A Matemática nos primórdios da Escola de Minas de Ouro Preto: uma visão geral

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.8027

Palavras-chave:

Matemática na Escola de Minas de Ouro Preto, História da Matemática no Brasil, Produção Matemática na Escola de Minas

Resumo

O processo de estabelecimento de uma comunidade matemática nacional tem sido um relevante problema dentro da historiografia da Matemática. Em particular, pesquisas têm apresentado um panorama acerca do surgimento e formação de uma comunidade matemática brasileira. Nesse quadro, verifica-se o predomínio exclusivo, por pelo menos um século, do ensino de Matemática Superior na formação de Engenheiros. Em particular, no século XIX, a Academia Real Militar e as instituições que a sucederam desempenharam esse papel com primazia. Por outro lado, nem sempre, a Escola de Minas de Ouro Preto, fundada em 1876, tem sido considerada como uma instituição que ministrou ensino de Matemática Superior. Nesse sentido, este artigo busca apresentar uma visão geral sobre a matemática desenvolvida na Escola de Minas de Ouro Preto, e investigar acerca da existência de professores de Matemática e de ensino de Matemática Superior nesta Instituição. Nessa linha, a pesquisa revela não somente a existência de professores de Matemática e de ensino de Matemática Superior, mas um certo protagonismo na produção científica e de determinadores atores neste contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinicius Mendes Couto Pereira, Universidade Federal Fluminense - UFF

Doutor em História da Matemática pelo HCTE/UFRJ (2017). Mestre em Ensino de Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2009). Licenciado em Matemática pela Universidade Federal Fluminense (2000). Atualmente Professor Adjunto do Departamento de Ciências Exatas, Biológicas e da Terra da Universidade Federal Fluminense. Atua principalmente na Formação Inicial e Continuada de Professores de Matemática tendo como área de interesse o Ensino e a História da Matemática, bem como da relação entre eles

Referências

AURI-VERDE. Ano 1, Número 3. Ouro Preto, 1919.

BELHOSTE, Bruno. Pour une réévalution du role de l’enseigment dans l’histoire des mathematiques. Revue d’histoire des mathematiques, p.289-304, 1998.

CARVALHO, José Murilo de. A Escola de Minas de Ouro Preto: o peso da glória. Centro Edelstain de Pesquisas Sociais. Rio de Janeiro, 2010.

MARTINES, Mônica de Cássia Siqueira. Primeiros Doutorados em Matemática no Brasil: uma análise histórica. Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas. Tese de Doutorado. Rio Claro, 2014.

MENDES, Vinicius. O Desenvolvimento da Análise no Brasil – Um Caminho Sobre o Desenvolvimento de uma Comunidade Matemática. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Programa de Pós Graduação em História das Ciências, das Técnicas e Epistemologia. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro, 2017.

MOREIRA, Heloi José Fernandes. Escola Central: a academia do Largo de São Francisco de Paula que consolidou o ensino da engenharia civil no Brasil. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Programa de Pós Graduação em História das Ciências, das Técnicas e Epistemologia. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro, 2014.

MORMELLO, Ben Hur. O Ensino de Matemática na Academia Real Militar do Rio de Janeiro, de 1811 a 1874. Universidade Estadual de Campinas. Programa de Pós Graduação em Matemática. Dissertação de Mestrado. Campinas, 2010.

SAD, Lígia Arantes. Rastros do Ensino de Cálculo Diferencial e Integral nas décadas iniciais da Academia Militar do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de história da Matemática. Vol. 11 nº21 – pág 46-67, 2011.

SAD, Lígia Arantes & SILVA, Circe Maria Silva da. Vestígios do Ensino do Cálculo Diferencial e Integral na Escola Politécnica do Rio de Janeiro (1874-1885). Anais do VI Encontro Luso-Brasileiro de História da Matemática. São João Del Rei, 2011.

SILVA, Circe Mary Silva da. “A Variação dos Triângulos Esféricos” de Manuel Araújo Guimarães: primeiro impresso de Matemática, no Brasil, após a liberação da imprensa em 1810. Revista da SBHC, n.15, p.53-66, 1996.

Downloads

Publicado

2022-05-12

Como Citar

PEREIRA, V. M. C. A Matemática nos primórdios da Escola de Minas de Ouro Preto: uma visão geral. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, [S. l.], v. 9, n. 26, p. 291–305, 2022. DOI: 10.30938/bocehm.v9i26.8027. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/BOCEHM/article/view/8027. Acesso em: 17 ago. 2022.