A Álgebra Geométrica de ʿUmar Al-Khayyāmī em sala de aula

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.7986

Palavras-chave:

Matemática Islâmica Medieval, ʿUmar al-Khayyāmī, Ensino de Matemática, História da Matemática, Teoria da Objetivação

Resumo

O presente artigo é parte de um projeto de ensino e pesquisa em andamento que utiliza episódios da História da Matemática para promover formas de colaboração não individualistas de aprendizagem e para incentivar nos alunos o gosto pela resolução de tarefas não padronizadas com a exploração de novas possibilidades de ensino e aprendizagem. O objetivo do presente artigo é apresentar uma atividade sobre um episódio histórico e a partir dele exemplificar tarefas que podem ser elaboradas e utilizadas em sala de aula para discussão com alunos de ensino básico ou professores de matemática em formação. Para isso, utilizaremos um estudo de ʿUmar al-Khayyāmī sobre a resolução de equações cúbicas através de seções cônicas com auxílio do software Geogebra. Os resultados esperados versarão sobre a aprendizagem de saberes envolvendo a resolução apresentada por al-Khayyāmī, a interpretação utilizando construções geométricas das seções cônicas através do Geogebra e pela mobilização de elementos fundamentais para a formação ético-reflexiva de jovens estudantes de acordo com a Teoria da Objetivação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Severino Carlos Gomes, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN

Licenciado em Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1994). Especialista em Educação de Jovens e Adultos - CEFET/UFRN (2007). Mestre em Ensino de Ciências Naturais e Matemática - UFRN (2011). Doutor em Educação - UFRN (2016). Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte com especial interesse nas áreas de ensino e pesquisa envolvendo os seguintes temas: Teorias de Aprendizagem em Educação Matemática; História da Matemática na Antiga Mesopotâmia e no Império Islâmico Medieval

Referências

FAULKNER, N.; GREGERSEN, E. (Eds.). The History of Mathematics. New York: Britannica Educational Publishing, 2018.

FURINGHETTI, F. The history of mathematics as a coupling link between secondary and university teaching. International Journal of Mathematical Education in Science and Technology, v. 31, n. 1, p. 43-51. 2000.

FURINGHETTI, F.; RADFORD, L. Contrasts and oblique connections between historical conceptual developments and classroom learning in mathematics. In: ENGLISH, L. (Ed.), Handbook of International Research in Mathematics Education, New York: Routledge, Taylor and Francis, p. 626-655, 2008.

JANKVIST, U. T. Anchoring Students' Metaperspective Discussions of History in Mathematics. Journal for Research in Mathematics Education, v. 42, n. 4, p. 346-385, 2011.

JANKVIST, U. T. A categorization of the “whys” and “hows” of using history in mathematics education. Educ Stud Math, n. 71, p. 235-261, 2009.

KJELDSEN, T. H. Uses of history for the learning of and about mathematics: Towards a theoretical framework for integrating history of mathematics in mathematics education. In: S. Choi & S. Wang (Eds.). Proceedings of HPM 2012. Daejeon, South Korea: HPM. 2012. p. 1-21.

RASHED, R. Mathematics. In. AL-HASSAN, A. Y. (Ed.). The Different Aspects of Islamic Culture 4: science and technology in Islam. Beirut: UNESCO, 2001.

RASHED, R. The development of Arabic Mathematics: between arithmetic and algebra. Translate of Angela Armstrong. Boston: Springer, 1994

RADFORD, L. Teoria da Objetivação: uma perspectiva vygotskiana sobre conhecer e vir a ser no ensino e aprendizagem da matemática. Tradução de Bernadete B. Morey e Shirley T. Gobara. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2021.

RADFORD, L. ¿Cómo seria uma actividad de enseñanza-aprendizaje que busca ser emancipadora? La labor conjunta em la teoria de la objetivación. Revista Colombiana de Matemática Educativa (RECME), v. 5, n. 2, p. 15-31, 2020.

RADFORD, L. Methodological Aspects of the Theory of Objectification. Perspectivas da Educação Matemática. v. 8, n. 18, p. 547-567, 2015.

RADFORD, L. Reflections on History of Mathematics. In. FRIED, M. N.; DREYFUS, T. (Eds.). Mathematics & Mathematics Education: Searching for Common Ground. New York: Springer, 2014.

SAD, L. A.; SILVA, C. M. S. da. Reflexões Teórico-metodológicas para Investigações em História da Matemática. BOLEMA, ano 21, n. 30, p. 27-46, 2008.

SESIANO, J. An introduction to the history of algebra: solving equations from Mesopotamian times to the Renaissance. Providence: American Mathematical Society, 2009.

SIU, M.-K. No, I don’t use history of mathematics in my class: Why? In: F. Furinghetti, S. Kaijser, & C. Tzanakis (Eds.), Proceedings HPM 2004 & ESU 4. Uppsala: University of Uppsala, p. 368-382, 2006.

SILVA, R. A. da; GOMES, S. C.; MOREY, B. B. Al-Khwarizmi e Omar Khayyam: similaridades e diferenças entre álgebra e geometria. Hipátia, v. 6, n. 2, p. 215-225, 2021.

YOUSCHKEVITCH, A. P. Les Mathématiques Arabes: VIIIe-XVe siècles. Tradução de M. Cazenaze e K. Jaouiche. Paris: VRIN, 1976.

Downloads

Publicado

2022-05-27

Como Citar

GOMES, S. C. A Álgebra Geométrica de ʿUmar Al-Khayyāmī em sala de aula. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, [S. l.], v. 9, n. 26, p. 333–344, 2022. DOI: 10.30938/bocehm.v9i26.7986. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/BOCEHM/article/view/7986. Acesso em: 29 jun. 2022.