Formação inicial de professores que ensinam matemática: ampliando o processo formativo para além do “ligue os pontos”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v6.e11102

Palavras-chave:

Formação de professores, Estágio Supervisionado, Educação Infantil, Ensino da Matemática

Resumo

Neste trabalho, objetiva-se apontar proposições sobre a prática pedagógica a partir de estudos desenvolvidos na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado na educação infantil com conceitos matemáticos, diante do cenário atípico da pandemia de Covid-19, que assolou o mundo. Discute-se o papel atribuído à educação nesse contexto e se reafirma a indispensabilidade da escola e do ensino à apropriação dos conhecimentos elaborados pela humanidade e sua função essencial à constituição das novas gerações. A metodologia consiste em uma intervenção realizada com uma turma com crianças de 3 a 4 anos de um Centro de Educação Infantil, com base no conteúdo de medidas padronizadas e não padronizadas de comprimento, massa e capacidade através de ações de ensino pautadas na Teoria Histórico-Cultural e na Atividade Orientadora de Ensino, as quais objetivam explorar o conteúdo além do “ligue os pontos”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Figueiredo Lacanallo-Arrais, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Pedagoga, Mestra e Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Professora no Departamento de Teoria e Prática da Educação (DTP) e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Paula Tamirys Moya, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR)

Pedagoga, Mestra e Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Professora do Colegiado de Pedagogia da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR/Apucarana).

Edilson de Araújo dos Santos, Universidade de São Paulo (USP)

Pedagogo e Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professor na Faculdade de Educação (FAED) da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Referências

ALMEIDA, M. I.; PIMENTA, S. G. Centralidade do Estágio em cursos de Didática nas Licenciaturas: rupturas e ressignificações. In: ALMEIDA, M. I.; PIMENTA, S. G. (Orgs.) Estágio Supervisionado na Formação Docente: educação básica e educação de jovens e adultos. São Paulo: Cortez, 2014.

ARRUDA, E. P. Educação Remota Emergencial: elementos para políticas públicas na educação brasileira em tempos de Covid-19. EM REDE Revista de educação a Distância. Universidade Federal de Minas Gerais, v. 7, n. 1. p.257-275, 2020.

BRASIL. LEI Nº 14.040, DE 18 DE AGOSTO DE 2020. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/lei-n-14.040-de-18-de-agosto-de-2020-272981525. Acesso em: 22.mar.2022.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BROERING, A. de S. Quando a creche e a universidade se encontram: histórias de estágio. In: OSTETTO, Luciana Esmeralda (org.). Educação Infantil: saberes e fazeres da formação de professores. 4 ed. Campinas: Papirus, p. 107-126, 2008.

CUNHA, L. F. F.; SOUZA S. A.; SILVA, A. P. O ensino remoto no Brasil em tempos de pandemia: diálogos acerca da qualidade e do direito e acesso à educação. Revista com censo: estudos educacionais do Distrito Federal, v. 7, n. 3, p. 27-37, 2020.

LEONTIEV, A. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKI, L. V.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. (Org.). Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, p. 59-83, 2006.

LORENZATO, S. Educação infantil e percepção matemática. 3ª ed. Campinas: Autores Associados, 2011.

MCBRATNEY, S. Adivinha quanto eu te amo. 1ªed, São Paulo: Martins Fontes - WMF, 2018.

MOURA, M. O. et al. Atividade Orientadora de Ensino: unidade entre ensino e aprendizagem. Diálogo Educacional. Curitiba, v. 10, n. 29, jan./abr., p. 205-229, 2010.

PASQUALINI, J. C. A educação escolar da criança pequena na perspectiva histórico-cultural e histórico-crítica. In: MARSIGLIA, Ana Carolina Galvão. (Org.). Pedagogia histórico-critica: 30 anos. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

PIMENTA, S.G.; LIMA, M.S.L. Estágio e docência. 8ª ed. São Paulo: Cortez Editora, 2017.

SAVIANI, D.; GALVÃO, A. C. “Educação na Pandemia: a falácia do ‘ensino ́remoto”. Universidade e Sociedade, ANDES-SN - Ano XXXI, Nº 67, janeiro, p.36-49, 2021.

SAVIANI, D. Sentido da pedagogia e papel do pedagogo. Revista ANDE, São Paulo. nº 9, p.27-28, 1985.

SFORNI, M. S. F.; GALUCH, M. T. B. Conteúdos Escolares e Desenvolvimento Humano: Qual a unidade? Comunicações. Piracicaba, ano 13, p. 150-158, 2006.

Publicado

2024-05-27

Como Citar

LACANALLO-ARRAIS, L. F.; MOYA, P. T.; SANTOS, E. de A. dos. Formação inicial de professores que ensinam matemática: ampliando o processo formativo para além do “ligue os pontos”. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 6, p. e11102, 2024. DOI: 10.47149/pemo.v6.e11102. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/11102. Acesso em: 24 jul. 2024.