. 5, n. 1, p. 42-61, 2015. Disponibilidade em:< http://www.revistappgp.caedufjf.net/index.php/revista1/article/view/122>. Acesso em: 25 fev. 2020.

VIANNA, Heraldo Marelim. Avaliação educacional. São Paulo: IBRASA, 2000.

Publicado

2022-06-13

Como Citar

PARENTE, N. N.; LIMA, N. R. de; CIASCA, M. I. F. L.; MARQUES, C. de A. Avaliação da aprendizagem na percepção de docentes do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. Revista de Instrumentos, Modelos e Políticas em Avaliação Educacional, [S. l.], v. 3, n. 2, p. e022012, 2022. DOI: 10.51281/impa.e022012. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/impa/article/view/8292. Acesso em: 28 jun. 2022.