ASPECTOS HISTÓRICOS DO RIGOR NA CONCEPÇÃO DE INTEGRAL

  • Artur Rezzieri Gambera UNESP/doutorando
Palavras-chave: análise, cálculo integral, educação, história, quadratura

Resumo

Neste artigo trazemos uma narrativa traçada através de alguns dos momentos do desenvolvimento da teoria de cálculo de áreas: a noção de quadratura de figuras curvas discutida pelos gregos na antiguidade, a conceituação da integral usando infinitesimais e a introdução do símbolo de integral feita por Leibniz, a definição rigorosa de Cauchy para funções contínuas em um intervalo finito e a expansão desta definição feita por Riemann, que permitiu uma maior abrangência de funções passíveis de integração. Estes momentos revelam alguns dos caminhos pelos quais o pensamento matemático percorreu ao longo das épocas, bem como os padrões de escrita deste pensamento, o que envolve o aspecto cultural do rigor desta escrita para que fosse considerada satisfatória nos ambientes em que a pesquisa matemática foi desenvolvida através do tempo. Tais momentos também levantam questões epistemológicas sobre o assunto tratado que não necessariamente surgem quando o tema é abordado de um ponto de vista puramente atual, como por exemplo a natureza de números e magnitudes, que virão a ser a essência do que é conceituado hoje como números reais; além de sugerirem diversas abordagens para a prática docente usando história da matemática, podendo ser combinadas com outras metodologias de ensino. O tratamento do tema foi baseado em uma historiografia tradicional, apesar de poder evoluir para uma história das ideias por envolver formas da produção de um conhecimento; e nosso objetivo foi trazer elementos que compuseram a ideia do cálculo de áreas para que componham também o pensamento em construção por parte do estudante de cálculo ou análise, bem como do docente destas disciplinas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CAJORI, F. Uma História da Matemática. Tradução de Lázaro Coutinho.Rio de janeiro. Editora Moderna Ltda.2007.

CAUCHY, A. L. Cours d’analyse de l’École Royale Polytechnique. 1re partie. Analyse algébrique, Paris 1821.

CAUCHY, A. L. Résumé des leçons données a l’école royale polytechnique sur le calcul infinitesimal. Tome premier, Paris 1823.

DIRICHLET, J. P. G. L. Sur la convergence des series trigonométriques qui servent à représenter une fonction arbitraire entre des limites données. Journal de Crelle 4, 1829.

EUCLIDES. Os elementos. Tradução de Irineu Bicudo. São Paulo. Editora UNESP, 2009.

GUICCIARDINI, N. Newton’s Method and Leibniz’s Calculus. In: JAHNKE,H.N. (org.) A History of Analysis. Providence: American Mathematical Society, 2003. p. 73-104.

KRAGH, H. An introduction to the historiography of science. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

RIEMANN, B. Deuxième partie. Mémoires publiés après la mort de Riemann. Sur la possibilité de représenter une fonction par une série trigonométrique. In: RIEMANN. B. Œvres Mathématiques de Riemann, traduites par L. Laugel, avec un préface de M. Hermite et un discours de M. Félix Klein.Paris:Gauthier-Villars et fils, Imprimeurs Libraires du Bureau des Longitudes, de L’École Polytechnique, 1898.

ROQUE, T. História da Matemática: uma visão crítica, desfazendo mitos e lendas. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

ROQUE, T. SCHUBRING, G. Curso de Análise de Cauchy: uma edição comentada. 1a edição. Rio de Janeiro: SBM, 2016.

THIELE, R. Antiguity. In: JAHNKE, H. N. (org.) A History of Analysis. Providence: American Mathematical Society, 2003. p. 2-39.

Publicado
2020-07-11
Como Citar
REZZIERI GAMBERA, A. ASPECTOS HISTÓRICOS DO RIGOR NA CONCEPÇÃO DE INTEGRAL. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, v. 7, n. 20, p. 31-43, 11 jul. 2020.