A docência em um contexto de violência

reflexões sobre o trabalho do socioeducador

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v3i2.4078

Palavras-chave:

Ressocialização, Reintegração, Socioeducador, Centro Socioeducacional

Resumo

O presente trabalho trata objetivamente, com a preocupação fundamental da docência e a questão da violência urbana no cotidiano. Partindo desse princípio, vai buscar nos teórico aqui abordados, respostas para questões levantadas a rigor. Saber dos procedimentos aplicados na recuperação do adolescente ou jovem envolvido com essa violência, se as medidas socioeducativas aplicadas pelo Estado, são capazes de reintegrá-lo à sociedade.Verificar quando dessa passagem, o jovem é devolvido totalmente recuperado, sob a visão do socioeducador e seu papel dentro desse processo de ressocialização. Buscando também identificar as dificuldades encontradas pelo socioeducador em suas práticas pedagógicas e como é realizado o ensino regular junto aos jovens em conflito com a lei e a avaliação na qual é pontuado o socioeducador. Por fim, interpretar à luz dos documentos oficiais se o atendimento oferecido aos jovens internos está de acordo com os direitos da criança e do adolescente e de acordo com os Direitos Humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Ruthenho Rodrigues de Brito, Universidade Federal do Ceará

Graduado em Pedagogia Licenciatura Plena pela Universidade Federal do Ceará - UFC. Membro do Grupo de Pesquisa Avaliação e Gestão na Educação (GPAGE) da Universidade Federal do Ceará.

Referências

BARROS, Guilherme Freire de Melo. Direito Da Criança e do Adolescente – 3ª. ed, Salvador: Juspodivm, 2015.

BARREIRA, César; Violência e Dilemas Civilizatórios: As Práticas de Punição e Extermínio. Campinas-SP: Pontes: Editora, 2011

BRASIL. Constituição Federal de outubro de 1988. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm Acesso em: 14 de jul. 2019.

BRASIL. Lei 8.069, de 13 de Julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília: Ministério da Justiça, 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decretolei/Del2848compilado.htm Acesso em: 5 de out. 2019.

BRASIL/IBGE. Crianças e adolescentes, indicadores sociais. Brasília: IBGE, 2004. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decretolei/Del2848compilado.htm Acesso em: 5 de set. 2019.

BRASIL/IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Perfil do Analfabetismo no Brasil. Brasília, 2014/2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decretolei/Del2848compilado.htm Acesso em: 5 de set. 2019.

BOFF, Leonardo. Saber Cuidar: Ética do Humano – Commpaixão Pela Terra. Petrópolis - RJ; Editora: Vozes, 1999.

BORDIEU, Pierre. Escrito de Educação. Editora Vozes Ltda. Petrópolis, RJ, 1998.

CAMARANO, A. A. et al. Famílias: espaço de compartilhamento de recursos e vulnerabilidades. In: CAMARANO, A. M. (Org.). Os novos idosos Brasileiros: muito além dos 60? Rio de janeiro: IPEA, 2004.

CASTRO, Cláudio de Moura e OLIVEIRA, João Batista A. Educação: Por Onde Começar? Brasília, 1991.

COELHO, Bianca Izoton &; Edinete Maria Rosa. Ato infracional e medida socioeducativa: representações de adolescentes em L.A. Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, Brasil Psicol. Soc. vol.25 no.1 Belo Horizonte 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822013000100018 Acesso em: 8 de out. 2019.

ERANDI, L. Vulnerabilidade social em escola pública – ABHR. 2012.Disponível em: www.abhr.org.br/plura/ojs/index.php/anais/article/view/506/334 Acesso em: 13 jul. 2019.

FANTIN, M. Educação, aprendizagem e tecnologia na pesquisa-formação. Educação & Formação, v. 2, n. 3, p. 87-100, 2017. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/161 Acesso em: 20 set. 2020.

FERREIRA NETO, J. O. O legado da Associação Terreiro para a capoeira do Ceará. Ensino em Perspectivas, v. 1, n.1, p. 1-14, 2020. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/4533 Acesso em: 20 set. 2020.

FIALHO, Lia Machado Fiuza Fialho. Biografia de um Jovem Traficante: Brigas de Gangues e Homicídio em Série. Fortaleza - CE; Editora UFC, 2015

FIALHO, Lia Machado Fiuza Fialho. Assitência à Criança e ao Adolescente Infrator no Brasil: Breve Contextualização Histórica. Fortaleza - CE; Editora EDUECE, 2014

FIALHO, Lia Machado Fiuza Fialho. A Vida de Jovens Infratores Privados de Liberdade. Fortaleza - CE; Editora UFC, 2015

FIALHO, Lia Machado Fiuza. Políticas públicas para jovens em conflito com a lei: refletindo um contexto. In: OLINDA, E. M. B. (Org.). Medida Socioeducativa de Internação: Educa?. 1ed.Fortaleza: Edições UFC, 2013, p. 307-329.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro, Ed. Graal (1979a).

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: Nascimento da Prisão. Petrópolis, RJ; Editora: Vozes (2014/1975).

FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. 44ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa – 57ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 66ª ed. Rio de Janeiro/Sã Paulo: Paz e Terra, 2018.

