Depois de três números editados no biênio 2012-2013, a Revista GeoUECE
prossegue em sua trajetória de divulgar conhecimento de ampla abrangência
geográficas: questões teórico-metodológicas da Geografia; saberes e práticas do
conhecimento geográfico, níveis de análise e conteúdo da Geografia; Cenários
tendenciais e novos temas emergentes, dentre outros.
Deve-se reconhecer que a Geografia - ciência do espaço ou do território - tem raízes
antigas. Mas a um só tempo, é setor do conhecimento de recente desenvolvimento.
Envolvendo conhecimentos múltiplos e objetivos temáticos de amplo espectro, um
periódico de cunho geográfico por excelência, deve refletir essas circunstâncias.
É o que se expõe neste quarto número semestral da GeoUECE, divulgando temas
multivariados, tendo, em comum, as relações natureza x sociedade. Há evidente
primazia de artigos ligados à problemática urbana e que tratam de contradições em
áreas metropolitanas; da segregação socioespacial e fragmentada em cidades
médias; das assimetrias das relações entre verticalidades e horizontalidades; dos
indicadores socioambientais de clima urbano e saúde. Acrescenta-se um trabalho
vinculado à localização das unidades industriais das montadoras de autoveículos no
Mercosul.
Referente ao ensino de Geografia, um artigo trata das mudanças de natureza didática
através de uma ação efetiva da cartografia escolar. Há também especificidades no que
tange aos condicionantes da institucionalização de unidades regionais no Brasil, da
Geografia Eleitoral através da relação entre política partidária e eleitores e das
concepções teóricas da educação ambiental e a dialética materialista.
Sobre temas associados ao contexto socioambiental, apresenta-se um artigo de
natureza metodológica referente à analise sistêmica da paisagem e sua aplicabilidade
ao estudo do litoral. Saúde ambiental e gestão de água potável expõem os problemas
fundamentais da gestão pública em um meio de abundancia das disponibilidades
hídricas. Um último artigo trata da apropriação da natureza e principais repercussões
dos processos erosivos no Médio Solimões, Amazonas.
Ressalta-se, assim, que a percepção da GeoUECE é conduzida no sentido de não
existência de uma só Geografia. Admite-se uma constelação de saberes geográficos
que se sustentam na diversidade e na pluralidade desses saberes.
Profa. Dra. Maria Lúcia Brito Cruz
Coordenadora do ProPGEO da UECE

Publicado: 2018-12-20