A Cultura Lúdica dos alunos de uma “Escola das Águas” no Pantanal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47149/pemo.v3i2.4799

Palavras-chave:

Cultura Lúdica, Escola das Águas, Jogar/Brincar, Pantanal

Resumo

O objetivo do presente texto é analisar a cultura lúdica de crianças que moram e estudam em uma “Escola das Águas”. Para tal, realizou-se uma pesquisa do tipo Estudo de Caso com 33 crianças de 04-16 anos e, para a coleta de dados, usou-se diário de campo, entrevistas, desenhos e fotografias. Utilizamos a Análise de Conteúdo como meio de organizar, categorizar e analisar os dados obtidos. Os resultados indicam que os comportamentos lúdicos das crianças pantaneiras têm no brinquedo (industrializado e não-estruturado), seu eixo central. O objeto lúdico é composto por imagens que emergem dos brinquedos e o jogar/brincar é o ato de (re)criar essas imagens. Analisamos que a aprendizagem do jogar/brincar decorre mediante mediação semiótica entre crianças-crianças e adultos-crianças. Finalmente, constatamos que a cultura lúdica infantil no Pantanal não é isolada da fauna, flora, rios, queimadas etc., pois está equilibrada num liame tênue entre o preservar e o destruir.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Zaim-de-Melo, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Licenciado (UNESP) e mestre em Educação Física (USP) e Doutor em Educação (PUC-Rio). É docente do curso de Educação Física da UFMS – Câmpus Pantanal, líder do grupo CLUCIEFE e coordenador do Los Pantaneiros. Realiza pesquisas com Circo, Educação Física, Cultura Lúdica e Educação.

Gilson Santos Rodrigues, Universidade Estadual de Campinas

Bacharel, licenciado e mestre em Educação Física (Unicamp). Atualmente é doutorando em Educação Física (Unicamp), arte-educador no ICA-Mogi Mirim/SP e membro do grupo CIRCUS/Unicamp. Realiza pesquisas com circo, jogos circenses, arte-educação, educação física, educação, lúdico e jogos.

Rogério de Melo Grillo, Universidade Federal de Santa Catarina

Licenciado e especialista em Educação Física (Claretiano), mestre em Educação (São Francisco) e doutor em Educação Física (Unicamp). É pós-doutorando na UFSC e membro do EscolaR/Unicamp, Celula/UFC, Cluciefe/UFMS. Realiza pesquisas com Jogo, Brinquedo, Didática, Lúdico e Psicologia Histórico-Cultural.

Referências

ABDON, Myrian de Moura; SILVA, João dos Santos Vila da. Delimitação do pantanal brasileiro e suas sub-regiões. Pesquisa Agropecuária, v.33, n. Esp., p.1703-11, 1998.

ARIÈS, Philippe. La infancia. Revista de educación, v.281, p.5-17, 1986.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo, SP: Edições 70, 2011.

BAUER, Martin W.; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Tradução de Pedrinho A. Guareschi. 7. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

BENITES, Larissa Cerignoni et al. Análise de conteúdo na investigação pedagógica em educação física: estudo sobre estágio curricular supervisionado. Movimento, v.22, n.1, p.35-50, 2016.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. Tradução Marcus Vinicius Mazzari – 2. ed., São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2009.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. (online). Pantanal. Disponível em: < https://antigo.mma.gov.br/biomas/pantanal.html > Acesso em: 30 jan. 2021;

BROUGÈRE, Gilles. A criança e a cultura lúdica. Revista da Faculdade de Educação da USP, v. 24, n. 2, 1998.

BROUGÈRE, Gilles. Brinquedos e Companhia. São Paulo: Cortez, 2004.

BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e cultura. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari Knop. Investigação qualitativa em educação: uma introdução a teoria e aos métodos. Porto: Porto Ed., 1994.

BUYTENDIJK, Frederik Jacobus Johannes. El juego y su significado: el juego en los hombres y en los animales como manifestación de impulsos vitales. Madrid, Revista de Occidente, 1935.