HAMOY, Ana Celina Bentes. Medidas Socioeducativas e Direitos Humanos. In: HAMOY, Ana Celina Bentes (Org.). Direitos Humanos e Medidas Socioeducativas: uma abordagem jurídico-social. Belém: Movimento República de Emaús; Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (CEDECA-EMAÚS), 2007.

HARTMANN, F., Rosa Jr., N.C.D. da (Org.), Violência e Contemporaneidade. Porto alegre - RS, Editora: artes e Ofícios, 2005.

KATZMAN, R. Seducidos y abandonados: el aislamiento social de los pobres urbanos. Revista de la CEPAL, Santiago do Chile, n.75, p.171-189. dec. 1999. Disponível em: http://www.cepal.org/publicaciones/xml/6/19326/katzman.pdf Acesso em: 13 set. 2019.

KONZEN, Afonso Armando. Pertinência Socioeducativa: reflexões sobre a natureza jurídica das medidas. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2005.

LIBÂNEO, J. C. Pedagogia e Pedagogos, Para Que? São Paulo: Cortez, 2010.

LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA, João Ferreira; TOCHI, Mirza Seabra. Educação Escolar. Políticas, Estrutura e Organização. São Paulo, setembro de 2012.

LIBERATI, Wlson Donizeti. Direito da Criança e do Adolescente. 5ª ed, São Paulo: Rideel, 2011.

LIMA, A. de S.; AZEVEDO, M. L. N. Processo de institucionalização da política nacional e estadual de formação docente: Proposições e resistências no Paraná. Educação & Formação, v. 4, n. 3, p. 124-147, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/1126. Acesso em: 15 set. 2020.

MACHADO, Martha de Toledo. A proteção Constitucional de Crianças e Adolescentes e os Direitos Humanos. São Paulo: Manole, 2003.

MALVASI, Paulo. Tráfico de Drogas Entre as Piores Formas de Trabalho Infantil. São Paulo, 2018.

MEDEIROS, M. Alexsando. Jean-Jacques Rousseau. Atualizado em janeiro 2017. Disponível em: https://www.sabedoriapolitica.com.br/filosofia-politica/filosofia-moderna/os-contratualistas/rousseau Acesso em: 5 de set. 2019.

MENESES, Elcio Resmini, Medidas Socioeducativas: Uma Reflexão Jurídico Pedagógico. Livraria do Advogado; Porto Alegre-RS, 2008.

MINAYO, Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social Teoria, Método e Criatividade. Petrópolis- RJ: Vozes, 1994.

MISSE, Michel. Categoria Bandido Como Identidade Para o Extermínio. In: Org. César Barreira). A Violência e Dilemas Civilizatórios. Campinas-SP, Pontes Editora, 2011.

MONTEIRO, Simone Rocha da Rocha Pires Monteiro. Sociedade em Debate. UFP. Pelotas, 17(2): 29-40, jul.-dez./2011.

NERIS, Maria do Socorro Costa. Medida socioeducativa de internação: educa?/ (ORG.) Ercília Maria Braga de Oliveira (organizadora).- Fortaleza: Edições UFC, 2013.

NOGUEIRA, M. A; CATANI, A. (orgs.). Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 2010.

RODRIGUES, Aroldo. Atribuição de casualidade: estudos brasileiros. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v. 36, n. 2, p. 5-20, 1984.

SACRISTÁN, J. G.; GÓMEZ, A. I. Compreender e Transformar o Ensino. São Paulo: ARTMED, 1998.

SANTOS, B. de S. Los Tribunales en las Contemporaneas Sociedades. 1995.

SENNA, Sylvia Regina Carmo Magalhães. SBP, Sociedade Brasileira de Pediatria. O Atendimento do Adolescente. In: Guia da Adolescência - Departamento Científico de Adolescência da SBP. Rio de Janeiro: SBP, 2000.

SILVA, Clawdemy Feitosa e Silva. A Socioeducação e Direitos Humanos: Um Estudo do Projeto a Arte do Saber. In: PEDROZA, Regina Lucia Sucupira. Grande área: Ciências Humanas /DIREITOS HUMANOS. Universidade de Brasília, UnB, 2017.

SPOSATO, Karyna Batista. Direito Penal de Adolescentes: elementos para uma teoria garantista. São Paulo: Saraiva, 2013.

VARGAS, Joana Domingues. Práticas punitivas legais e extralegais relativas à infância e a juventude infratoras no Rio de Janeiro. (Org. César Barreira). Campinas-SP, Pontes Editora, 2011.

VIANA, S. M. et al. Medindo as desigualdades em saúde no Brasil: uma proposta de monitoramento. Brasília, DF: Organização Pan-Americana da Saúde: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 2001.

VIGNOLI, Jorge Rodríguez. Vulnerabilidad y grupos vulnerables: un marco de referencia conceptual mirando a los jóvenes. Naciones Unidas: Cepal, Santiago, p.01-62, ago. 2001. Disponível em: http://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/7150/S018659_es.pdf Acesso em: 13 jul. 2019.

Publicado

2021-01-03

Como Citar

BRITO, J. R. R. de. A docência em um contexto de violência: reflexões sobre o trabalho do socioeducador. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 3, n. 2, p. e324078, 2021. DOI: 10.47149/pemo.v3i2.4078. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/4078. Acesso em: 18 maio. 2022.