Resolução de equações do segundo grau, à luz da Teoria da Objetivação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.8017

Palavras-chave:

História da Matemática, Teoria da Objetivação, Sequência Didática, Resolução de problemas

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo apresentar uma proposta de sequência didática, a partir da resolução de problemas de equações do segundo grau, como recurso metodológico no desenvolvimento de práticas pedagógicas no Ensino Fundamental, embasada na Teoria da Objetivação (TO). A sequência didática possibilita utilizar os materiais manipulativos, numa vertente investigativa a partir da resolução de problemas que combinam tanto a utilização de métodos aritméticos como geométricos, dessa forma os símbolos algébricos são inseridos somente depois que os alunos tenham compreendido o método geométrico. O texto se fundamenta na Teoria da Objetivação que concebe a aprendizagem como um processo cultural-histórico coletivo, promovendo um espaço político e social, no qual possa desenvolver subjetividades reflexivas, responsáveis e solidárias. A proposta deve oportunizar um maior envolvimento na sala de aula, pois, devido ao estímulo à participação dos alunos, enriquecendo o desenvolvimento das aulas, esclarecendo dúvidas e questionamentos, já que a atividade, utilizando a TO e a História da Matemática (re)significa o ambiente escolar ao promover interações entre os sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Elaine de Sousa Teodosio, Secretaria de Educação Básica do Estado do Ceará - SEDUC/CE

Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Estadual do Ceará (2008), mestrado em Matemática em Rede Nacional pela Universidade Federal do Ceará (2016). Atualmente é técnica em formação de professores de matemática na Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação - CREDE 1. É membro do Grupo de Pesquisa em Educação e História da Matemática (GPEHM/UECE).

Lara Ronise de Negreiros Pinto Scipiao, Universidade Federal do Ceará - UFC

Graduação em Pedagoga (Universidade Estadual do Ceará /UECE), Mestre em EDUCAÇÃO BRASILEIRA, pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Doutoranda em Ensino de Ciências e Matemática junto ao PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DA REDE NORDESTE DE ENSINO- RENOEN, Polo - Universidade Federal do Ceará - UFC. Especialista em Planejamento Educacional (UVA) . Professora concursada da Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF) lotada no Distrito de Educação II. Tenho experiência na Educação Infantil, Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos. Atualmente sou formadora do PAIC /PNAIC no município de Fortaleza desde 2007, pertencente ao grupo de formadores da Rede Municipal de Fortaleza com estudo em alfabetização e letramento , avaliação , formação de professores e educação matemática. Experiência com o Programa PARFOR ( UFC), como professora nas disciplinas de Educação Infantil, Letramento e Alfabetização e a de Ensino de Ciências. Integrante dos grupos de pesquisa: Grupo Tecendo Redes Cognitivas de Aprendizagens (G-TERCOA) - UFC e do Grupo de Estudo e Pesquisa em Alfabetização (GEPA) - UFC . Atualmente faço parte do grupo de Tutoras do curso de extensão" Diálogos reflexivos sobre a prática pedagógica" no ambiente moodleMM, instalado no Laboratório de Pesquisa Multimeios da Universidade federal do Ceará-UFC.

Referências

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2018.

LORENZATO, S. Para aprender matemática. Campinas/SP: Autores Associados, 2006.

MORETTI, V. D.; PANOSSIAN, M. L.; MOURA, M. O. Educação, educação matemática e teoria cultural da objetivação: uma conversa com Luis Radford. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 41, n. 1, p. 243-260, jan./mar. 2015. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/ep/v41n1/1517-9702-ep-41-1-0243.pdf. Acesso em 20 de fev. 2022.

MOREY, B.; MENDES, I. A. (Orgs.) Cognição matemática: história, antropologia e epistemologia. São Paulo: Livraria da Física, 2011.

RADFORD, L. De la teoría de la objetivación. Revista Latinoamericana de Etnomatemática. v. 7, n. 2, jun.-sept. 2014.

SOUZA, M. J. A. Sequência Fedathi: apresentação e caracterização. In: SOUSA, F. E. E. et al. (Orgs.). Sequência Fedathi: uma proposta pedagógica para o ensino de Ciências e Matemática. Fortaleza: Edições UFC, 2013.

VIECHENESKI, J. P; CARLETTO, M. Iniciação à alfabetização científica nos anos iniciais: contribuições de uma sequência didática. Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 18, n. 3, p. 525-543, 2013.

Downloads

Publicado

2022-05-31

Como Citar

TEODOSIO, E. de S.; SCIPIAO, L. R. de N. P. . Resolução de equações do segundo grau, à luz da Teoria da Objetivação. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, [S. l.], v. 9, n. 26, p. 386–395, 2022. DOI: 10.30938/bocehm.v9i26.8017. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/BOCEHM/article/view/8017. Acesso em: 23 jul. 2024.