Afetividade, ensino e esporte: um ensaio teórico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v6.e11089

Palavras-chave:

Afetividade, Ensino-aprendizagem, Esportes

Resumo

A afetividade pode ser evidenciada em diversas situações da prática esportiva, inclusive nas de ensino. Com base neste pressuposto, podemos dizer que, mediado pela afetividade, o processo de ensino-aprendizagem dos esportes passa pelas relações que existem entre os sujeitos, o professor/treinador, o aluno/atleta e o objeto, o esporte. A qualidade dessas relações pode dizer se os processos de ensino, formação e aprendizagem nos esportes estão no caminho e na direção corretos para o desenvolvimento integral do ser humano. Este ensaio teve por objetivo discutir o papel da afetividade na prática docente e na aprendizagem dos esportes. Foi realizada uma discussão sobre a afetividade e sua influência no processo de ensino-aprendizagem na área esportiva. Por fim, este ensaio pontua as implicações e consequências concernentes à relação entre o fator afetividade e a qualidade da mediação pedagógica na aproximação ou no afastamento do aluno/atleta em relação ao esporte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur William Santos Pinheiro, Universidade Estadual de Campinas

Professor de Educação Física, licenciado e bacharel, mestre em Educação Física pela Faculdade de Educação Física da Unicamp na área de concentração Educação Física e Sociedade. Doutorando em Educação Física na área de Biodinâmica e Esporte pela mesma Universidade.

Lucas Leonardo, Universidade Federal do Amazonas

Docente da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia (FEFF) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). É bacharel em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (2005) e Licenciado em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (2007).Tem mestrado em Educação Física e Sociedade pela Universidade Estadual de Campinas (2018) e doutorado em Educação Física e Sociedade pela Universidade Estadual de Campinas (2022). Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Pedagogia do Esporte, atuando principalmente nos seguintes temas: pedagogia do esporte, esporte de jovens, competições de jovens, esportes coletivos, handebol, pedagogia do jogo e moral e ética do treinador.

Alcides José Scaglia, Universidade Estadual de Campinas

Livre Docente em Pedagogia do Esporte e Pedagogia do Jogo pela Universidade Estadual de Campinas (2019), doutor em Pedagogia do Movimento pela Universidade Estadual de Campinas (2003), mestre em Pedagogia do Esporte pela Universidade Estadual de Campinas (1999), Licenciado em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (1995) e bacharel em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (1995). Tem experiência na área de Educação Física e Esportes, desenvolvendo estudos, projetos e pesquisas nas áreas da: Educação Física escolar, Jogo e Pedagogia do Esporte, com ênfase em metodologia de ensino-aprendizagem-treinamento dos jogos coletivos de invasão, futebol da iniciação ao treinamento e pedagogia do jogo. Atualmente é professor associado (M.S.5.1) na Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA-UNICAMP) no curso de Ciências do Esporte da UNICAMP, corresponsável pelas pesquisas do LEPE (Laboratório de Estudos em Pedagogia do Esporte), líder do grupo de pesquisa LEPE-FUT. Docente pleno no programa de pós-graduação, mestrado e doutorado da Faculdade de Educação Física (FEF) da UNICAMP.

Referências

ALMEIDA, L. R. de; MAHONEY, A. A. Afetividade e Aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. Laurinda Ramalho de Almeida; Abigail Alvarenga Mahoney (organizadoras). São Paulo: Edições Loyola, 2007.

BARA FILHO, M. G.; GARCIA, F. G. Motivos do abandono no esporte competitivo: um estudo retrospectivo. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 22, n. 4, p. 293-300, 2008. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5740068/mod_resource/content/1/Abandono.pdf Acesso em: 16 mar. 2024.

BARBOSA, S. S. R. Esporte e Emoção: contribuições da teoria de Norbert Elias para compreensão desses fenômenos. In: Anais do Simpósio Internacional Processo Civilizador - História, Civilização e Educação, 7, Piracicaba, SP, 2003.

BECKER JR., B. O treinador esportivo e a criança. In: Becker Jr., B. (Org.) Psicologia aplicada à criança no esporte. Novo Hamburgo: FEEVALE, 2000. p. 83-115.

