OS LUGARES SAGRADOS NA PERSPECTIVA DA GEOGRAFIA DA RELIGIÃO

Autores

  • Otávio José Lemos Costa

Palavras-chave:

lugar sagrado, geografia da religião

Resumo

A compreensão a respeito dos lugares sagrados se insere numa ampla discussão dentro da geografia da religião. A relação entre o sagrado e os lugares se insere numa ordem pela qual a experiência religiosa engendra formas espaciais, reunindo um sistema de símbolos capaz de tornar os lugares em algo humanamente significativo. Essa experiência religiosa, ao produzir na paisagem formas e funções religiosas, pode ser entendida através da explicação de Berque (1998) que propõe dois modos de compreensão da paisagem: como marca da experiência religiosa produzida no lugar e também como matriz dessa experiência, surgindo nesse momento esquemas de percepção, de concepção e de ação, conferindo, portanto, uma identidade impressa na paisagem.  A criação dos lugares sagrados também está associada à ação simbólica que o homem desenvolve através de processos que indicam a organização de um espaço socializado e que representa a própria história, estabelecendo um elo entre o mundo e as relações simbólicas. Entendemos aqui como um ordenamento de signos organizado estruturalmente, através do qual um sistema social é transmitido, reproduzido e explorado. Assim, o tema do lugar, entendido na perspectiva simbólica do sagrado, aparece como um conceito cuja polissemia está ligada à própria existência do homem, quer seja individualmente ou em sua dimensão coletiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ANDREOTTI, Giuliana. La Géographie Culturelle Italienne. Orientations de recherche. Geographie et Cultures, n. 64, pp. 3-34, 2007.

BERQUE, Augustin. Paisagem-Marca, Paisagem-Matriz. Elementos da problemática para uma Geografia da Religião. In: Correa, R.L. e Rosendahl, Z. (orgs.) Paisagem, Tempo e Cultura. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998.

BONNEMAISON, Joel. Le territoire enchanté. Croyances et territorialités en Melanésie. Geographie et Cultures. Paris: L’Harmattan/ORSTOM, nº. 3, pp. 71-89, 1992.

BUTTIMER, Anne. Aprendendo o Dinamismo do Mundo Vivido. In: Christofletti, Antonio (org.). Perspectivas da Geografia. São Paulo: DIFEL, 1982.

CALAVIA, Oscar. Las Formas Locales de la Vida Religiosa. Antropologia e Historia de los Santuários de la Rioja. Madrid: Consejo Superior de Investigaciones Cientificas, 2002.

DAVIE, Michael F. Internet el Les Enjeux de la Cartografie des Religions au Liban. Geographies et Cultures, n. 68, 2008.

DUNCAN, James. A Paisagem como Sistema de Criação de Signos. In: Correa, R. L. e Rosendahl, Z. (org.) Paisagem, Textos e Identidades. Rio de Janeiro: EDUERJ/NEPEC, 2004.

DURKHEIM, Emile. As Formas Elementares da Vida Religiosa. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1996.

ELIADE, Mircea. O Sagrado e o Profano: a essência das religiões. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

________, Mircea. Tratado de História das Religiões. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

GAME, Ann. Belonging: Experience in Sacred Time and Space. In: MAY, J. e THRIFT, N. Timespace of Temporality. London: Routledge: 2001

GESLER, Wil. Lourdes: healing in a place of pilgrimage. Health & Place. Elsevier Science Ltd. Vol. 2 pp. 95-105, 1996.

IVAKHIV, Adrian. Toward a Geography of Religion: Mapping the Distribution of na Unstable Signifier. Annals of Association Geographers América, 96(1) pp. 169-175, 2006.

KONG, Lily. Geography and Religion: trends and prospects. Progress in Human Geography, vol. 14, nº. 3, 355-71, London, 1990.

________, Lily. The Sacred and the Secular: Exploring Contemporary Meanings and Values for Religious Buildings in Singapore. Southeast Asian Journal of Science Social. Vol. 20, n.1, pp. 18-42, 1992.

MESLIN, Michel. A Experiência Humana do Divino. Fundamentos de uma Antropologia Religiosa. Petrópólis-RJ: Vozes, 1992.

NORTON, William. Cultural, Geography: themes, concepts, analysis. Oxford: Oxford University Press, 2000.

ROSENDAHL, Zeny. Espaço e Religião: uma abordagem geográfica. Rio de Janeiro: Eduerj/NEPEC, 1996.

__________, Zeny. Hierópolis: o sagrado e o urbano. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1999.

__________, Zeny. A Identidade Religiosa na Perspectiva Geográfica: Os Lugares Sagrados. In: Manoel, Ivan A. e Andrade, Solange Ramos (orgs.) Franca-SP: Civitas/Unesp, 2008.

RUBENSTEIN, James M. e BACON, Robert. The Cultural Landscape: An Introduction to Geography Human. New York: West Publishing, 1983.

SANTOS, Maria da Graça M. P. Religion y dinâmica espacial. Del espacio y de los lugares sagrados al território. In: Carballo, C. T. (org.) Cultura, Territórios y Practicas Religiosas. Buenos Aires: Prometeu Libros, 2009.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo de percepção, atitudes, valores do meio ambiente. A perspectiva da experiência. São Paulo: DIFEL, 1980.

_____ ,Yi-Fu. Espaço e Lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: DIFEL, 1983.

Downloads

Publicado

2021-08-30

Como Citar

LEMOS COSTA, O. J. . OS LUGARES SAGRADOS NA PERSPECTIVA DA GEOGRAFIA DA RELIGIÃO. Revista GeoUECE, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 18–28, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/GeoUECE/article/view/7026. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos