Educação do campo: política social de emancipação humana

Autores

Palavras-chave:

Educação do campo, Política pública, Emancipação

Resumo

A política de educação do campo apresenta sólidos elementos fomentadores da construção da emancipação humana e social da classe trabalhadora camponesa. A partir de uma abordagem qualitativa e de revisão bibliográfica, esse trabalho traz discussões sobre a constituição dessa política, assim como os percursos e perspectivas da formação dos sujeitos do campo a partir da implementação da Educação do Campo. Apresenta também a importância de uma proposta educacional que esteja diretamente interligada aos movimentos sociais e histórico de lutas dos camponeses por justiça social. Tem como objetivo compreender a educação do campo como bandeira de luta pela emancipação humana e da terra na perspectiva da luta camponesa e implementação da política pública de Reforma Agrária. O estudo considera que permeiam fortes tensões entre os órgãos que coordenam essa política, uma vez que são em sua gênese e configuração estrutural antagônicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Oziel Barbosa Teixeira, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Graduando em Pedagogia da FACEDI e pesquisador do grupo de estudos de Educação do Campo do Grupo de Pesquisa em Ontologia do Ser Social, História e Emancipação (GPOSSHE).

Alba Regina Andrade Mendes, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Graduando em Pedagogia da FAFIDAM, graduada em Zootecnia pela UFERSA (2012) e pesquisadora do grupo de estudos de Educação do Campo do GPOSSHE.

Marcilia Nogueira do Nascimento, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Mestra em Planejamento e Políticas Públicas/UECE, especialista em Literatura e formação do leitor/UECE, especialista em Coordenação Pedagógica/UFC, graduada em Letras/FECLESC-UECE, graduada em Letras-Espanhol/UFC e professora efetiva da Rede Estadual.

Referências

BRASIL. Decreto n 7 352, de 04 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA. Brasília, DF: Diário Oficial da União – Seção 1 – 5/11/2010, Página 1. Brasília, 2010b.

KOLLING, E. J.; CERIOLE, P. R.; CALDART, R. S. (organizadores). Educação do Campo: Identidade e políticas Públicas. Brasília- DF. 2002. Coleção Por Uma Educação do Campo, n° 04.

LENARTOVICZ, L. E. Políticas Públicas da Educação do Campo: Contribuições e Dilemas. In: EDUCERE - XIII CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2017, Curitiba - PR. Políticas Públicas da Educação do Campo: Contribuições e Dilemas. Curitiba: EDITORA UNIVERSITÁRIA CHAMPAGNAT, 2017. Anais [...] Curitiba, 2017. p. 14765.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã e Teses sobre Feuerbach. São Paulo: Moraes, 1984.

NASCIMENTO, M. N. do .; TEIXEIRA, O. B. . Educação do Campo: fruto de uma luta, esperança de transformação. Ensino em Perspectivas, v. 2, n. 3, p. 1–11, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/6430. Acesso em: 12 ago. 2021.

VIDAL, M. dos S. .; SANTOS, J. P. de L. .; LIMA, M. A. de . As contribuições do MST na luta pela educação do campo. Ensino em Perspectivas, v. 2, n. 3, p. 1–6, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/6422. Acesso em: 12 ago. 2021.

Publicado

2021-08-13

Como Citar

Teixeira, O. B., Mendes, A. R. A. ., & Nascimento, M. N. do. (2021). Educação do campo: política social de emancipação humana. Ensino Em Perspectivas, 2(4), 1–6. Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/6423