O cotidiano de estudantes de direito de São Paulo no “Romance de um Estudante” (1864)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v3i3.7109

Palavras-chave:

História da educação superior, História dos jovens, Cotidiano de estudantes, Literatura e História da educação

Resumo

O artigo apresenta os resultados parciais de uma pesquisa em história da educação sobre o cotidiano de estudantes de direito em São Paulo na década de 1860, a partir da leitura do texto ficcional anônimo “Romance de um estudante”, publicado no periódico “Diabo Coxo”, em 1864. Esta publicação, a primeira ilustrada a circular na cidade de São Paulo, era feita pelo cartunista Angelo Agostini, pelo estudante Sizenando Nabuco e pelo abolicionista Luiz Gama. Desta forma, discutem-se aspectos constituintes da identidade estudantil de então, como o distanciamento entre lar familiar e lar escolar, a juventude como um período de exílio e a expressão por meio da literatura e do periodismo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Vicente França, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

Pedagogo, mestre e doutorando pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

Referências

ABUD, Katia Maria. A Academia do Largo de São Francisco: um marco da história paulista. Atas do II Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação. São Paulo: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, v. 2, p. 53-57, 1998.

ADORNO, Sérgio. Os aprendizes do poder: o bacharelismo liberal na política brasileira. 2ª edição revista. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2019.

AMARAL, António Barreto do. Jornalismo Acadêmico. Separata da Revista do Arquivo Municipal nº 190. São Paulo: Arquivo Municipal, 1977.

BAKHTIN, Mikhail. A Cultura Popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. 7ª Edição. São Paulo: HUCITEC, Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2010.

CAGNIN, Antonio Luiz. Foi o Diabo! In: Diabo Coxo: São Paulo, 1864-1865. Edição fac-similar. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2005.

CAMPOS, Alzira Lobo de Arruda. População e sociedade em São Paulo no século XIX. In: PORTA, Paula (org.). História da cidade de São Paulo: v. 2, a cidade no Império. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

CERTEAU, Michel de. Teoria e Método no Estudo das práticas cotidianas. In: SZMERECSANYI, Maria Ivone (org.). Cotidiano, cultura popular e planejamento urbano (anais do encontro). São Paulo: FAU/USP, p. 3-19, 1985.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 22ª Edição. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. Petrópois: Vozes, 2014.

CHARTIER, Roger. A história cultural – entre práticas e representações. Lisboa: DIFEL,1990.

CHARTIER, Roger. O mundo como representação. Estudos Avançados, v. 11, n.5, p. 173-191, 1991.

CUNHA, Luiz Antônio. A Universidade Temporã. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1986. 2ª Edição Revista e Ampliada.

DIABO COXO: São Paulo, 1864-1865. Edição fac-similar. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2005.

FLORES, Moacyr. Educação e ensino na província do Rio Grande do Sul no século XIX. Rev. Pemo, Fortaleza, v. 3, n. 1, e313892, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.47149/pemo.v3i1.

GLEZER, Raquel. São Paulo como objeto: construção e uso. In: GLEZER, Raquel. Chão de terra e outros ensaios sobre São Paulo. São Paulo: Alameda, p. 137-154, 2007.

LEVI, Giovanni e SCHMITT, Jean-Claude (orgs.). História dos Jovens. Vol. 1. Da Antiguidade à Era Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

MARTINS, Ana Luiza e BARBUY, Heloisa. Arcadas: história da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (1827-1997). São Paulo: Alternativa Serviços Programados, 1998.

MORAES, Dislane Zerbinatti. Entre rememorações e reconstruções de identidades estudantis: capítulos da história da imprensa estudantil da Universidade de São Paulo (1980-2015). In: DÍAZ, José María Henández (coord.). La Prensa de los escolares y estudiantes: su contribución al patrimonio histórico educativo. Salamanca: Ediciones Universidad de Salamanca, p. 569-580, 2015.

SEVCENKO, Nicolau. A cidade metástasis e o urbanismo inflacionário: incursões na entropia paulista. Revista USP, n. 63, p. 16-35, 2004.

VOLÓCHINOV, Valentin. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico. Tradução de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

Publicado

2021-11-13

Como Citar

FRANÇA, G. V. O cotidiano de estudantes de direito de São Paulo no “Romance de um Estudante” (1864). Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 3, n. 3, p. e337109, 2021. DOI: 10.47149/pemo.v3i3.7109. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/7109. Acesso em: 2 dez. 2021.