Atendimento Educacional Especializado no contexto pandêmico em Ocara-CE

Autores

Palavras-chave:

Atendimento Educacional Especializado, Ensino remoto, Tecnologias digitais

Resumo

O artigo Atendimento Educacional Especializado no contexto pandêmico, aborda um relato de experiência do trabalho desenvolvido pela professora M.S.P do Centro da Educação Infantil Pequeno Lucas, Ocara, Ceará, na sala de AEE, no acompanhamento às crianças neste período de aulas remota devido ao distanciamento social, ocasionado pela Sars-Cov-2/Covid-19. Com o objetivo de despertar nas crianças e familiares o (re)conhecimento da identidade cultural partindo de linhas e formas geométricas presentes no cotidiano, apregoado pela criatividade na construção e desenvolvimento da coordenação motora, atenção e concentração para o entendimento do processo ensino aprendizagem com vistas ao letramento. Em uma abordagem qualitativa, na visão de teóricos e da educação e documentos que asseguram a inclusão. Assim, foi possível trabalhar o projeto Geobrincander com crianças que têm transtornos ou deficiências através do ensino remoto, por meio das tecnologias digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Meiriane da Silva Pinheiro, Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab)

Mestra em Ciências da Educação pela ACU (2020) e Mestranda em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis-MASTS/UNILAB, possui Licenciatura em História pela UVA (2011) e em Pedagogia pela FAK  (2012). Autora e executora do projeto Geobrincander.

Francisco Antônio Rodrigues, Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab)

Mestrando em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis- MASTS/UNILAB a partir de (2019). Especialista em gestão em saúde (2020). Graduado em administração pública (2017), ambos pela Unilab.

Maria Lenir Menezes Paz, Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab)

Mestranda em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis- MASTS/ UNILAB. Especialista em Gestão Escolar-UFC (2012). Especialista no Ensino de Biologia e Química-URCA (2010). Graduada em Formação de Professores-UECE (2001).

Referências

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília. MEC, 2017.

BRASIL. Lei Brasileira de Inclusão-LBI, Lei nº 13.146 de 6 de julho de 2015. Brasília, 2015.

CHIZZOTTI, Antonio A pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais: evolução e desafios. Revista Portuguesa de Educação, vol. 16, núm. 2, 2003, p. 221-236 Universidade do Minho Braga, Portugal.

GADOTTI, Moacir. A escola e o professor: Paulo Freire e a paixão de ensinar. Moacir Gadotti. – 1. ed. – São Paulo: Publisher Brasil, 2007.

MANTOAN. Maria Teresa Eglér. Inclusão escolar: o que é? por quê? Como fazer? Maria Teresa Eglér Mantoan. — São Paulo: Moderna, 2003. — (Coleção cotidiano escolar).

MONTESSORI, M. M. Apresentação. In: Congresso Brasileiro de Educação Montessoriana, 1, São Paulo, 1974. Anais do 1º. Congresso Brasileiro de Educação Montessoriana. São Paulo: CBEM, 1974.

MORGADO, J. C.; SOUSA, J.; PACHECO, J. A. Transformações educativas em tempos de pandemia: do confinamento social ao isolamento curricular. Praxis educativa, vol. 15, e2016197, 2020.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. – 23 . ed. ver. e atual. – São Paulo: Cortez, 2007.

XAVIER, A. R.; MUNIZ, K. R. A.; SANTANA, J. R.; VASCONCELOS, J. G.; REGINALDO, S. G. Pesquisa em Educação: aspectos históricos e teórico-metodológicos. educa – Revista Multidisciplinar em Educação, Porto Velho, v. 08, p. 1-19, jan./dez., 2021. Disponível em: https://www.periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/4627. Acesso em: 22 fev. 2021.

Publicado

2021-08-09

Como Citar

Pinheiro, M. da S., Rodrigues, F. A. ., & Paz, M. L. M. (2021). Atendimento Educacional Especializado no contexto pandêmico em Ocara-CE. Ensino Em Perspectivas, 2(3), 1–8. Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/6743