Resolução de equações do segundo grau, à luz da Teoria da Objetivação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.8017

Palavras-chave:

História da Matemática, Teoria da Objetivação, Sequência Didática, Resolução de problemas

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo apresentar uma proposta de sequência didática, a partir da resolução de problemas de equações do segundo grau, como recurso metodológico no desenvolvimento de práticas pedagógicas no Ensino Fundamental, embasada na Teoria da Objetivação (TO). A sequência didática possibilita utilizar os materiais manipulativos, numa vertente investigativa a partir da resolução de problemas que combinam tanto a utilização de métodos aritméticos como geométricos, dessa forma os símbolos algébricos são inseridos somente depois que os alunos tenham compreendido o método geométrico. O texto se fundamenta na Teoria da Objetivação que concebe a aprendizagem como um processo cultural-histórico coletivo, promovendo um espaço político e social, no qual possa desenvolver subjetividades reflexivas, responsáveis e solidárias. A proposta deve oportunizar um maior envolvimento na sala de aula, pois, devido ao estímulo à participação dos alunos, enriquecendo o desenvolvimento das aulas, esclarecendo dúvidas e questionamentos, já que a atividade, utilizando a TO e a História da Matemática (re)significa o ambiente escolar ao promover interações entre os sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elaine de Sousa Teodosio, Secretaria de Educação Básica do Estado do Ceará - SEDUC/CE

Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Estadual do Ceará (2008), mestrado em Matemática em Rede Nacional pela Universidade Federal do Ceará (2016). Atualmente é técnica em formação de professores de matemática na Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação - CREDE 1. É membro do Grupo de Pesquisa em Educação e História da Matemática (GPEHM/UECE).

Lara Ronise de Negreiros Pinto Scipiao, Universidade Federal do Ceará - UFC

Graduação em Pedagoga (Universidade Estadual do Ceará /UECE), Mestre em EDUCAÇÃO BRASILEIRA, pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Doutoranda em Ensino de Ciências e Matemática junto ao PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DA REDE NORDESTE DE ENSINO- RENOEN, Polo - Universidade Federal do Ceará - UFC. Especialista em Planejamento Educacional (UVA) . Professora concursada da Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF) lotada no Distrito de Educação II. Tenho experiência na Educação Infantil, Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos. Atualmente sou formadora do PAIC /PNAIC no município de Fortaleza desde 2007, pertencente ao grupo de formadores da Rede Municipal de Fortaleza com estudo em alfabetização e letramento , avaliação , formação de professores e educação matemática. Experiência com o Programa PARFOR ( UFC), como professora nas disciplinas de Educação Infantil, Letramento e Alfabetização e a de Ensino de Ciências. Integrante dos grupos de pesquisa: Grupo Tecendo Redes Cognitivas de Aprendizagens (G-TERCOA) - UFC e do Grupo de Estudo e Pesquisa em Alfabetização (GEPA) - UFC . Atualmente faço parte do grupo de Tutoras do curso de extensão" Diálogos reflexivos sobre a prática pedagógica" no ambiente moodleMM, instalado no Laboratório de Pesquisa Multimeios da Universidade federal do Ceará-UFC.

Referências

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2018.

LORENZATO, S. Para aprender matemática. Campinas/SP: Autores Associados, 2006.

MORETTI, V. D.; PANOSSIAN, M. L.; MOURA, M. O. Educação, educação matemática e teoria cultural da objetivação: uma conversa com Luis Radford. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 41, n. 1, p. 243-260, jan./mar. 2015. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/ep/v41n1/1517-9702-ep-41-1-0243.pdf. Acesso em 20 de fev. 2022.

MOREY, B.; MENDES, I. A. (Orgs.) Cognição matemática: história, antropologia e epistemologia. São Paulo: Livraria da Física, 2011.

RADFORD, L. De la teoría de la objetivación. Revista Latinoamericana de Etnomatemática. v. 7, n. 2, jun.-sept. 2014.

SOUZA, M. J. A. Sequência Fedathi: apresentação e caracterização. In: SOUSA, F. E. E. et al. (Orgs.). Sequência Fedathi: uma proposta pedagógica para o ensino de Ciências e Matemática. Fortaleza: Edições UFC, 2013.

VIECHENESKI, J. P; CARLETTO, M. Iniciação à alfabetização científica nos anos iniciais: contribuições de uma sequência didática. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 18, n. 3, p. 525-543, 2013.

Downloads

Publicado

2022-05-31

Como Citar

TEODOSIO, E. de S.; SCIPIAO, L. R. de N. P. . Resolução de equações do segundo grau, à luz da Teoria da Objetivação. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, [S. l.], v. 9, n. 26, p. 386–395, 2022. DOI: 10.30938/bocehm.v9i26.8017. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/BOCEHM/article/view/8017. Acesso em: 10 ago. 2022.