BERNARDES, A. G.; YAMAJI, B. H. S.; GUEDES, D. P. Motivos para prática de esporte em idades jovens: Um estudo de revisão. Motricidade, v. 11, n. 2, p. 163-173, 2015. https://doi.org/10.6063/motricidade.3066

BEZERRA, M. da S. N.; MOURA, S. K. M. S. F. de. RABAY, A. A. N.; FERREIRA, A. P. U. SANTOS, R. M. L. dos. Relação entre motivação e paixão: um estudo em praticantes de Crossfit na cidade de João Pessoa-PB. Diálogos em Saúde, v. 1, n. 2, 2018. Disponível em: https://periodicos.iesp.edu.br/dialogosemsaude/article/view/212/189. Acesso em: 16 mar. 2024.

CARUZZO, A. M.; CONTREIRA, A. R.; CARUZZO, N. M.; RIBAS, M. L.; LIMA, A. M. de; CODONHATO, R.; FIORESE, L. Passion in sport: a systematic review in the context of individual modalities. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 8, p. e186985513, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i8.5513. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/5513. Acesso em: 14 mar. 2024.

CHARLOT, B. Relação com o saber: elementos para uma teoria. Tradução Bruno Magne. Porto Alegre: Artmed, 2000.

COSTA, K. S. da; SOUZA, K. de M de. O aspecto sócio-afetivo no processo ensino-aprendizagem na visão de Piaget, Vygotsky e Wallon, 2012. http://www.educacaoonline.pro.br/index.php?option=com_content&view=article&id=29. Acesso em: 16 mar. 2024.

FERREIRA, A. B. de H. Novo Aurélio: o dicionário da língua portuguesa: século XXI. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999

FRANCO, M. A. S. Didática e Pedagogia: da teoria do ensino à teoria da formação. In: FRANCO, M. A. S.; PIMENTA, S. G. (Orgs.). Didática: embates contemporâneos. 3ª ed. – São Paulo: Edições Loyola, 2014. p. 75-99.

FREIRE, J. B. Educação de corpo inteiro: teoria e prática da Educação Física. São Paulo: Scipione, 1997.

GALATTI, L. R.; PAES, R. R.; COLLET, C.; SEOANE, A. M. Esporte contemporâneo: perspectivas para a compreensão do fenômeno. Corpoconsciência, [S. l.], v. 22, n. 3, p. 115–127, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/6444. Acesso em: 18 mar. 2024.

GUIRAMAND, M. Estado do Conhecimento sobre a afetividade na aprendizagem na iniciação esportiva: influências da relação professor/treinador-aluno. Educação Por Escrito, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 178–193, 2014. DOI: 10.15448/2179-8435.2014.2.17792. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/article/view/17792. Acesso em: 14 mar. 2024.

HERNÁNDEZ-HERNÁNDEZ, F. Affection as a movement of desire bound to pedagogical relations. University of Barcelona. Revistes Científiques de la Universitat de Barcelona. v. 1, no 2, p. 75-96, 2020. https://doi.org/10.1344/jnmr.v1i2.31970

HOUSSAYE, J. Le triangle pédagogique. Berne: Editions Peter Lang, 1988.

HOUSSAYE, J. Le triangle pédagogique: Les différentes facetes de la pédagogie. ESF éditeur, Division de la société Intescia, rua 52, Camille-Desmoulins, 2014.

LA TAILLE, Y. de; OLIVEIRA, M. K. de; DANTAS, H. de L. Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. Grupo Editorial Summus, 1992.

LEITE, S. A. da S. Afetividade e práticas pedagógicas. Sérgio Antônio da Silva Leite (organizador). São Paulo: Casa do Psicólogo. 2001. 1ª reimpr. da 2ª ed. de 2008.

LEITE, S. A. da S. A afetividade no processo de constituição do leitor. Atos de pesquisa em Educação - PPGE/ME FURB, [S.l.], v. 6, n. 1, p. 25-52, maio 2011. https://bu.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/download/2346/1541

LEITE, S. A. da S. Afetividade nas práticas pedagógicas. Temas em Psicologia, vol. 20, n. 2, 355-368, Universidade Estadual de Campinas – Campinas, SP, Brasil, 2012. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v20n2/v20n2a06.pdf

LEITE, S. A. da S. Afetividade: as marcas do professor inesquecível. Sérgio Antônio da Silva Leite (organizador). Campinas, SP: Mercado das Letras, 2018.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2ª ed. Cortez Editora, 2013.

