Capacitação de Agentes Comunitários de Saúde em introdução alimentar do lactente: um relato de experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v6.e12237

Palavras-chave:

Medicina e educação, Educação para a saúde, Educação alimentar

Resumo

De acordo com o Boletim Epidemiológico 001/2019 do Rio de Janeiro, uma em cada três crianças brasileiras está acima do peso. Nesse sentido, uma maneira de alcançar os responsáveis por essas crianças e compartilhar o conhecimento necessário é mediante o treinamento dos agentes comunitários de saúde (ACS). O presente artigo buscou relatar a execução de uma capacitação elaborada para ACS’s sobre a introdução alimentar do lactente. Baseando-se na metodologia de uma Sequência Didática, foi realizada uma capacitação em introdução alimentar com agentes comunitários de saúde de uma Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) na cidade de Volta Redonda, no Rio de Janeiro. As respostas dos participantes revelam o bom índice de aproveitamento da capacitação para o aprimoramento do trabalho dos agentes, os quais relataram se sentir mais seguros para conversar sobre o tema com as famílias que acompanham. Investir na formação contínua dos agentes nesse contexto é, não apenas uma estratégia eficaz para melhorar a saúde infantil, mas também um passo crucial em direção a comunidades mais saudáveis e bem-informadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovana Fernandes Pinto Barra, Centro Universitário de Volta Redonda

Possui graduação em Medicina pelo Centro Universitário de Volta Redonda (2016) e Residência Médica em Pediatria pelo Hospital São João Batista de Volta Redonda (2019). Mestranda em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente também pelo Centro Universitário de Volta Redonda. Atualmente, trabalha como pediatra na Maternidade de Alto Risco referência da Região Sul Fluminense do Rio de Janeiro, no Hospital São João Batista; Hospital Santa Cecília - ICC (Pronto Socorro Infantil) e em ambulatório. 

Adilson Pereira, Centro Universitário de Volta Redonda

Doutor em filosofia - área de Ética - UGF/RJ; Mestre em filosofia, área de Ética; MBA em RH e Marketing - UGF; Especialista em Auditoria, Ética e Complience em Saúde; Especialista em História da Filosofia UGF/RJ; Especialista em Espiritualidade e Estudos da Consciência (PUC-RS em Curso); Licenciatura em Filosofia - UNIFAI /SP, Graduação em Teologia Universidade Dom Bosco - UCDB (em Curso). Docente no Mestrado Profissional em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente - UniFOA. 

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Programa Nacional de Agentes Comunitários de Saúde. Manual do Agente Comunitário de Saúde Brasília, 1991.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Programa Agentes Comunitários de Saúde - PACS. Brasília, 2001.

CARDOSO, Fátima Aparecida et al. Capacitação de agentes comunitários de saúde: experiência de ensino e prática com alunos de Enfermagem. Revista Brasileira de enfermagem, v. 64, p. 968-973, 23 jan. 2012.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25 ed. São Paulo: Paz e terra.1996.

MENNELLA, J. A.; JAGNOW, C. P.; BEAUCHAMP, G. K. Prenatal and Postnatal Flavor Learning by Human Infants. Pediatrics, v. 107, n. 6, p. e88, 1 jun. 2001.

MIQUELANTE, Marileuza Ascencio et al. As modalidades da avaliação e as etapas da sequência didática: articulações possíveis. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 56, p. 259-299, 2017.

NÓBREGA, W. F. S. et al. O agente comunitário de saúde como mutiplicador de conhecimentos em saúde bucal: uma revisão sistematizada da literatura. Archives of health investigation, v. 6, n. 10, 31 out. 2017.

SARNI, R. O. S.; KOCHI, C.; SUANO-SOUZA, F. I. Childhood obesity: an ecological perspective. Jornal de Pediatria, v. 98, p. S38–S46, 1 mar. 2022.

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIROSUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDESUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL. Boletim Epidemiológico 001/2019 - O Diagnóstico Alimentar e Nutricional e sua importância para o enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis. 2019.

SIMON, V. G. N.; SOUZA, J. M. P. DE; SOUZA, S. B. DE. Aleitamento materno, alimentação complementar, sobrepeso e obesidade em pré-escolares. Revista de Saúde Pública, v. 43, p. 60–69, fev. 2009.

SOUZA, S. DE A. et al. Obesidade adulta nas nações: uma análise via modelos de regressão beta. Cadernos de Saúde Pública, v. 34, p. e00161417, 20 ago. 2018.

SWINBURN, B. A. et al. The Global Syndemic of Obesity, Undernutrition, and Climate Change: The Lancet Commission report. The Lancet, v. 393, n. 10173, p. 791–846, 23 fev. 2019.

UGALDE, M. C. P.; ROWEDER, C. Sequência didática: uma proposta metodológica de ensino-aprendizagem. Educitec-Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, v. 6, 21 maio. 2020.

Publicado

2024-06-08

Como Citar

BARRA, G. F. P.; PEREIRA, A. Capacitação de Agentes Comunitários de Saúde em introdução alimentar do lactente: um relato de experiência. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 6, p. e12237, 2024. DOI: 10.47149/pemo.v6.e12237. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/12237. Acesso em: 24 jul. 2024.