CAMPOS, Cristiana Caldas Guimarães; JOBIM E SOUZA, Solange. Mídia, cultura do consumo e constituição da subjetividade na infância. Psicol. cienc. prof. v.23, n.1, p.12-21, 2003.

CASTRO, Helga Cláudia. A criança em tribunal: Entre os espaços e a participação. Educação & Formação, v.5, n.13, p.41-58, 2020. DOI: https://doi.org/10.25053/redufor.v5i13.1940

DOMINGUEZ, Celi Rodrigues Chaves; TRIVELATO, Silvia Luzia Frateschi. Crianças pequenas no processo de significação sobre borboletas: como utilizam as linguagens? Ciência & Educação, v.20, n.3, p.687-702, 2014.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

GRILLO, Rogério de Melo; SPOLAOR, Gabriel da Costa; PRODÓCIMO, Elaine. A Cultura Lúdica e a Educação Física escolar. Lúdicamente, v.5, n.10, 2016.

GRILLO, Rogério de Melo. Mediação semiótica e jogo na perspectiva histórico-cultural em educação física escolar. Tese (Doutorado em Educação Física), Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2018.

GRILLO, Rogério de Melo; SANTOS RODRIGUES, Gilson; NAVARRO, Eloisa Rosotti. Cultura Lúdica: uma revisão conceitual à luz das ideias dos intelectuais dos estudos de jogo, cultura de jogo e cultura do lúdico. Arquivos em movimento, v.15, n.2, p.174-93, 2019a.

GRILLO, Rogério de Melo; SPOLAOR, Gabriel da Costa; PRODÓCIMO, Elaine. Notas sobre o brinquedo: possível diálogo entre Brougère, Benjamin e Vigotski. Pro-Posições, Campinas, v.30, 2019b.

GRILLO, Rogério de Melo; NAVARRO, Eloisa Rosotti; SANTOS RODRIGUES, Gilson; PRODÓCIMO, Elaine. Repensando o jogo no bojo da teoria histórico-cultural. In: ALMEIDA, Marcos Teodorico Pinheiro et al. Cultura lúdica híbrida: práticas inovadoras. Fortaleza: Instituto Nexos, 2020a. p. 223-238.

GRILLO, Rogério de Melo; NAVARRO, Eloisa Rosotti; GRANDO, Regina Célia; ANDRADE, Susimeire V. R. Jogo, Lúdico e Resolução de Problemas: conhecimento matemático em aulas de Educação Física. In: Flavio José Wirtzbiki de Almeida; Marcos Teodorico Pinheiro de Almeida. (Org.). A Educação Física e a Transdisciplinaridade: razões práticas. 1ed. Fortaleza - CE: Instituto NEXOS, 2020b. p. 441-477.

KRAMER, Sonia. Autoria e autorização: questões éticas na pesquisa com crianças. Cadernos de Pesquisa, n.116, p.41-59, 2002.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogos tradicionais infantis: o jogo, a criança e a educação. Petrópolis: Vozes, 1993.

LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Tradução Heloísa Monteiro e Francisco Settineri. Porto Alegre: Artmed, 1999.

MACEDO, Fabiane de Oliveira. Bem-estar/ mal-estar dos professores das escolas das águas no Pantanal. Tese (doutorado em Educação). Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2020.

NATIVIDADE, Michelle Regina da; COUTINHO, Maria Chalfin; ZANELLA, Andréa Vieira. Desenho na pesquisa com crianças: análise na perspectiva histórico-cultural. Contextos clínicos, v.1, n.1, p.9-18, 2008.

OLIVEIRA, Paulo de Salles. Brinquedo e indústria cultural. Petrópolis: Vozes, 1986.

OPIE, Iona A.; OPIE, Peter. Children’s Games in Street and Playground. Oxford: Clarendon Press, 1969.

POSTMAN, Neil. The disappearance of childhood. New York: Delacorte Press, 1982.