MAHONEY, A. A.; ALMEIDA, L. R. de. Afetividade e processo ensino-aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. Psicologia da educação, São Paulo, n. 20, p. 11-30, jun. 2005 . Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-69752005000100002&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 14 mar. 2024.

MARCHAND, M. A afetividade do educador. Grupo Editorial Summus, 1985.

MEIRIEU, P. Carta a um jovem professor. Tradução Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2006.

MENDES, D. B. Memórias afetivas: a constituição do professor na perspectiva de Henri Wallon. São Paulo: Edições Loyola, 2017.

OLIVEIRA, I. B. Processos didáticos cotidianos e modelos político-ideológicos de base: uma discussão. In: FRANCO, M. A. S.; PIMENTA, S. G. (Orgs.) Didática: embates contemporâneos. 3. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014. p. 133-154.

PEIXOTO, E. M.; VIANA-MEIRELES, L. G.; CAMPOS, C. R.; OLIVEIRA, L. P.; PALMA, B. P. Indicadores de motivação e paixão para prática esportiva em atletas brasileiros: um estudo sob a ótica da autodeterminação. Psicologia Revista, [S. l.], v. 27, p. 563–589, 2019. DOI: 10.23925/2594-3871.2018v27i3p563-589. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/psicorevista/article/view/37845. Acesso em: 17 mar. 2024.

PIAGET, J. The relation of affetivity to intelligence in the mental development of the child. [transl. by Pitsa Hartocollis]. In Bulletin of the Menninger Clinic. – 1962, vol. 26, no 3. Three lectures presented as a series to the Menninger school of psychiatry March, 6, 13 and 22, 1961. Publicação original em língua inglesa, 1962. Disponível em: https://www.ufrgs.br/psicoeduc/piaget/afetividade-e-inteligencia/. Acesso em: 02 fev. 2023.

PIAGET, J. Inteligencia y afectividad. Con prólogo de: Mario Carretero, 1ª ed. 1ª reimp. Buenos Aires: Aique Grupo Editor, 2005.

SAUD, C. M. L. R. Com a palavra, as crianças: os sentimentos de alunos e alunas da 1ª série do Ensino Fundamental. In: Almeida, L. R. de; Mahoney, A. A. A Afetividade e Aprendizagem: contribuições de Henri Wallon. Laurinda Ramalho de Almeida; Abigail Alvarenga Mahoney (organizadoras). São Paulo: Edições Loyola, 2007.

SILVA, O. D. dos S. Afetividade e aprendizagem limites e possibilidades, 2012. 30 p. Monografia (Pós-Graduação em Psicopedagogia Institucional) Centro Universitário Barão de Mauá, 2012.

SOLIGO, A. Prefácio. In: Sérgio Antônio da Silva Leite (organizador). Afetividade: as marcas do professor inesquecível. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2018.

TASSONI, Elvira Cristina Martins; DA SILVA LEITE, Sérgio Antônio. Um estudo sobre emoções e sentimentos na aprendizagem escolar. Comunicações, v. 18, n. 2, p. 79-91, 2011. https://doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v18n2p79-91

TASSONI, E. C. M.; SILVA, J. O. M. da. FORNER, V. A. In: Sérgio Antônio da Silva Leite (organizador). Afetividade: as marcas do professor inesquecível. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2018.

VIANNA, J. A.; LOVISOLO, H. R. A inclusão social através do esporte: a percepção dos educadores. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 25, p. 285-296, 2011. https://doi.org/10.1590/S1807-55092011000200010

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Tradução José Cipolla Neto, Luís Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche. 6ª ed. – São Paulo: Martins Fontes, 1998.

WALLON, H. A evolução psicológica da criança. Título original: L´Evolution Psychologique de I'Enfant. Tradução de Ana Maria Bessa. Edições 70. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

Publicado

2024-04-13

Como Citar

PINHEIRO, A. W. S.; LEONARDO, L.; SCAGLIA, A. J. Afetividade, ensino e esporte: um ensaio teórico. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 6, p. e11089, 2024. DOI: 10.47149/pemo.v6.e11089. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/11089. Acesso em: 24 jul. 2024.