Uma análise de vídeos de canais do Youtube como recursos didáticos para o ensino de operações de adição e subtração na educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30938/bocehm.v8i23.5144

Palavras-chave:

Adição e Subtração, Ensino de Matemática, Educação Infantil

Resumo

O desenvolvimento de noções aritméticas na Educação Infantil ocorre através do campo de experiência “Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações” previsto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Assim, por meio de atividades lúdicas, a criança vivenciará situações nas quais poderá compreender e construir o senso numérico mobilizando processos cognitivos essenciais como contagem e quantificação que auxiliarão posteriormente no entendimento das estruturas aditivas onde se inserem as operações aritméticas básicas, como adição e subtração. No entanto, é necessário que o professor utilize recursos variados para promover vivências matemáticas significativas que promovam a aprendizagem de noções aritméticas.  Desta forma, este trabalho teve como foco a análise de vídeos de quatro canais do YouTube que abordam as operações de adição e subtração na Educação Infantil, tendo como principais pontos de análise, a didática, o layout e a existência de personagens. Para tanto, realizamos uma breve pesquisa bibliográfica para entender melhor o que a BNCC e os teóricos que estudam os processos cognitivos de assimilação de conceitos matemáticos como Vergnaud (1990), Piaget (1975) e Kamii (2012) falam a respeito do ensino das operações de adição e subtração na Educação Infantil e identificar se os vídeos auxiliam na mobilização desses processos. Os vídeos analisados se mostraram atrativos pelas animações coloridas e motivadoras através das variadas situações-problema e histórias que servem para desenvolver o processo de contagem, ordenação, comparação, quantificação, entretanto, percebemos também que as operações de adição e subtração não trouxeram situações-problema desafiadoras e estavam fortemente ligadas à fixação repetitiva e exposição dos algoritmos, relacionando o numeral às quantidades. Mesmo com este tipo de ênfase presente, os vídeos analisados constituem um material potencialmente significativo para o ensino de adição e subtração na Educação Infantil e seu uso requer o planejamento da aula, combinando-os com outras atividades de modo que promovam o desenvolvimento de outras habilidades aritméticas.

Palavras-chave: Adição e Subtração; Ensino de Matemática; Educação Infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Claudia de Oliveira Lozada, Universidade Federal de Alagoas

É Docente Adjunta Efetiva de Matemática na Universidade Federal de Alagoas (Instituto de Matemática - Área de Ensino de Matemática), Docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática - PPGECIM do Centro de Educação da Universidade Federal de Alagoas (Linhas de Pesquisa: Saberes e práticas docentes e Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação). É coordenadora do Grupo de Pesquisa Matemática, Educação e Tecnologia (MATEDTEC) - voltado para a formação docente. Integra o Grupo de Pesquisa "História da Matemática e Educação Matemática" do Instituto de Matemática da Universidade Federal de Alagoas certificado pelo CNPq. Foi Professora Adjunta de Matemática na Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP (Campus Diadema - Departamento de Ciências Exatas e da Terra). Graduada em Matemática, com Pós-Graduação Lato Sensu em Matemática Aplicada, Pós Graduação Lato Sensu em Gestão Educacional, Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática, Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (USP - linha de pesquisa: Ensino de Ciências e Matemática) e Pós Doutorado em Ensino e História das Ciências e da Matemática pela Universidade Federal do ABC. Realiza pesquisas na área de Educação Matemática e Ensino de Ciências. Suas pesquisas na área de Educação Matemática se concentram no Ensino-Aprendizagem de Matemática e Formação de Professores que ensinam Matemática (nos temas: Cognição Matemática, Modelagem Matemática, Ensino de Matemática nos anos iniciais, Educação Financeira na Educação Básica, Educação de Jovens e Adultos) e Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação para o Ensino de Matemática (nos temas: Pensamento Computacional, Linguagem da Programação na Educação Básica, Tecnologias Educativas para o Ensino de Matemática e Softwares Matemáticos) e Ensino de Ciências (Ensino de Física, Ensino de Astronáutica e Aeronáutica na Educação Básica, Ensino de Robótica, STEM, Maker). É membro do GT da Modelagem Matemática da Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM), membro da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC) e membro da Sociedade Brasileira de Física (SBF). Graduou-se em Direito com Pós Graduação Lato Sensu em Direito Educacional e Direito e Processo do Trabalho, sendo advogada inscrita nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SP) tendo atuado na área cível. É Membro Efetivo da Comissão de Direito Material do Trabalho (OAB, Secção SP), interessando-se em pesquisas nas áreas de Direito de Processo do Trabalho, Direito Civil, Direito e Inteligência Artificial e Jurimetria. Atua no Laboratório de Inovação, na área de Inteligência Artificial aplicada ao Poder Judiciário. Atuou como coordenadora do Curso de Direito. Avaliadora do Ministério da Educação - INEP em Cursos de Direito e demais cursos de graduação (bacharelado e tecnológicos - presencial e EAD) e integra o grupo de avaliadores do Conselho Estadual de Educação - CEE/SP para avaliação das Instituições Públicas de Ensino Superior do Estado de SP, Instituições Municipais de Ensino Superior do Estado de SP e as escolas de formação de procuradores, juízes e promotores de justiça. Atua como parecerista em eventos científicos da FEA/USP na área de Contabilidade e Administração, bem como atua como parecerista da Revista Internacional Investigações em Ensino de Ciências (IENCI), da Revista de Direito (UNISC) e de projetos científicos da UERGS.

