ENSINO DA REGRA DE TRÊS

A PROPOSIÇÃO CINCO DO LIBER QUADRATORUM COMO UM CONTEXTO PRÓPRIO DE ESTUDO EM MATEMÁTICA

  • DENIVALDO PANTOJA DA SILVA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
  • José dos Santos Guimarães Filho
Palavras-chave: Regra de Três; Liber Quadratorum; Práxis; Aprendizagem; Ensino.

Resumo

Temos na História da Matemática, uma ferramenta metodológica que pode ajudar o professor que ensina matemática na construção do conhecimento matemático escolar, por meio de fontes, contextos, problemas e textos históricos. Destes podemos citar o Liber Quadratorum, escrito por Leonardo de Pisa (1180 – 1250) em 1225 no século XIII, de forma particular, a proposição cinco deste livro. Há consenso entre profissionais de educação que novos métodos, estratégias e a inserção de instrumentos que facilitem o ensino da Matemática são necessários para prender a atenção dos alunos em sala de aula. Essa tarefa nos parece desafiadora para o momento atual visto a constante mudança que as tecnologias da informação e comunicação proporcionam a cada instante com velocidade. Pensando em proporcionar ao professor alternativas metodológicas de certo modo inovadoras que sejam objetivamente possíveis de serem executadas, propomos neste artigo, como objetivo, buscar construir uma praxeologia para Regra de Três considerando a proposição cinco e sua demonstração como provedora de um contexto próprio de estudo em Matemática. Para isso, desenvolveremos este trabalho à luz da História da Matemática auxiliada pela noção de praxeologia como referencial teórico-metodológico. Os resultados apontam a proposição cinco do Liber Quadratorum e sua demonstração como dispositivo didático eficaz para o estudo da Regra de Três, promove a iniciação ao estudo de álgebra, além de se apresentar como um instrumento essencial para um fazer de modelização matemática possível na educação básica atendendo aos anseios relacionados à interação harmoniosa entre os componentes dos processos didáticos de modo que culminem em aprendizagens duradouras e significativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CASTILLO, Ricardo Moreno. Fibonacci: El Primer Matemático Medieval. 2ª ed. Coleção – La matemática en sus personajes. España: Nivola, 2007.

CHEVALLARD, Yves. El análisis de las prácticas docentes en la teoría antropológica de lo didáctico. Recherches en Didactique des Mathématiques, v. 19, n. 2, p. 221-266, 1999.

GUIMARÃES FILHO, José dos Santos. Um estudo do Liber Quadratorum (1225) de Leonardo Fibonacci (1180 – 1250) e suas Potencialidades para o Ensino de Matemática. (Dissertação de Mestrado). Belém-PA, 2018.

OLIVEIRA, José Jackson de. Sequências de Fibonacci: possibilidades de aplicações no ensino básico. UFBA. Salvador, BA, 2013.

SIGLER, Laurence Edward. The Book of Squares. An annotated translation into modern english. Academic Press, USA: 1987.

SILVA, Denivaldo Pantoja da. Regra de três: prática escolar de modelagem matemática. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas), Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém-PA, 2011.

SILVA, Denivaldo Pantoja da. A INVARIÁVEL PRÁTICA DA REGRA DE TRÊS NA ESCOLA. Tese. (Doutorado em Educação em Ciências e Matemáticas), Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém-PA, 2017.

Publicado
2020-07-11
Como Citar
SILVA, D.; GUIMARÃES FILHO, J. ENSINO DA REGRA DE TRÊS. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, v. 7, n. 20, p. 139-147, 11 jul. 2020.