REBOREDO, Aída; ESPINOSA, Arcelia. Jugar es un acto político: El juguete industrial, recurso de Dominación. México: Centro de Estudios Económicos y Sociales del Tercer Mundo. Nueva Imagen, 1983.

SCHWARTZMAN, Helen B. Transformations: Anthropology of children’s play. New York: Plenum, 1978.

SOUZA, Rosely Monte; ASTIGARRAGA, Andrea Abreu. Infâncias: uma abordagem envolvendo literatura, cinema e a vida real. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades-Rev. Pemo, v.2, n.2, 2020. DOI: https://doi.org/10.47149/pemo.v2i2.3578

SUTTON-SMITH, Brian. The games of New Zealand children. Berkeley, CA: University of California Press, 1959.

SUTTON-SMITH, Brian. Toys as culture. New York: Gardner Press, 1986.

VASQUES, Hugo Cavalcante; OTA, Giovanna Sayuri Garbelini; DE MARCO, Ademir. O circo na educação infantil: vivências e representações artísticas. Motrivivência, v.31, n.60, p.1-21, 2019.

VIGOTSKI, Lev S. A brincadeira e seu papel no desenvolvimento psíquico da criança (Zoia Prestes, trad.). Revista Virtual de Gestão de Iniciativas Sociais, v. 8, p. 23-36, 2007.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução de Daniel Grassi – 2.ed. - Porto Alegre: Bookman, 2001.

ZAIM-DE-MELO, Rogério. Jogar e brincar de crianças pantaneiras: um estudo em uma “Escola das Águas”. 2017. 141 f. Tese (Doutorado) Educação, Departamento de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017

ZAIM-DE-MELO, Rogério; DUARTE, Rosalia Maria; SAMBUGARI, Marcia Regina do Nascimento. Jogar e brincar de crianças pantaneiras: um estudo em uma “escola das águas”. Pro-Posições, v. 31, 2020.

Filmografia

A INVENÇÃO DA INFÂNCIA. (documentário). Dir. Liliana Sulzbach. Roteiro: Liliana Sulzbach. Prod. Liliana Sulzbach e Mônica Schmiedt. Brasil, cor., 26 min., 2000. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=h1WiZoQ6Sj8 > Acesso em: 30 de jan., 2021.

BAMBEIA. (documentário). Dir. David Reeks; Renata Meirelles. Roteiro: David Reeks; Renata Meirelles. Prod. Renata Meirelles. Brasil, cor., 5 min., 2003. Disponível em: < http://www.ludusvideos.com.br/bambeia/ > Acesso em: 30 jan., 2021.

BIG (em português: Quero ser grande). (filme). Dir. Penny Marshall. Roteiro: Gary Ross e Anne Spielberg. Prod. Gracie Films. Dist: 20th Century Fox. Cor, inglês, 104 min., 1988.

CRIANÇA, A ALMA DO NEGÓCIO. (documentário). Dir. Estela Renner. Roteiro: Estela Renner e Renata Ursaia. Prod. Estela Renner, Marcos Nisti e Luana Lobo. Brasil, cor., 49 min., 2008. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=ur9lIf4RaZ4 > Acesso em: 30 de jan., 2021.

TERRITÓRIO DO BRINCAR. (documentário). Dir. David Reeks e Renata Meirelles. Prod. Estela Renner, Luana Lobo e Marcos Nisti. Roteiro: Clara Peltier e Renata Meirelles. Brasil, cor., 90 min. 2015. Disponível em: < www.territoriodobrincar.com.br > Acesso em: 30 jan. 2021.

Publicado

2021-03-10

Como Citar

ZAIM-DE-MELO, R.; RODRIGUES, G. S.; GRILLO, R. de M. A Cultura Lúdica dos alunos de uma “Escola das Águas” no Pantanal. Práticas Educativas, Memórias e Oralidades - Rev. Pemo, [S. l.], v. 3, n. 2, p. e324799, 2021. DOI: 10.47149/pemo.v3i2.4799. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revpemo/article/view/4799. Acesso em: 18 maio. 2022.