Bruna Gama dos Santos, Universidade Federal de Alagoas

Licencianda em Matemática. UniversidaLicencianda em Matemática pela Universidade Federal de Alagoas. Integra grupo de pesquisa em Matemática, Educação e Tecnologia (MATEDTEC), com as principais linhas de pesquisa em: Didática da Matemática, Modelagem Matemática, Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação para o Ensino de Matemática e Formação de professores que ensinam Matemática na Educação Básica. Foi bolsista no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) (2018-2020). Aluna colaboradora no PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PIBIC/UFAL/FAPEAL/CNPq (2020-2021), com o projeto de pesquisa "Ensino de Estatística: utilizando TDICs para a formação continuada docente da Educação de Jovens e Adultos (EJA)". .de Federal de Alagoas.

Cryslãne de Araújo Lima, Universidade Federal de Alagoas

Graduanda em Matemática - Licenciatura, pelo Instituto de Matemática da Universidade Federal de Alagoas (IM - UFAL) Realiza pesquisa de iniciação ciêntífica através do PIBIC (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica) Participação no Grupo MATEDTEC (Matemática, Educação e Tecnologia).

Referências

BRASIL. Base nacional comum curricular. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018.

BURGESS, J., GREEN, J. YouTube: online video and participatory culture. Hoboken, NJ: John Wiley & Sons, 2018.

CASTRO, J. P., RODRIGUES, M. Sentido de número e organização de dados. Textos de Apoio para Educadores de Infância. Lisboa: ME-DGIDC, 2018.

EDO, M.; RIBEIRO, C. A Matemática na Educação Infantil: contextos criativos de aprendizagem. Disponível em: https://gent.uab.cat/mequeedo/sites/gent.uab.cat.mequeedo/files/CIANEI_07.pdf. Acesso em: 02 mar. 2021.

FLECK, B. K.B. et al. YouTube in the classroom: helpful tips and student perceptions. Journal of Effective Teaching, v.14, n.3, p.21-37, 2014.

KAMII, C. A criança e o número: implicações educacionais da teoria de Piaget para atuação com escolares de 4 a 6 anos. Campinas: Papirus, 2012.

LEMIRE, D. Three learning styles models: research and recommendations for developmental education. Learning Assistance Review, v.3, n. 2, p.26-40, 1998.

LEONARDO, P. P.; MIARKA, R.; MENESTRINA, T. C. A importância do ensino da matemática na educação infantil. Disponível em:https://www.revistas.udesc.br/index.php/matematica/article/view/4662. Acesso em: 02 mar. 2021.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARTINEZ, A. M.; GALVEZ, A. R.; GARCIA, A. R. Satisfaction with online teaching videos: a quantitative approach. Innovations in Education and Teaching International, v.54. n.1, p. 62-67, 2017.

PIAGET, J. O desenvolvimento das quantidades físicas na criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

VERGNAUD, G. La théorie de champs conceptuels. Recherches em Didactique de Mathématiques, v. 10, n°2.3, 1990, p. 133-170.

Downloads

Publicado

2021-06-17

Como Citar

LOZADA, C. de O. .; SANTOS, B. G. dos; LIMA, C. de A. Uma análise de vídeos de canais do Youtube como recursos didáticos para o ensino de operações de adição e subtração na educação infantil. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, [S. l.], v. 8, n. 23, p. 30–49, 2021. DOI: 10.30938/bocehm.v8i23.5144. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/BOCEHM/article/view/5144. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

GT01 - Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental